Ministério abre sindicância sobre FGTS; Após auditoria da CGU encontrar irregularidades, o Ministério do Trabalho anunciou sindicância para apurar o baixo retorno de aplicações do FGTS… – STF decide divulgar salários de ministros, servidores e inativos; Decisão unânime da mais alta corte da Justiça brasileira atende à nova Lei de Acesso à Informação. Valores irão para a internet junto ao nome dos beneficiários. – Governo avalia mais ações para destravar o crédito; (…) isenção do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) na portabilidade do crédito habitacional e um mecanismo que ajude a reestruturação da inadimplência bancária…

O Globo

Manchete: Câmara manobra contra punição de contas-sujas

Em sessão-relâmpago, deputados tentam derrubar decisão do TSE

Numa votação-surpresa, a Câmara aprovou ontem projeto que permite o registro de candidaturas de políticos que tiveram contas eleitorais reprovadas — os chamados contas-sujas. Na prática, é uma manobra para pressionar o Tribunal Superior Eleitoral a rever resolução deste ano que proíbe candidaturas de quem teve contas rejeitadas. Todos os partidos, com exceção do PSOL apoiaram a proposta. Numa articulação inusual, os deputados votaram, na mesma sessão, a urgência e o mérito do projeto, que seguirá agora para o Senado, Mesmo se for aprovado pelos senadores, porém, há dúvidas quanto à sua aplicação na eleição deste ano. Os partidos tinham recorrido ao TSE para tentar derrubar o veto aos contas-sujas, que impede 21 mil candidatos de concorrerem este ano. Como o TSE ainda não respondeu, a Câmara se antecipou. (Págs. 1 e 11)

Ex-diretor agia em nome da Delta

Cachoeira é levado da cadeia para sessão da CPI, mas se recusa a responder a qualquer pergunta

No dia em que o bicheiro Carlinhos Cachoeira passou duas horas e meia na CPI e se recusou a responder a qualquer pergunta, irritando deputados e senadores, o relator da comissão, deputado Odair Cunha (PT-MG), revelou que o ex-diretor da Delta no Centro-Oeste, Cláudio Abreu, tinha procuração da empresa para movimentar contas que teriam abastecido empresas de fachada do contraventor. Com base na informação, a CPI passa a ter dados para quebrar o sigilo da Delta em todo o país, o que vinha sendo evitado por parlamentares do PT e do PMDB, embora a Justiça do Distrito Federal já tenha quebrado o sigilo da construtora. O silêncio de Cachoeira, que teve o tempo todo a seu lado o advogado Márcio Thomaz Bastos, ex-ministro da Justiça, pode levar a uma revisão do trabalho da CPI. “Se estamos perguntando diante de uma múmia, o que vão pensar de nós?”, protestou a senadora Kátia Abreu (PSD). (Págs. 1, 3 a 10 e Elio Gaspari, 6)

Julgamento do mensalão deve durar de 3 a 5 semanas

O presidente do STF, ministro Ayres Britto, propôs ontem um cronograma para o julgamento do mensalão que prevê de 3 a 5 semanas de trabalhos, a serem iniciados em 4 de junho. O prazo, no entanto, depende da apresentação do voto do ministro revisor, Ricardo Lewandowski. (Págs. 1 e 12)

STF divulgará salários de ministros e servidores

O Supremo Tribunal Federal decidiu divulgar na internet o salário de seus ministros e funcionários. Serão publicados nome do servidor, vencimentos básicos e eventuais gratificações. A decisão, unânime, foi tomada para garantir o cumprimento da Lei de Acesso à Informação. (Págs. 1 e 11)

Trabalho escravo pode levar a confisco

A Câmara dos Deputados aprovou ontem, em segundo turno, uma Proposta de Emenda Constitucional que prevê a expropriação, sem qualquer indenização, de propriedades rurais ou urbanas onde for constatado trabalho escravo. A bancada ruralista era contrária ao projeto e travava sua tramitação desde 2004, mas ontem saiu derrotada. O texto agora será apreciado pelo Senado. (Págs. 1 e 13)

Brasileiros: 45% da renda vão para dívidas

O novo pacote do governo para evitar a queda do PIB, estimulando o consumo, foi lançado em meio ao endividamento recorde das famílias. Em abril, sô as dívidas financeiras representavam em média 45% da renda anual. Esse percentual era de 24,9% em janeiro de 2007. (Págs. 1, 21, 22 e Míriam Leitão)

