Corte do governo na conta de luz afeta Petrobras

A redução da conta de luz promovida por Dilma prejudicou a Petrobras. A estatal reconheceu no balanço que pode não receber R$ 4,5 bilhões devidos pelas empresas de energia. Após mudanças no setor, a Eletrobras ficou sem dinheiro para pagar à Petrobras pelo fornecimento de óleo e gás. A dívida da empresa com a petroleira é de R$ 12 bilhões…

Após SP, PR quer reduzir dívida; RS atrasa pagamento

Um dia depois de o prefeito Fernando Haddad (PT) ter recorrido à Justiça para reduzir a dívida da prefeitura paulistana com a União, o governo do Paraná, gerido pelo PSDB, informou que fará o mesmo, e o governo do Rio Grande do Sul, peemedebista, avisou que irá atrasar a quitação de seus débitos — R$ 280 milhões não serão pagos já.

————————————————————————————

O Globo

Manchete : Dilma vai leiloar mais 3 aeroportos e 4 rodovias

Pacote de infraestrutura prevê também concessão de trecho da Norte-Sul

Em reunião com ministros hoje, presidente vai discutir novo modelo de financiamento para projetos do setor . Objetivo é preservar ajuste fiscal, usando menos recursos públicos e com menor participação do BNDES

A presidente Dilma se reúne hoje com pelo menos 14 ministros e presidentes de bancos públicos para definir um novo pacote de investimentos em infraestrutura. Serão leiloados os aeroportos de Porto Alegre, Florianópolis e Salvador, quatro trechos de rodovias e uma extensão da Ferrovia Norte- Sul, informam Geralda Doca e Danilo Fariello. Também haverá mudanças no financiamento dos projetos. O governo quer criar uma agenda positiva e tirar o foco do ajuste fiscal, que não será, porém, abandonado. (Pág. 21)

Fazenda quer dinheiro do FGTS para o BNDES

Objetivo é emprestar recursos do fundo FI-FGTS para o banco. Centrais sindicais são contra. (Pág. 22)

Discussão entre Cunha e Levy dificulta ajuste

Após discussão em reunião sobre terceirização, Cunha pode travar medidas do ajuste fiscal. (Pág. 25)

Itália decide extraditar Pizzolato

Condenado a 12 anos de prisão no mensalão do PT, o ex-diretor do BB Henrique Pizzolato será extraditado para o Brasil, por decisão do governo italiano. Também condenado no mensalão, o ex-ministro José Dirceu informou à Justiça que fechou sua empresa de consultoria. (Págs. 3 e 8)

MP pede prisão de executivo da Alstom

César Ponce de Leon é acusado de formação de cartel em 2007 e 2008, no governo Serra, em SP . (Pág. 8)

PF investiga conexões terroristas no Brasil

A PF fez apreensões na casa de um advogado investigado por suposta ligação com terroristas. (Pág. 4)

Juro chega a até 800% no cartão

A taxa cobrada no rotativo do cartão de crédito chegou a 345,8% ao ano, em média. Em alguns casos, os juros chegam a quase 800%. Com isso, uma dívida de R$ 1.000 vira R$ 9.000 após 12 meses. A taxa média do cheque especial é de 242,23%, a maior desde 1995. (Pág. 24)

Governo gaúcho adia pagamento

O governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori (PMDB), suspendeu pagamento de parcela da dívida com a União. Fernando Haddad (PT), prefeito de SP, recorreu à Justiça. (Pág. 6)

Censura em Portugal – Mídia reage e partidos recuam

Num manifesto, 20 órgãos de mídia em Portugal reagiram à ameaça dos três principais partidos de censurar a cobertura eleitoral. Os partidos acabaram recuando. (Pág. 30)

Foto-legenda: Nasce um legado

O Museu do Amanhã, presente que ficará para o Rio após 2016, ganha forma no Porto. Autoridades olímpicas estimaram que 89% das obras avançam na cidade. (Pág. 10)

Ilimar Franco

Verticalização dos cargos

A coordenação política do governo está enfrentando muitas dificuldades com as bancadas estaduais para fechar a partilha dos cargos. Até agora, só quatro. Para pressionar os aliados ao acordo, o ministro Eliseu Padilha defende a verticalização. Nos locais em que não houver acerto entre os governistas, o partido do ministro indica os cargos de sua pasta em todos os estados. (Pág. 2)

Merval Pereira

Tempos de murici

Foi-se o tempo em que o Executivo tinha força para impor suas decisões aos estados e municípios, e, mais que isso, foi-se o tempo em que os aliados políticos aceitavam de bom grado as “pedaladas” do Ministério da Fazenda, temerosos de seu poder. (Pág. 4)

