Superlotação causa surto de tuberculose na cadeia de Cambé

6335

O Sindicato dos Policiais Civis de Londrina e Região (Sindipol) denunciou um início de surto de tuberculose por causa da superlotação na cadeia de Cambé, na tarde desta segunda-feira (18), em Cambé, na região metropolitana de Londrina. A cadeia está com 159 detentos, número três vezes maior que sua capacidade máxima que é de 52 presos.

De acordo com o presidente do Sindipol, Michel Franco, o Governo do Estado precisa transferir 107 presos que são condenados e não podem permanecer na cadeia que deve abrigar apenas detidos que ainda não foram julgados. “A situação é caótica, fruto do descaso dos nossos governo com a polícia civil”, dispara Franco.

A preocupação do sindicato é com a saúde dos policiais e agentes que trabalham na delegacia e com a população que vai até o local  atrás de serviços ou visitar algum detento. “O popular vem até a delegacia e além de não conseguir o serviço, por que o investigador está cuidando dos presos, ainda sai contaminado com tuberculose”, reclamou.

Franco alega ainda que a lei de execução penal proíbe que condenados permaneçam em delegacias e que a cadeia de Cambé opera em “ilegalidade plena”.

A reportagem entrou em contato com a Secretaria de Segurança do Paraná, mas ainda não obteve resposta.

Fonte: TarobaNews



Portal Cambé, site de informações e serviços de Cambé – PR.


One thought on “Superlotação causa surto de tuberculose na cadeia de Cambé

  1. Arivaldo Lins

    Tadinhos de nossos presos!!! É já que os advogados e o pessoal dos Direitos Humanos deverão trabalhar para mandar TODOS para passar uma temporada no CARIBE para tratamento… E para os policiais SE CONSEGUIREM…. Junto as suas familias e VITIMAS… TERÃO DIREITO A FREQUENTAR LONGAS FILAS DE ATENDIMENTO NO ….S U S …… familias

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *