Assembleia vota projeto que reestrutura e amplia efetivo da Polícia Militar

0

A Assembleia Legislativa aprovou nesta terça-feira (31), em primeira discussão, dois projetos de lei enviados pelo Governo do Paraná para modernizar a Polícia Militar. O primeiro reestrutura a organização básica da corporação, e o segundo fixa o efetivo da PM em 26.747 policiais e bombeiros — o que irá permitir o aumento do efetivo.

“Foi um grande passo para a Polícia Militar, graças ao apoio do governador Orlando Pessuti e do secretário de Segurança, coronel Aramis Linhares Serpa. A reestruturação atende uma demanda da sociedade”, afirmou o comandante-geral da PM, coronel Luiz Rodrigo Larson Carstens.

“Isso foi possível porque o governador e o secretário se empenharam na questão, indo ao Quartel do Comando Geral da PM para discutir conosco detalhes da geografia e dos problemas do Estado a fim de buscar soluções para melhorar a segurança e os serviços prestados à população paranaense”, acrescentou.

A reunião de trabalho concluiu a elaboração do projeto de lei aprovado nesta terça pela Assembleia. “Os deputados entenderam a grandeza desse projeto, sua importância para a comunidade. Com certeza, começa a nascer aqui uma nova perspectiva para a segurança pública, com a criação de novas unidades e serviços que beneficiarão todos os cidadãos”, disse Carstens.

O projeto de lei que prevê organização básica da PM propõe a criação de novas unidades, a transformação de companhias. a elevação de pelotões e, principalmente, a descentralização do comando do Policiamento do Interior. Criado em 1976, ele tem sede atualmente na capital. O projeto de lei que altera a fixação do efetivo da PM permitirá a contratação de 4.867 novos policiais e bombeiros.

Atualmente, a PM possui 18 mil integrantes na ativa, incluídos os alunos soldados em formação na Academia de Polícia Militar do Guatupê, aprovados em concurso público lançado neste ano. O projeto de lei também altera a composição dos fundos de Modernização da PM e de Atendimento à Saúde dos PM, além de mudar a Lei de Promoção de Oficiais.

“A instituição e a sociedade aguardam a aprovação dos projetos na segunda votação e sua sanção pelo governador, para que se tornem leis que marcarão uma nova fase da Polícia Militar em todo o estado”, falou o comandante-geral.

Os textos preveem 24 medidas estruturantes para a PM em todo o Estado. Além da criação de macrorregiões, espécies de comandos intermediários, com o desmembramento do Comando do Policiamento do Interior, estão previstas a criação das companhias independentes de Irati, Arapongas e Ivaiporã, de batalhões em Francisco Beltrão e na Região Metropolitana de Curitiba (RMC) e do batalhão de Operações e Eventos, na capital.

Também está prevista a transformação da Companhia de Polícia de Choque em Batalhão. No Corpo de Bombeiros, os projetos de lei preveem a criação de grupamentos regionais em Paranaguá, Curitiba, Pato Branco e Francisco Beltrão. Companhias também devem ser criadas em Sarandi, Prudentópolis, Guaíra e Cambé. Os textos também ampliam a atuação da Defesa Civil.

“Com tudo isso, vamos ter a cada dia uma segurança pública mais eficiente, melhor estruturada, melhor preparada para desenvolver as suas atividades”, disse Carstens.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Eu Aceito a Política de Privacidade

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.