Míriam Leitão

O rumo do ajuste

A presidente Dilma vai discutir hoje com alguns ministros o que fazer para aumentar os investimentos e melhorar as contas. Uma das fórmulas será, segundo o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, negociar com os concessionários atuais novos investimentos não previstos no contrato. Prepara-se também outra onda de concessões. No Congresso, o ajuste fiscal ficou menor. (Pág. 22)

Editoriais

A necessária guinada para o Centro

Projetos como Porto Maravilha e incentivos a empreendimentos imobiliários consolidam a região central do Rio como opção contra déficit habitacional (Pág. 18)

Influência chinesa exige revisão do Mercosul

Aumento de acordos bilaterais com o rival brasileiro na região, como o pacto celebrado com a Argentina, reitera a insignificância atual do bloco (Pág. 18)

————————————————————————————

Zero Hora

Manchete : Sartori paga salário, mas adia dívida com União

Sem dinheiro para todas as contas de abril, o governador José Ivo Sartori optou por atrasar o pagamento da parcela mensal ao governo federal. Decisão do Piratini poderá render penalizações

R$ 48,9 MI DA LEI KANDIR SÃO LIBERADOS APÓS MEDIDA

AUMENTO DE IMPOSTO DEVE ENTRAR NA PAUTA, DIZ IBSEN

ROSANE DE OLIVEIRA: EM MAIO, SITUAÇÃO MAIS CRÍTICA

(Notícias | 10, 14 a 17 e 27 a 29)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete : Itália decide extraditar condenado no mensalão

Ex-diretor do BB, Henrique Pizzolato fugiu em 2013 para evitar ser preso

O governo da Itália decidiu extraditar Henrique Pizzolato, ex-diretor de marketing do Banco do Brasil. Ligado ao PT, ele tem cidadania italiana e fugiu para o país europeu em 2013, após ser condenado a 12 anos e sete meses no mensalão. No começo de 2014, a polícia o prendeu por uso de passaporte falso. Pela primeira vez, a Itália extraditará um cidadão para o Brasil. Prevaleceram na decisão haver uma condenação definitiva e o compromisso italiano contra a corrupção. Não cabe recurso, e a Polícia Federal enviará uma equipe a Módena, onde Pizzolato está preso, para trazê-lo de volta. A defesa do ex-executivo do BB diz que a decisão foi política e que as prisões brasileiras oferecem risco à sua integridade. Diplomatas afirmam que a extradição não significa que a Itália esqueceu a recusa do então presidente Lula, em 2010, de devolver o ex-terrorista Cesare Battisti. Para eles, o resultado deve-se a forte ação de bastidores em Roma e Brasília. (Poder a4)

Após SP, PR quer reduzir dívida; RS atrasa pagamento

Um dia depois de o prefeito Fernando Haddad (PT) ter recorrido à Justiça para reduzir a dívida da prefeitura paulistana com a União, o governo do Paraná, gerido pelo PSDB, informou que fará o mesmo, e o governo do Rio Grande do Sul, peemedebista, avisou que irá atrasar a quitação de seus débitos — R$ 280 milhões não serão pagos já. (Poder a9)

Corte do governo na conta de luz afeta Petrobras

A redução da conta de luz promovida por Dilma prejudicou a Petrobras. A estatal reconheceu no balanço que pode não receber R$ 4,5 bilhões devidos pelas empresas de energia. Após mudanças no setor, a Eletrobras ficou sem dinheiro para pagar à Petrobras pelo fornecimento de óleo e gás. A dívida da empresa com a petroleira é de R$ 12 bilhões. (Mercado 1 b1)

Petrobras ‘vira uma página’ com divulgação de balanço, diz Dilma (Mercado 1 b2)

Polícia Federal investiga relação de advogado com terrorismo (Mundo A22)

Roubos voltam a subir em SP após dois meses de queda

Após trégua de dois meses, os roubos voltaram a subir em março tanto no Estado como na cidade de São Paulo. Em relação a igual mês de 2014, esse tipo de crime cresceu 0,9% na capital e 3,6% no Estado. Já o número de vítimas de homicídio subiu 2,7% na capital e caiu 13,1 % no Estado. (Cotidiano 1 C1)

Foto-legenda : Aula vaga

Professores da rede estadual em greve fazem passeata na av. Paulista, em São Paulo; assembleia decide por manutenção da paralisação, que já dura 40 dias (Cotidiano 1 C3)

Igor Gielow

Armistício entre Cunha e Renan se tornou essencial para a presidente (Opinião A2)

Editoriais

Leia “Fogo amigo”, sobre disputas a respeito de lei que revê dívidas com a União, e “Mestres indisciplinados”, acerca de greve de professores de SP. (Opinião A2)

————————————————————————————

EBC

Portal Cambé, site de informações e serviços de Cambé – PR.

Responda

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.