Esta programado um “Protesto por melhoras do transporte público de Cambé” dia 17 as 19h em Cambé (Vídeo)
[jwplayer mediaid=”29510″]

Portal Cambé, site de informações e serviços de Cambé – PR.

9 COMENTÁRIOS

  1. É Tardioli não dá pra ser tudo ao mesmo tempo. Tem que ter lado. Quando vereador vc reivindicava melhorias no transporte coletivo mas não cobrava o único que podia resolver, que era o prefeito. Vc era contra a dação de imóveis públicos para o IMP, foi só o pavinato te buscar em casa no dia da votação ai vc resolveu votar a favor do projeto. Na câmara, quando vc começava a discursar todo mundo se irritava com aquele discurso chato, irrelevante, inconclusivo e vazio. Tardioli vc é uma piada. Fica quietinho assessorando a Ivani, antes que o Pavinato te demita.

  2. Vocês sabiam que os ex-vereadores derrotados que eram da base do prefeito Pavinato durante os quatro anos passado estão todos com uma boquinha de cargo comissionado na Prefeitura e nós estamos pagando seus salários? A Ivani da Unidef é Secretária O Osvaldo do Ana Rosa tem cargo comissionado na ouvidoria e o Paulo Tardiolle é empregado da Ivani. Isso mesmo, empregado da IVani. kkkk

    Porque será que o PAvinato nomeou rapidamente estes ex-vereadores? Tem gente que fala que é pagamento por estes vereadores nunca terem fiscalizado a administração dele. Será?

    Mas o Paulo Tardiolle derrotado nas urnas(ele disse que seria o mais votado kkkkkkkk.)está mesmo nervoso, porque o Pavinato deu a Secretaria para Ivani da Unidef com salario de 7 mil reais e colocou o Tardiolle como empregado da Ivani e recebe salario de 2 mil reais.

    Isto demonstra que o Tardiolle é subalterno da Ivani não é mesmo?

    Nobre derrotado nas urnas Paulo Tardiolle, se nem no seu grupo você consegue respeito e os cara te colocam de empregado da Ivani, me responda, quem vai respeitar Vossa Excelência??? Cuidado, pois o senhor está se transformando em uma PIADA AMBULANTE.

    Agora vai trabalhar antes que a sua chefe IVANI lhe de uma advertência. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk chuppppa kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  3. BOA NOITE,CAMBE.
    venho através deste portal MANIFESTAR,minha indignação ha alguns vereadores ta ATUAL legislatura,principalmente aos vereadores conrado scheller,e zezinho da ração,que desesperadamente de uma forma de se refugiar de vaias,e condenações( criticas,insultos) de protestantes apresentou um documento dizendo que sempre cobraram ações no ministério publico em relação ao transporte coletivo metropolitano,protocolaram sim um documento no ministério publico denunciando o prefeito por irresponsabilidade,mas eu vereador PAULO TARDIOLLE, só não estive presente no ministério publico esse dia em que os vereadores relata como denuncia,MAS TODAS AS AÇÕES REFERENTE A TRANSPORTE PUBLICO CONTRA A EMPRESA ,E ADMINISTRAÇÃO ,EM TER QUE TOMAR PROVIDENCIAS,FORAM FEITAS PELO VEREADOR PAULO TARDIOLLE,não pelos vereadores conrado scheller,e zezinho da ração,eles os vereadores aqui sitados,de forma indisciplinar covarde,usou todas as denuncias do vereador PAULO TARDIOLLE,e audiências realizadas junto ao ministério publico,na noite de uma sessão na câmara de vereadores de cambe,para tentar se proteger de criticas da população presente ,que estava indignada pelo descasos publico em relação ao transporte coletivo,e ainda usaram de má fé,sitando que uns dos vereadores que não participaram no fórum para registrar a denuncia ,em relação (transporte coletivo)deram um papel para uma senhora que enganada por eles fez a leitura sitando que o vereador PAULO TARDIOLLE,NÃO PARTICIPOU DA TAL AÇÃO,a verdade de fato é que PAULO TARDIOLLE,É O AUTOR DE TODAS AS DENUNCIAS RELATADAS NO DOCUMENTO ENTREGUE POR ASESSORES DO CONRADO SCHLLER,E SEZINHO DA RAÇÃO,NÃO ESTIVE PRESENTE NO FÓRUM POR UM COMPROMISSO DA PROPRIA CAMARA DE VEREADORES,MAS ASSINEI O DOCUMENTO DE DENUNÇIA,SIM,SÓ NÃO PUDE ESTAR PRESENTE NO DIA 9 DE MAIO DE 2012,,MAS TODAS AS DENUNCIAS RELATADAS NA CÂMARA DE VEREADORES DE CAMBE NO MANDATO DE 2009 A 2012,FORAM DE INICIATIVA DO VEREADOR,PAULO TARDIOLLE,e eu sempre solicitei apoio de todos vereadores em sessões da cÂmara,solicitação documental, mas nunca em nem um momento que antecede a data de 9 DE MAIO DE 2012, OS VEREADORES CONRADO ANGELO SCHLLER,E ZEZINHO DA RAÇÃO,NOS ACOMPANHOU AO FORUM DE CAMBE ,NA ENTÂO SALA DE PROMOTORIA PUBLICA PROTOCOLAR DENUNCIA EM RELAÇÃO AO FATO JÁ SITADO AQUI ,(TRANSPORTE COLETIVO,OBRIGADO A TODOS.VEJO SOMENTE UM ATO DE COVARDIA DOS NOBRES.MAS RELATO AQUI QUE TODAS AS VEZES QUE EU SOLICITEI AO VEREADORES DA LEGISLATURA DO MANDATO DE 2009 A 2012,SEMPRE TIVE APOIO DE TODOS OS COMPANHEIROS,( VEREADORES).

