O uso das mídias sociais na política eleitoral vem ganhando uma dimensão cada vez maior no mundo inteiro e no Brasil vem, de uma forma ou de outra, trazendo a população para a discussão sobre os rumos da política local, regional, estadual e nacional. A distância quase abismal entre os políticos e a população era enorme. As circunstâncias, outrora convenientes, já caducaram. Hoje o povo deixa de ser massa passiva para se tornar protagonista da política e olhar para os governantes em um mesmo nível. Em grande parte, isso se dá à ascensão das mídias sociais na política como ferramenta de comunicação e marketing. Esse é um novo paradigma para o século XXI e um desafio para políticos e assessores.
Até pouco tempo atrás, a opinião pública era formada com base em dados passados pelos veículos de comunicação tradicionais como jornal, rádio e televisão. Hoje, na era da tecnologia, Twitter, Facebook, Whatsapp, Instagram, Google+ e tantos outros servem para espalhar subsídios diversos sobre pessoas, partidos e governos. É um amálgama de escritos, números, imagens, vídeos de todo tipo que enchem os internautas de curiosidade.
Nas duas últimas eleições municipais, por exemplo, as redes sociais foram grandes aliadas dos candidatos. A ferramenta funciona com base em dois pilares essenciais que são a interação e o engajamento. O primeiro, aproxima candidato e eleitor. O segundo, dissemina o trabalho e viraliza ações e posicionamentos. Se ambos forem utilizados da forma correta, o resultado tão almejado é alcançado.

Durante a última sessão da Câmara de Vereadores de Cambé o vereador Carlos Alberto Abudi, o Berro (DEM), usou seu espaço para reclamar que o profissional da imprensa, do site Portal Cambé havia solicitado que encamisasse mensagem sobre um determinado assunto. O vereador na contramão de tudo que está acontecendo, com relação a tecnologia, ficou bravo e disse que não é adepto da tecnologia. Hoje quem não estar atendo as redes sociais perde tempo e espaço, inclusive na política. “Hoje todos tem acesso a internet e as redes sócias, aproxima o político dos eleitores. Se o nobre vereador tiver alguma dificuldade, estamos a disposição para auxiliá-lo na criação e no acesso do Twitter, Facebook, Whatsapp e o Instagram que são as mídias mais populares entre os políticos”, afirma o sócio proprietário do site Portal Cambé, Silvio Rodrigues.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.