O Sindicato Rural de Cambé sediou reunião de produtores e técnicos sobre o projeto de eliminação de BHC em desenvolvimento no Paraná. No município, o prazo para a devolução do produto e de outros agrotóxicos proibidos por lei termina no dia 26 de abril. O armazém temporário onde o material deve ser levado fica no seguinte endereço: Avenida Tiradentes, 4946, na Cocamar (antiga Corol/Valcoop), ao lado da Cacique. O horário de funcionamento é das 8 às 12 horas e das 13h30 às 17h30.
Durante a reunião o agrônomo da Emater em Cambé, Alcides Bodnar, esclareceu os participantes sobre os cuidados necessários no manuseio e no transporte dos agrotóxicos. O coordenador regional da Emater em Londrina, Ildefonso Hass, afirmou que com o projeto o Governo do Estado “tirou um fardo pesado das costas dos agricultores que tem BHC em suas propriedades”. Também participaram o chefe do Núcleo Regional em Londrina da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento, Antonio Carlos Barreto; o presidente do Sindicato Rural de Cambé, João Menolli, e o secretário municipal de Agricultura e Meio Ambiente de Cambé, Claudiney Gloor.
Em Cambé 34 produtores declararam possuir 12.650 quilos de BHC e 16.835 quilos de outros agrotóxicos proibidos, totalizando 29.985 quilos de produtos a serem recolhidos pelo projeto. No Paraná são cerca de 630 toneladas de agrotóxicos de aproximadamente dois mil agricultores a serem devolvidos até julho de 2012.
O projeto de eliminação de BHC e outros produtos proibidos é considerado pioneiro no Brasil. A iniciativa é da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recurso Hídricos (Instituto das Águas – Águas Paraná e Instituto Ambiental do Paraná) e da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento (Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural, Emater), com a parceria de representantes do setor privado, Sistema Ocepar e Sistema Faep.
Os produtores que participaram da reunião em Cambé receberam kits de segurança personalizados contendo sacos de condicionamento dos produtos, EPIs completos e folhetos explicativos sobre os procedimentos da operação, locais de devolução e uma cópia da portaria 012, de 2012, do IAP para transporte do material. O documento deve ser apresentado na devolução juntamente com a via da autodeclaração feita em 2009, quando o projeto foi iniciado. Os dados cadastrais do produtor que declarou dispor de agrotóxicos proibidos também devem ser apresentados. “No ato da devolução será fornecida uma certidão atestando que os produtos foram devidamente entregues ao Governo do Estado e que os declarantes estão isentos de responsabilidades”, informam os organizadores.
Os produtos devolvidos ficam temporariamente nos armazéns até serem enviados para incineração. Em 2009, quando o projeto foi iniciado, os produtores tiveram a oportunidade de declarar a existência do BHC e de outros produtos proibidos em suas propriedades rurais com o respaldo da Lei Estadual 16082/2009, que isentou os declarantes de quaisquer sanções cíveis, penais ou administrativas relacionadas à posse desses produtos.

 

Portal Cambé, site de informações e serviços de Cambé – PR.

Responda

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.