Montadoras pressionaram por crédito

Ao justificar o incentivo às montadoras com corte de impostos de carros, o ministro Mantega admitiu que elas ameaçavam dar férias coletivas devido aos estoques altos e à falta de crédito. O governo estuda liberar mais recursos de depósitos compulsórios dos bancos. (Págs. 1 e 23)

Ministério abre sindicância sobre FGTS

Após auditoria da CGU encontrar irregularidades, o Ministério do Trabalho anunciou sindicância para apurar o baixo retorno de aplicações do FGTS. Atas das reuniões do Conselho do Fundo serão públicas. Assessor e suplente do Conselho foram exonerados. (Págs. 1 e 26)

Juiz do Rio não permite casamento gay

Sem decisão final da Justiça sobre o tema, um juiz do Rio nega todos os processos de casamento entre casais do mesmo sexo. Com base na decisão do STF que reconheceu a união estável, outros tribunais têm autorizado o casamento gay. (Págs. 1 e 14)

O Estado de S. Paulo

Manchete: Cachoeira se cala e CPI mira Delta

Diante do silêncio do contraventor, alvo central da comissão, parlamentares podem avançar na quebra do sigilo nacional da empreiteira

O contraventor Carlinhos Cachoeira negou-se ontem a responder às perguntas elaboradas pela CPI que se dedica a investigar o escândalo do qual é pivô. O impasse gerado por sua falta de colaboração teve um efeito colateral indesejado pela base aliada: colocou a Delta no alvo da CPI, que deve avançar na quebra de sigilo nacional da empreiteira. Com ar irônico, que beirou o deboche, Cachoeira repetiu que só vai falar após sua audiência judicial, marcada para 31 de maio e 1º de junho. Quarenta perguntas depois, a CPI acatou a sugestão da senadora Kátia Abreu (PSD-TO) para encerrar a sessão. “Estamos aqui perguntando a uma múmia. Não vou ficar dando ouro para bandido”, disse. Ainda assim, houve embate entre governo e oposição: de um lado, os aliados do Planalto e o PT, que tentaram envolver o governador de Goiás, o tucano Marconi Perillo, no esquema de Cachoeira; de outro, os tucanos, que fizeram perguntas que citavam o governador do Distrito Federal, o – petista Agnelo Queiroz, que teve assessores flagrados em negociações com Cachoeira. (Págs. 1 e Nacional A4, A6 e A7)

Carlinhos Cachoeira
Contraventor

“Não vou falar. Pedimos para reavaliar nossa vinda aqui. Quem forçou para eu vir aqui foram os senhores”

Kátia Abreu
Senadora (PSD-TO)

“Estamos aqui perguntando a uma múmia. Não vou ficar aqui dando ouro para bandido”

Márcio Thomaz Bastos: De ministro a advogado de bicheiro

A defesa de Carlinhos Cachoeira está a cargo de Márcio Thomaz Bastos, ex-ministro da Justiça. Saudado na CPI como “digníssimo” e “grande jurista”, Thomaz Bastos já avisou que seu cliente jamais falará com a comissão. Em entrevista a Fausto Macedo, ele negou constrangimento com o silêncio: “Ao contrário, foi uma coisa respeitosa”. (Págs. 1 e Nacional A6 e A7)

Jovens ficam sem partido na eleição egípcia

O Egito chega hoje à sua primeira eleição presidencial após a queda de Hosni Mubarak sem que os jovens que lotaram a Praça Tahir para tirar o ditador tenham conseguido se organizar em um partido, informa o enviado Roberto Simon. Eles vão às urnas divididos. (Págs. 1 e Internacional A11 e A13)

Mercado reage mal a pacote de estímulo

O pacote de estímulo ao consumo lançado pelo governo teve efeito negativo no mercado financeiro. A Bovespa fechou em queda, o dólar deu novo salto e os juros no mercado futuro dispararam. Para os investidores, as medidas, além de tímidas, não reforçam a oferta. (Págs. 1 e Economia B1)

Justiça barra, mas metroviário aprova greve

Os metroviários e o governo de São Paulo não chegaram a um acordo sobre reajuste de salários e a categoria decidiu entrar em greve. O Metrô conseguiu ontem na Justiça do Trabalho liminar que determina 100% de operação no horário de pico (5h às 9h e das 17h às 20h) e 85% nos demais horários. (Págs. 1 e Cidades C1)

Prejuízo com a seca pode superar R$12 bi (Págs. 1 e Vida A17)

Tutty Vasques

‘Somos uns boçais!’

