Os dados coletados na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua) de 2019, divulgada no último dia 31 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostram o crescimento no número de trabalhadores que vivem com o teto de até um salário mínimo

Baixa remuneração

A pesquisa revelou que o número de brasileiros que vivem com até um salário mínimo cresceu. Embora a taxa média de pessoas desempregadas tenha caído de 12,3% para 11,9% no último ano, a retomada da economia têm acontecido lentamente e com a abertura de vagas com baixa remuneração e o crescimento da informalidade. Além disso, há uma diferença entre salarial entre 

Entre Julho e Setembro de 2019, o número de trabalhadores que recebem até um salário mínimo (na época, R$998 ao mês) chegou a 27,3 milhões, que representa ⅓ dos trabalhadores do país. Comparado ao mesmo período de 2015, auge da crise econômica no país, a diferença é de 1,6 milhões de trabalhadores. 

Salário por região e escolaridade

A região que possui mais pessoas ganhando até um salário mínimo é o nordeste, com 11,3 milhões de pessoas. O número representa 55% dos trabalhadores da região. 

Em seguida, aparece o sudeste, com 8,7 milhões; o norte com 3,2 milhões; sul com 2,3 milhões e centro-oeste com 1,8 milhões. 

Cresceu também o número de trabalhadores com maior nível de escolaridade que passaram a receber salários menores. Entre 2014 e 2019, houve um crescimento de 509 mil trabalhadores que possuem ensino superior e recebem um salário, chegando a 1,2 milhões. Já o número de trabalhadores que possuem ensino médio chegou a 9,6 milhões e teve um crescimento de 2 milhões em quatro anos. Os trabalhadores sem instrução tiveram uma queda, de 13 milhões em 2014 para 11,3 milhões em 2019. Isso significa que trabalhadores sem instrução estão cada vez mais fora do mercado de trabalho e não chegam a ganhar um salário mínimo mensal para viver. Já os trabalhadores com maiores níveis de instrução passaram a aceitar empregos formais com menores remunerações ou passaram a trabalhar na informalidade. 

Salário mínimo real x salário mínimo ideal

IBGE também divulga todos os meses o valor do salário mínimo ideal do período. O salário mínimo ideal é o valor ideal para garantir o sustento de uma família composta por dois adultos e duas crianças, afim de atender as necessidades básicas de moradia, alimentação, saúde, educação, transporte, além de lazer, higiene e Previdência Social. 

Para o mês de setembro de 2019, quando o salário mínimo era de R$998,00, o salário mínimo ideal calculado era de R$ 3.980,82. Atualmente, com o salário mínimo fixado em R$1.045,00, o mínimo ideal chega a R$ 4.400, representando 4,2x o valor estimado pelo governo. 

Para saber mais sobre os números completos e a análise da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua sobre o terceiro trimestre de 2019, acesse o relatório completo em pdf.

Outros temas que podem te interessar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.