Bilhete indica que Marcola mandou matar comparsas
Bilhete apreendido na Penitenciária 2 de Presidente Venceslau indica que Marcola, o chefe do PCC, mandou matar Gegê do Mangue e Paca, integrantes da facção assassinados no Ceará. Eles eram acusados de roubar R$ 20 milhões do PCC. À noite, bandidos executaram em São Paulo, a tiros de fuzil, o chefe do grupo na Baixada….
Casos de febre amarela quase dobram no País este ano
O número de casos e mortes por febre amarela em janeiro e fevereiro quase dobrou em relação ao mesmo período de 2017. Até o dia 20, foram confirmados 541 casos da doença, com 163 mortes em todo o País. No ano passado, até essa data, informes do Ministério da Saúde indicavam haver 292 confirmações da infecção, com 97 óbitos. O ministro Ricardo Barros propôs vacinação em todo o País este ano…
Assessor de Beto Richa é investigado
Carlos Nasser, assessor da Casa Civil na gestão do governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), é suspeito de integrar esquema de fraudes em obras do DER. Alvo da Lava-Jato, ele foi afastado do cargo ontem…
————————————————————————–

O Globo

Manchete: Interventor pede volta de 3.113 policiais e agentes cedidos
General Braga Netto suspende novos empréstimos de pessoal
PMs, agentes penitenciários e bombeiros estão em órgãos como Alerj e tribunais

Em reunião no Comando Militar do Leste, nesta semana, oficiais do Exército avisaram que o general Braga Netto quer de volta a seus postos os 3.113 policiais da PM e da Civil, bombeiros e agentes da Secretaria de Administração Penitenciária que estão cedidos a outros órgãos, como a Assembleia Legislativa, o Tribunal de Justiça, o Ministério Público e prefeitura, entre outros. O interventor já determinou a suspensão de novos empréstimos de pessoal. Assessores de Braga Netto verificaram que 2.044 PMs estão fora dos quartéis, número maior que o de homens empregados no policiamento dos 13 municípios da Baixada Fluminense. (PÁGINA 7)

Um general será o novo secretário de Segurança
Um general da ativa será o novo secretário de Segurança Pública do Rio, sob o comando do interventor, general Braga Netto. Entre os nomes mais cotados, está o de Richard Fernandez Nunes, atual comandante do Estado-Maior do Exército no Rio. (PÁGINA 8)

Bandidos torturam mulher acusada de ser informante
Uma mulher de 66 anos foi torturada por traficantes na favela Kelson’s, na Penha, onde tropas federais fizeram operação na terça. Acusada de ser informante, ela foi salva pela polícia. (PÁGINA 9)

Juízes preparam greve por privilégio
A Associação dos Juízes Federais convocou para 15 de março uma paralisação de 24 horas. O objetivo é pressionar o Supremo Tribunal Federal a manter, em votação prevista para a semana seguinte, o privilégio do auxílio-moradia, que lhes permite ganhar acima do teto constitucional de R$ 33,7 mil. (PÁGINA 3 e Bernardo Mello Franco)

União deve pagar IPTU de aeroporto
As prefeituras começaram a cobrar IPTU de aeroportos privatizados. A conta, de até R$ 120 milhões, deve ficar para a União, pois não estava prevista nos contratos. A ideia é descontar das outorgas. (PÁGINA 17)

Assessor de Beto Richa é investigado
Carlos Nasser, assessor da Casa Civil na gestão do governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), é suspeito de integrar esquema de fraudes em obras do DER. Alvo da Lava-Jato, ele foi afastado do cargo ontem. (PÁGINA 6)