O ser humano não tem cura! Basta acenar com um carrinho mil e essa raça abana o rabinho para medidas que facilitam a compra de veículos. (Págs. 1 e Cidades C6)

Dora Kramer

Cru e quente

Como ocorre aos apressados, a CPI do Cachoeira degustou o prato tão cru quanto quente, por força de um princípio constitucional elementar. (Págs. 1 e Nacional A6)

Notas & Informações

Prisioneiro do ressentimento

O ex-presidente Lula está mais velho e mais sofrido, mas nem por isso mais sábio. (Págs. 1 e A3)
————————————————————————————

Correio Braziliense

Manchete: O cinismo da esfinge

Irônico, Cachoeira foge de todas as perguntas, irrita deputados e senadores, e deixa a sensação de que a CPI, a cada dia mais desacreditada, empacou de vez

Logo no início da sessão, o bicheiro fez até piada: “Essa é uma boa pergunta para ser respondida depois”, debochou, amparado pela Constituição que lhe dá o direito ao silêncio. A senadora Kátia Abreu ficou enfurecida. “Estamos aqui perguntando para uma múmia”, disse. E defendeu o encerramento imediato do depoimento na CPI, que investiga as ligações políticas do esquema criminoso chefiado por Carlinhos Cachoeira. Frustrados, alguns parlamentares temem o enterro precoce da comissão. (Págs. 1, 2 a 4 e Visão do Correio, 14)

Quebra de sigilo da Delta surpreende CPI (Págs. 1 e 3)

Cheia de Charme: Mulher de bicheiro causa frisson

Mendonça, de camisa branca, provocou alvoroço entre parlamentares, servidores e jornalistas ao chegar ao Congresso para acompanhar o depoimento do marido, Carlinhos Cachoeira, e logo foi apelidada de “Musa da CPI”. (Págs. 1 e 4)

Presidente da Câmara se agarra a mordomia

Casa, comida, carro, avião… Marco Maia (PT-RS) acha pouco. Diz que deputados têm menos benefícios que a população e defende 14° e 15° salários. (Págs. 1 e 6)

Mensalão: Três sessões semanais para julgar o processo

Os ministros do STF definiram ontem a realização de mais plenárias durante o período de análise dos processos contra os 38 réus do caso. A expectativa é de que o julgamento dure seis semanas, com a extensão dos horários para a noite. O cronograma final, no entanto, ainda não foi aprovado. (Págs. 1 e 5)

Lei mais rígida pune o trabalho escravo no país (Págs. 1 e 8)

IPI menor: Vendas de carros devem crescer 20%

Após amargarem queda nos negócios em abril, as concessionárias apostam no aumento da procura por veículos novos. Muitos consumidores foram conferir os preços depois da redução de impostos – os descontos chegam a 10% — e alguns já saíram com um zero km. (Págs. 1, 10 e 31)

————————————————————————————

Valor Econômico

Manchete: Governo avalia mais ações para destravar o crédito

Enquanto aguarda o desenrolar da crise na zona do euro, com a possível saída da Grécia da união monetária, o governo prepara mais quatro ações para destravar o crédito e estimular a retomada. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, revelou ontem que avalia a isenção do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) na portabilidade do crédito habitacional e um mecanismo que ajude a reestruturação da inadimplência bancária. Analisa também a ampliação do crédito e redução de seu custo para motocicletas e a desoneração do PIS/Cofins pagos pelas companhias de saneamento básico.

O ministro informou que a intenção do governo é permitir ao mutuário transferir a sua dívida para outro banco que apresentasse condições mais favoráveis de pagamento. Essa operação, segundo Mantega, seria feita sem o pagamento do IOF ou de qualquer outra taxa. Hoje, os bancos cobram tarifas elevadas para permitir a transferência dos débitos. (Págs. 1 e A3 a A6)

Inadimplência força bancos a renegociar

Os bancos estão autorizando os escritórios de cobrança a renegociar financiamentos de automóveis em atraso. A prática, que inclui a redefinição das condições da dívida (juros e prazo), era incomum, uma vez que, nesses financiamentos, o carro é a garantia real do crédito. “Os bancos têm mudado a orientação para uma política de conciliação com o cliente em atraso”, diz Leonardo Coimbra, sócio do Grupo Cercred, empresa de recuperação de crédito.