    • Como você é confuso Tardioli. Você passou 4 anos, com o discurso mais chato da câmara, cobrando um melhor transporte coletivo em cambé. Isso é verdade. Só que era sempre um discurso vazio, porque você nunca disse quem era o culpado. Você nunca disse o nome do pavinato nestes descursos. Você nunca responsabilizou o prefeito por não fazer a licitacao. Por isso que você não se reelegeu. O Povo não perdoou Tardioli. Nem o Pavinato te perdoou. Ele não te deu a secretaria que você havia comprado, lembra que você falava isso pra todo mundo? kkkkkkkkkkkkkk

    • Esta ate parecendo o discurso nas explicações pessoais, o derrotado do tardiole que trocou seu voto pra hoje ser secretario e de tanto insistir pegou um carguinho meia boca sendo chefiado pela Ivani, quem diria o rei dos discursos encostado em uma secretaria que nem sabe qual é a função dele.
      Sua manifestação é fraca vc é fraco vc não ganha mais nem pra presidente de bairro.
      Vc não foi na promotoria com os vereadores porque vc devia favor ao prefeito ou esqueceu que o seu cunhado Crovis era secretario de captação de recurso (colocador de placas). Pra mim isso era troca de favores, Nepotismo é improbidade administrativa do prefeito.
      Se vôce quiser continuar nesse carguinho meia boca acho melhor vc se calar.
      Falando de covardia o unico covarde é vc, sempre se manifestou contra a dação de terrenos da prefeitura para o imp e mudou de ideia com uma promessa que recebeu de secretario.
      Falando em promessa vc não era o Candidato a Vice.
      Voce fala de mais TARDIOLE, pelo jeito vc nunca aprendeu aquele ditado: FALE POUCO PRA NÂO FALAR BESTEIRA.

  4. Mais de um ano e ainda sem resposta do MP.
    Vereadores pedem Ação Civil contra prefeito por ilegalidade no transporte coletivo
    11 de Maio de 2012 – 11h56min
    Divulgação
    Cinco vereadores protocolaram o pedido no MP
    Por iniciativa do vereador Zezinho da Ração, foi protocolado na última quarta-feira (9), no Ministério Público local, um pedido para que seja proposta uma Ação Civil por irresponsabilidade administrativa contra o prefeito João Pavinato por não ter promovido o processo licitatório para exploração do serviço de transporte coletivo no Município. O documento é assinado ainda pelos vereadores Cecílio Araújo, Conrado Scheller, Alzira da Farmácia e Irineu Defende que também estiveram presentes na Promotoria. Os demais, Mario Som, Paulo Tardiolle, Junior Felix, Ivani da Unidefi e Osvaldo do Ana Rosa, não assinaram o documento, o que ainda pode ser feito junto à promotoria.