A depreciação dos carros usados provoca perdas porque quanto mais baixo o valor do bem, menos dinheiro o banco recupera com sua retomada. Se os bancos não renegociarem os contratos, a inadimplência das carteiras, hoje em 5,5%, ficará ainda mais alta. (Págs. 1 e C12)

Incentivo aos carros, sem contrapartida

O elenco de medidas anunciado pelo governo nesta semana ajudará a aumentar a venda de automóveis, mas segue na contramão do que governos de outros países têm feito para envolver os automóveis em planos de mobilidade urbana sustentável. A expressiva maioria dos programas de incentivos lançados no mundo nos quatro últimos anos atrela a redução de impostos à eficiência energética e controle de emissões.

Recentemente, os técnicos da equipe econômica chegaram a uma fórmula para atrelar incentivos fiscais ao consumo de combustível dos veículos, como se faz, há algum tempo, nos Estados Unidos e Europa. Mas representantes da indústria discordaram da metodologia e o plano foi adiado. (Págs. 1 e A6)

Fotolegenda: Enfim, eleições

Líderes religiosos ouvem discurso do candidato da Irmandade Muçulmana à presidência, Mohanimed Morei, nas eleições de hoje e amanhã no Egito, a primeira após seis décadas sob jugo militar. No total, são 12 concorrentes e ninguém pode prever com segurança quem será vencedor. (Págs. 1 e A11)

Zona do euro tenta evitar ruptura

Em reunião hoje, líderes europeus devem anunciar alguma medida para suavizar o baque do programa de austeridade nas economias em crise da zona do euro. Mas, a portas fechadas, vão discutir políticas controversas para tentar reformar a máquina econômica do bloco.

Com a crise política na Grécia ameaçando despedaçar a zona do euro, a oposição alemã a medidas mais drásticas será novamente questionada pelos países com finanças públicas mais debilitadas. É pouco provável que o encontro produza decisões, mas as eleições gregas no mês que vem podem mudar radicalmente o cálculo político na zona do euro. (Págs. 1 e A11)

Captação de debêntures da Rodovias do Tietê é adiada

A Rodovias do Tietê, concessionária que administra 406 quilômetros de estradas no interior de São Paulo, deve adiar pela segunda vez o fechamento de sua oferta de R$ 650 milhões em debêntures. A empresa foi a primeira a receber autorização para captar recursos no mercado conforme a Lei nº 12.431, que reduziu a zero a alíquota do Imposto de Renda no investimento de pessoas físicas e estrangeiros em debêntures de projetos de infraestrutura. A concessionária é uma Sociedade de Propósito Específico (SPE) controlada igualmente pelo grupo Bertin e pela portuguesa Ascendi.

A emissão, prevista para fechar na quarta-feira passada, foi adiada para hoje e agora deverá passar para o dia 30, apurou o Valor. Procurados, a companhia e o Barclays, coordenador líder da oferta, não comentaram o assunto. (Págs. 1 e C12)

WTorre negocia com ALL criação de um porto em Praia

A América Latina Logística (ALL) negocia com a WTorre a construção de um terminal portuário em Praia Grande, no litoral de São Paulo, com investimentos totais estimados em R$ 5 bilhões. O objetivo da ALL, que persegue um plano de diversificação dos negócios, é encontrar um meio de expandir a capacidade de exportação de sua mais nova empresa, a Vetria Mineração, de extração e beneficiamento de minério de ferro em Corumbá (MS).

Até agora, a Vetria faria o embarque do minério por um terminal a ser erguido em Santos. Esse terminal, no entanto, não atende toda a capacidade futura demandada pela empresa. A projeção é produzir 20 milhões de toneladas de minério por ano no início da operação (programada para 2016), podendo chegar a 27,5 milhões nos anos seguintes. (Págs. 1 e B1)

Cresce reação à proposta de súmula vinculante sobre guerra fiscal (Págs. 1 e E1)

Arrecadação cresce menos

A arrecadação de tributos federais somou R$ 92,6 bilhões em abril, alta de 3,49% sobre o mesmo mês de 2011, descontada a inflação. O crescimento real caiu pela metade comparado à média de janeiro a março. (Págs. 1 e A5)

Chávez “constrói” sua reeleição

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, usa programa habitacional inspirado no Minha Casa, Minha Vida para movimentar a economia do país e alavancar sua candidatura à reeleição. (Págs. 1 e A14)