    No documento consta um histórico de como o assunto foi tratado desde 2009 pela Câmara de Vereadores, Executivo Municipal e Ministério Público, que reproduzimos na sua íntegra:

    Em 16 de março de 2009 ocorreu Audiência Pública na Câmara Municipal de Cambé, cujo tema abordado foi “Transporte Coletivo”, onde ficou acordado entre Poder Executivo, Poder Legislativo e a empresa TIL TRANSPORTES COLETIVOS, a adoção de algumas medidas a fim de sanar as irregularidades existentes em nossa cidade. Acordo este que não foi cumprido.

    Em 27 de março de 2009, diante da inércia do Poder Público e da indiferença da empresa TIL TRANSPORTES COLETIVOS, a Câmara Municipal de Cambé, representada por nove vereadores, sendo eles Alzira Guedes de Oliveira, Cecilio Araujo Pereira, Conrado Angelo Scheller, Ivani de Souza Lima Tiepo, Jose Carlos Camargo, Luis Antonio Felix Junior, Mario Aparecido dos Santos, Paulo Cesar Tardiolle e Osvaldo Candido Neto, protocolou junto ao Ministério Público Estadual pedido de Providências ao Promotor de Justiça com relação ao Transporte Coletivo.

    Em 30 de Abril de 2009, o representante do parquet instaurou Portaria n.º 08/2009, com Pedido de Providencias, a ser denominado “Transporte Urbano”, visando a apuração dos fatos noticiados pela Câmara Municipal de Cambé.

    Em 06 de maio de 2009, ocorreu a 1º Audiência no gabinete da Promotoria de Justiça de Defesa dos Direitos Constitucionais da Comarca de Cambé, onde presentes se encontravam o Promotor de Justiça Leonildo de Souza Grota, o Prefeito Municipal João Dalmácio Pavinato, o Procurador Juridico do Municipio Eduardo Fernando Lachimia, do Presidente da Câmara Luis Antonio Felix Junior, os vereadores Paulo Cesar Tardiolle, Irineu Defende, Conrado Angelo Scheller, Jose Carlos Camargo, Mario Aparecido dos Santos e Cecilio Araújo Pereira, os Procuradores da Til Transportes Coletivos Eduardo Dias Pereira da Silva e Rodrigo Bongiovani acompanhados do advogado Renato Camargo, o representante da Unidef Aminadabe Martins e da representante da Apae Vanessa de Cássia Estabile, onde ficou firmado TERMO DE AJUSTE E COMPROMISSO entre a Prefeitura de Cambé e o Ministério Público, contendo a seguinte convenção: “dentro do prazo de 120 (cento e vinte) dias, ser pela Municipalidade, analisada a situação da concessão do serviço de transporte coletivo, com comunicação, em seguida, no prazo máximo de 05(cinco) dias, ao Ministério Público local, acerca das providências que serão adotadas para a regularização da concessão adequando-a à legislação pertinente”(grifo nosso)

    Em 13 de outubro de 2009, ou seja, 161 (cento e sessenta e um) dias após a 1º Audiência do M.P., o Promotor de Justiça oficiou (Oficio 290/2009 MP) o Prefeito Municipal conforme segue transcrição: requisitar de Vossa Excelência, no prazo de 15(quinze) dias, remessa de informações acerca das providências adotadas para a regularização da concessão do serviço de transporte coletivo em Cambé e adequação da legislação vigente, nos termos estabelecidos quando do termo de ajuste firmado.”

    Em 24 de novembro de 2009 o Prefeito Municipal respondeu a requisição ministerial alegando o que segue: Em atenção ao v.oficio em epígrafe, sobre a regularização da concessão do transporte coletivo de nossa cidade, informamos que estão sendo adotados os seguintes procedimentos: ……. c) desencadeamento do processo licitatório para o fito de se regularizar a situação da concessão dos serviços de transporte coletivo em nossa cidade, observando os estritos ditames das Leis n.º 8.987/1995 e 8.666/1993.

    Em 07 de janeiro de 2010 o digno representante do parquet, após exaurido em demasia o prazo determinado no Termo de Ajuste entre o Ministério Público e a Prefeitura de Cambé, profere prorrogação de prazo em decisão interlocutória para mais 90(noventa) dias para a conclusão do Procedimento Preparatório em comento.

    Em 16 de setembro de 2010, ou seja, 253(duzentos e cinquenta e três) dias após a primeira prorrogação de prazo que estabeleceu apenas 90(noventa) dias para conclusão, bem como, 499(quatrocentos e noventa e nove) dias após a Termo de Ajuste, o r.Promotor de Justiça converte o Processo Administrativo em INQUÉRITO CIVIL, mantendo-se a atual numeração, ou seja, Inquérito Civil n.º08/2009.