BBC lança mais um canal no Brasil

A BBC vai estrear na segunda-feira um novo canal no Brasil. A programação do BBC HD será formada por séries, documentários, musicais e outros programas de entretenimento produzidos pela rede britânica. (Págs. 1 e B3)

Passaredo amplia a frota

Com planos de dobrar o número de rotas no Brasil em três anos, a Passaredo anunciou ontem, na França, contrato de US$ 450 milhões com a fabricante de turboélices ATR para a compra firme de dez aeronaves e opção por mais dez. (Págs. 1 e B6)

Êxito brasileiro na Farm Bill

Investida brasileira no Congresso americano contra medidas protecionistas aos produtores rurais dos EUA começa a fazer efeitos e proposta da Farm Bill exclui garantia de preço ao algodão. (Págs. 1 e B15)

Socorro ao algodão

Governo se prepara para eventual apoio à comercialização do algodão. Há dois anos sem subsídios, a colheita começa em dez dias e metade da produção esperada entrará no mercado com preços, em média, 25% mais baixos que há um ano. (Págs. 1 e B16)

Compras defensivas

Com o consumo em alta e a boa previsibilidade quanto à geração de caixa, as ações das empresas de shoppings centers ganham destaque como papéis defensivos na bolsa, ao lado das elétricas. (Págs. 1 e D2)

Novas oportunidades

Bom momento do mercado de seguros no Brasil, com o crescimento da economia e o fim do monopólio oficial na área de resseguros, valoriza os executivos do setor e atrai ao país profissionais que até então faziam carreira no exterior, como Peter Rebrin, da Zurich. (Págs. 1 e D3)

Ideias

Cristiano Romero

Há sinais concretos de que o crédito, após seguidas rodadas de redução dos spreads bancários, começa a fluir. (Págs. 1 e A2)

Ideias

Martin Wolf

Não se pode transformar economias enfraquecidas do euro em regiões permanentemente sustentadas por transferências. (Págs. 1 e A13)
————————————————————————————

Estado de Minas

Manchete: Ninguém merece tanto deboche

Foi um escárnio. Obrigado por decisão do Supremo Tribunal Federal a depor na CPI que investiga seu envolvimento com políticos, o bicheiro Carlinhos Cachoeira não só se negou a responder às perguntas como chegou a ironizar os parlamentares. Mesmo assim, deputados e senadores não abriram mão dos holofotes, insistindo nas indagações e em reações de revolta diante do silêncio do contraventor. A presença ostensiva do ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos, advogado de Cachoeira, defendendo seu cliente e justificando sua negativa em colaborar com a comissão, gerou indignação nas redes sociais. (Págs. 1, 3, 4 e o Editorial ‘Um tapa no rosto’, 8)

R$ 42,5 mil
Custo do silêncio de Cachoeira, somando-se um dia de trabalho de 32 parlamentares na CPI à despesa com o efetivo da Polícia Federal.

Ninguém merece tanto transtorno

Foram 274 toneladas e 10 quilômetros de aborrecimento, das 5h30 às 8h45 de ontem, no Anel Rodoviário e em outros corredores de BH. Acarreta bitrem saiu de João Monlevade, no Vale do Aço, levando uma grande peça usada em plataforma de petróleo para o Rio de Janeiro. Próximo ao Bairro Buritis, Região Oeste da capital, houve pane em um dos dois caminhões que puxavam a carga. Não havia no comboio um veículo para substituí-lo de imediato e a via foi fechada até a chegada de reboques da BHTrans: não há no Anel estrutura para solução de problemas em situações de emergência. O caos é resultado também de uma ação mal planejada para um transporte considerado de risco em uma rodovia de grande movimento. (Págs. 1, 19 e 20)

195 minutos

Tempo que o Anel Rodoviário ficou interditado no sentido Belo Horizonte-Rio, até a chegada dos reboques e a abertura parcial da pista.

Machismo: Passageiro deixa avião pilotado por mulher

Homem é expulso de voo da Trip em Confins ao se recusar a decolar sob comando feminino. (Págs. 1 e 25)

Calote: Custo do carro vai além das prestações

A compra financiada pensando apenas no custo da parcela explica a alta de 5,7% da inadimplência nesse setor de janeiro a março. Para um carro de R$ 50 mil, com R$ 15 mil de entrada, a mensalidade de R$ 1.277 é acrescida de R$ 1.187,60, em média, com IPVA, taxas, seguro, revisão, gasolina e outras despesas. (Págs. 1 e 12)

Bancos

Juros caem, mas tarifas sobem o triplo da inflação. (Págs. 1 e 13)
————————————————————————————

Jornal do Commercio

Manchete: Fifa aposta em Pernambuco

Entidade confirma Estado na Copa das Confederações, mas é necessário cumprir prazos para se manter como sede.

Alternativas

Fifa tem diferentes tabelas para o “ensaio” da Copa de 2014, no caso de alguma cidade não atingir suas metas.

Alta no custo

Obras da arena devem ser finalizadas até fevereiro, dez meses antes do prazo, e governo vai bancar os extras.

Programação

Estado deve sediar três jogos da Copa das Confederações, nenhum do Brasil. (Págs. 1, Esportes 1, e Economia 2 e 4)

João da Costa e Rands buscam apoio no PT

Nos bastidores pré-candidatos pressionam a Executiva Nacional que amanhã deve decidir sobre a prévia do partido. (Págs. 1, 3 a 5)

Hora da virada no ensino público

Alunos e professores da rede estadual estão ansiosos com a chegada dos tablets. (Págs. 1 e 2)

Silêncio de Cachoeira esvazia sessão da CPI (Págs. 1 e 6)

Governo estuda medidas contra a inadimplência (Págs. 1 e Economia 5)

Propostas para impedir o uso eleitoral da seca

Entidades querem enviar troca de água por voto. Ontem choveu em duas áreas do Sertão. Dívidas de agricultores serão renegociadas. (Págs. 1, Cidades 2 e Economia 3)
————————————————————————————

Zero Hora

Manchete: STF decide divulgar salários de ministros, servidores e inativos

Decisão unânime da mais alta corte da Justiça brasileira atende à nova Lei de Acesso à Informação. Valores irão para a internet junto ao nome dos beneficiários. (Págs. 1, 8 e 10)

IPI dos carros: Economia acelerada e trânsito paralisado

Ao ativar vendas, governo aquece setor que detém 8% da riqueza do país, mas gera sacrifícios para as cidades. (Págs. 1 e 14)

Fotolegenda: Cachoeira na CPI

Bicheiro ficou calado diante da comissão que investiga escândalo de corrupção e tráfico de influência do qual é o suposto pivô. (Págs. 1 e 6)

Por que famosos entraram no “Veta, Dilma”

Ambientalistas orientam artistas na luta contra texto do Código Florestal. (Págs. 1, 4 e 5)

Egito: A Primavera Árabe testada nas urnas

Depois de seis décadas de ditadura, 52 milhões de egípcios começam a eleger hoje o presidente. (Págs. 1 e 20)

A seca “engole” os rios (Págs. 1 e 21)

————————————————————————————

Brasil Econômico

Manchete: Crise dos bancos da Espanha se agrava e mobiliza líderes europeus

A delicada situação das instituições espanholas será o principal tema da reunião dos chefes de Estado da Europa hoje, em Bruxelas. Estimativas indicam € 184 bi em créditos de reembolso duvidoso, o que representa 60% do total das carteiras. (Págs. 1 e 36)

Pacote de incentivos provoca polêmicas

Enquanto o comércio aplaude redução de impostos, economistas avaliam que endividamento das famílias vai atrapalhar a venda de veículos. (Págs. 1 e 4)

Só 8% dos multimercados dão um bom retorno (Págs. 1 e 30)

Nada a declarar

Carlinhos Cachoeira entrou mudo e saiu calado, mas seu silêncio pode fazer barulho, pois aumentou a pressão para a CPI quebrar os sigilos bancário, fiscal e telefônico da empreiteira Delta. (Págs. 1 e 8)

A rival colombiana que enfrenta a CCR

A ISA, que já atua no Brasil na área de energia, prepara estreia em concessão de rodovias. (Págs. 1 e 16)

Faturamento de cartões salta 23%

No primeiro trimestre do ano, receita do setor atingiu R$ 178 bi, de acordo com a Abecs. (Págs. 1 e 31)

É pouco!

Só a Petrobras está entre as 100 marcas mais valiosas do mundo. Porque o país não emplaca grifes lá fora? (Págs. 1 e 24)
Clipping Radiobrás

Edição: Equipe Fenatracoop

Portal Cambé, site de informações e serviços de Cambé – PR.

Responda

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.