    Em 13 de outubro de 2010 o Ministério Público, oficia o então Presidente da Câmara Luis Antonio Felix Junior da seguinte forma: “requisitar de Vossa Excelência a remessa no prazo de 15(quinze) dias de: informações atualizadas no que pertine o procedimento licitatório que visa regularizar a situação da concessão do serviço de transporte coletivo no município”(grifo nosso)

    Em 18 de outubro de 2010 o Presidente da Câmara responde a requisição ministerial da seguinte forma: “…sugerimos que o expediente seja encaminhado à Prefeitura Municipal, foro onde se busca resolver acerca das atuais condições do transporte coletivo”.

    Em 21 de outubro de 2010, ou seja, 545(quinhentos e quarenta e cinco)dias após a 1º Audiência no MP, o digno representante do Ministério Público envia Oficio n.º 117/2010 à Prefeitura Municipal requisitando o que segue: “ …requisitar de Vossa Senhoria a remessa, no prazo de 15(quinze)dias, de: a) informações atualizada no que pertine ao procedimento licitatório que visa regularizar a situação da concessão do serviço de transporte coletivo no município”

    Em 02 de fevereiro de 2011, ou seja, uma demora de 104(cento e quatro) dias para responder a requisição ministerial supra, o Prefeito informa ao Promotor de Justiça, entre outra argumentações, a seguinte alegação: “Esta municipalidade já está adotando as medidas necessárias para abertura do processo licitatório que visa regularizar a concessão do transporte urbano.”

    Em 04 de fevereiro de 2011, o ilustre representante do Ministério Público, diante da afirmação do Prefeito de que já estaria adotando as medidas necessárias para a abertura do processo licitatório, resolve suspender o procedimento conforme a transcrição a seguir: “… determino a suspensão do presente procedimento, pelo prazo de 60(sessenta) dias, no aguardo da conclusão das medidas noticiadas.”

    Em 10 de maio de 2011, ou seja, MAIS DE DOIS ANOS(735 dias) após a 1º Audiência no Ministério Público, o Promotor de Justiça, mais uma vez, notificou a Prefeitura na seguinte transcrição: “… requisitar de Vossa Senhoria a remessa, no prazo de 20(vinte) dias de informações atualizadas sobre a adoção e conclusão das providencias noticiadas, sobretudo no que diz respeito à realização do processo licitatório que visa a regularização da concessão do transporte urbano no município” (grifo nosso)

    Em 16 de maio de 2011 a Prefeitura responde e entre argumentações evasivas, AFIRMA que o Processo Licitatório que visa a regularização da concessão do transporte urbano no município ainda NÃO FORA REALIZADA.

    Em 30 de maio de 2011 o emérito Promotor de Justiça, diante das informações da Municipalidade resolve: “Considerando o teor das informações prestada pela Municipalidade às fls.57/59, suspendo, o presente expediente, pelo prazo de 30(trinta)dias.”

    Em 05 de julho de 2011, ou seja, 791(setecentos e noventa e um) dias da 1º Audiência no M,P., novamente, o Promotor de Justiça notifica a Prefeitura nos seguinte termos: “…para requisitar de Vossa Senhoria a remessa no prazo de 20(vinte)dias, de informações atualizadas sobre a adoção e conclusão das providencias noticiadas, sobretudo no que diz respeito à aprovação da lei e a realização do processo licitatório que visa a regularização da concessão do transporte urbano no município.”

    Em 21 de julho de 2011 a Municipalidade responde a requisição ministerial supra da seguinte forma: “II ) – Também estão sendo adotadas as medidas necessárias para abertura do processo licitatório que visa regularizar a concessão do transporte urbano, sendo que oportunamente serão apresentados os estudos e atitudes concretas sobre o dito processo.”

    Em 12 de agosto de 2011, ou seja, 829(oitocentos e vinte e nove) dias após a 1º Audiência no M.P. o digno representante do Ministério Público resolve ARQUIVAR o inquérito civil em comento, mesmo sem ter sido iniciado o processo licitatório que visa a regularização da concessão do transporte urbano no município de Cambé.

    Em 25 de agosto de 2011, a Câmara Municipal de Cambé, inconformada com a decisão do representante do parquet, recorre ao Conselho Superior do Ministério Público-Curitiba(PR) ante a decisão de ARQUIVAMENTO do inquérito civil em comento, haja vista que EM NENHUM MOMENTO SE OBSERVOU qualquer ato do Prefeito alusivo ao processo licitatório que visa a regularização da concessão do transporte urbano no município de Cambé.

    Em 30 de agosto de 2011 o Procurador Geral de Justiça do Estado do Paraná- Presidente do Conselho Superior do Ministério Público, recebe o recurso antevisto, impetrado pela Câmara de Vereadores.

    Em 06 de dezembro de 2011 o Prefeito, após ARQUIVAMENTO do Inquérito Civil MPPR-020.09.000014-0, para decepção e surpresa de todos, envia para a Câmara de Vereadores o Projeto de Lei 105/2011, solicitando autorização para que a empresa TIL TRANSPORTE COLETIVO atue por mais 01 ANO sem contrato e sem licitação neste Município, contrariando desta forma tudo o ele mesmo havia argumentado junto aos autos do Inquérito Civil durante os anos de discussão. No entanto, diante da indignação de muitos vereadores e setores da população, inclusive com protestos populares, acabou por retirar o referido projeto, sendo que até o presente momento não adotou nenhuma outra providencia.

    Hoje, dia 08 de maio de 2012, ou seja 1.100 (UM MIL E CEM) DIAS após a 1º Audiência promovida pelo Ministério Público Estadual, o Prefeito de Cambé, João Dalmácio Pavinato, não realizou processo licitatório que visa a regularização da concessão do transporte urbano no município de Cambé, proporcionando desta forma, inexplicavelmente, que a empresa TIL TRANSPORTE COLETIVO continue trabalhando de forma irregular neste Município, demonstrando que todas as argumentações junto ao Ministério Público tiveram natureza premeditadamente protelatória.

    O documento enfoca também todas as questões jurídicas relativas ao assunto e faz ainda uma série de indagações sobre o tratamento dispensado pela administração sobre o caso. E conclui: Diante dos fatos que ora se apresentam, os requerentes, impotentes para sensibilizar o Chefe do Executivo quanto à premente necessidade de dotar o Município de Cambé de um sistema de transporte coletivo legal, eficiente e a altura do povo da cidade, diante ainda, de todo esforço do representante do Ministério Público local que restou infrutífera, encaminham o presente a esta Douta Promotoria de Justiça, na esperança de que seja proposta a devida AÇÃO CIVIL PÚBLICA, com obrigação de fazer e multa diária, em benefício de toda a comunidade.

    Finalmente, diante do inexplicável descaso constatado, requer providencias no sentido de se apurar responsabilidades nos termos do art. 1º, II, XI, XIV e demais do Decreto 201/1967.

  5. Na região metropolitana o preço não é menor devido ao monopólio oferecido pelo estado corrupto e sem licitação a esses grupos que fazem o transporte. Esta na cara que alguém esta ganhando alguma coisa com isso. Fica algumas perguntas que espero que sejam respondidas neste manifesto! 1 – Quando foi realizada a ultima licitação para que empresas apresentassem suas propostas para para o transporte? 2 – Quem é o responsável por fazer essas licitações? 3 – PQ não são realizadas? 4 – Já que não existe esse contrato pq não é autorizado o transporte alternativo? 5 – Quem ganha com essa bagunça da administração?

    Quem quiser falar na TRIBUNA da Câmara se inscreva com antecedência, pois é norma da casa. Infelizmente não poderei participar!!!

    Que seja feita uma manifestação exemplar e ordeira, respeitando o patrimônio publício e os direitos individuais. Com isso temos tudo para uma manifestação exemplar.

    Abraços e bom manifesto ordeiro a todos que participarem!!!

  6. Podem contar com nosso apoio, quero aproveitar o espaco e convocar toda a classe estudantil de nossa cidade para estamos participando em peso desse ato em busca de um transporte coletivo de qualidade e tambem com tarifas justas. Vejo que isso é um comeco em busca de quem sabe até passe livre para estudantes. ESTAREMOS PRESENTES.

  7. Sempre digo que Cambé esta fechado, td. redondinho. Um dia quem sabe tudo isto muda. Falta concorrência na política, para que melhore, saúde, esporte, educação, enfim td. que envolve administração pública. Sou servidora da saúde e mal tenho acesso a mesma.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.