Esperando a ‘balsa família’ passar
No aeroporto de Brasília, Crivella faz piada com enchente
Após mais um temporal que deixou vários bairros do Rio inundados, o prefeito Crivella, novamente ausente durante uma crise, fez piada com as enchentes. No aeroporto de Brasília, disse que um novo programa será lançado, o “Balsa Família”. No Jardim Maravilha, em Guaratiba, moradores estão cercados pela água desde a chuva do dia 14, que deixou 4 pessoas mortas na cidade. (PÁGINA 12)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete: Meirelles admite disputar Presidência contra Temer
Ministro da Fazenda diz que pensa em concorrer ao Planalto e que, com presidente, ‘competição seria maior’
O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, admitiu ao Estadão/Broadcast que nem mesmo a entrada de Michel Temer na disputa pela Presidência inibiria sua intenção de concorrer ao cargo. “Seria uma competição. Evidentemente, com mais candidatos fora dos dois extremos, a competição seria maior”, disse. Apesar de admitir que “pensa no assunto”, o ministro afirmou que não decidiu se será candidato ao Planalto. “Não acho razoável um ministro já em campanha.” Para concorrer, Meirelles tem de deixar o cargo até 7 de abril. Ele, no entanto, enfrenta dificuldades para pôr o projeto eleitoral de pé. Seu partido, o PSD, articula apoio a Geraldo Alckmin (PSDB) em troca da vaga de vice ao governo de São Paulo em uma possível chapa liderada pelo prefeito João Doria (PSDB). Meirelles tem até o fim de março para mudar de sigla e já conversa com MDB e com outras legendas, como o PRB. (POLÍTICA / PÁG. A4)

Em busca de visibilidade
Henrique Meirelles consultou marqueteiros para saber como tornar seu nome mais conhecido, informa a Coluna do Estadão. Entre eles, Duda Mendonça, que fez campanhas de Maluf e Lula, e Eduardo Fischer, que trabalhou para Joesley Batista. (PÁG. A4)

Casos de febre amarela quase dobram no País este ano
O número de casos e mortes por febre amarela em janeiro e fevereiro quase dobrou em relação ao mesmo período de 2017. Até o dia 20, foram confirmados 541 casos da doença, com 163 mortes em todo o País. No ano passado, até essa data, informes do Ministério da Saúde indicavam haver 292 confirmações da infecção, com 97 óbitos. O ministro Ricardo Barros propôs vacinação em todo o País este ano. (METRÓPOLE / PÁG. A11)

Segurança do Rio ficará com general da ativa
O general de divisão Richard Fernandez Nunes é o nome mais cotado para a Secretaria da Segurança do Rio. Desde 2016, ele é comandante da Escola de Comando e Estado-Maior do Exército. O interventor, Walter Braga Netto, optou por generais em postos-chave. (METRÓPOLE / PÁG. A13)

Bilhete indica que Marcola mandou matar comparsas
Bilhete apreendido na Penitenciária 2 de Presidente Venceslau indica que Marcola, o chefe do PCC, mandou matar Gegê do Mangue e Paca, integrantes da facção assassinados no Ceará. Eles eram acusados de roubar R$ 20 milhões do PCC. À noite, bandidos executaram em São Paulo, a tiros de fuzil, o chefe do grupo na Baixada. (METRÓPOLE / PÁG. A14)

Vaga formal fica com candidato ‘bom e barato’
Postos que exigem qualificação mais baixa continuarão a ser preenchidos por candidatos com melhor nível de escolaridade em 2018. São os profissionais “bons e baratos”. É o que mostra estudo da Confederação Nacional do Comércio. (ECONOMIA / PÁG. B4)

Colunistas
Eliane Cantanhêde
Fim de foro privilegiado e de prisão em 2ª instância beneficiará presos da Lava Jato. (POLÍTICA / PÁG. A6)

Fernando Gabeira
Uma nova geração de brasileiros está surgindo do drama dos venezuelanos. (ESPAÇO ABERTO / PÁG. A2)

Notas & Informações
Sai a reforma, ficam as contas
O novo presidente terá de enfrentar os efeitos de uma dívida crescente, a expansão veloz do gasto obrigatório e o peso cada vez maior das aposentadorias. (PÁG. A3)

Quando muita gente fala
O ano de 2019 é uma incógnita. É momento de cuidado, impróprio para boquirrotos. (PÁG. A3)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete: PM do Rio tem mais sargentos do que soldados
Colapso na hierarquia da Polícia Militar fluminense gera improvisos e interfere na segurança pública do Estado
Medida adotada pelo governo do Rio na década de 1990 e acentuada ao longo dos anos levou a Polícia Militar a um colapso em sua organização hierárquica. A ação causou promoção desmedida de policiais ao posto de sargento, levando o Estado a ter, hoje, mais homens com a patente que soldados, seus subordinados. Para especialistas, a situação gerou improvisos operacionais e interferiu na qualidade do policiamento. Agravou também as finanças do governo, já que, com as promoções, cresceu o gasto com folha de pagamento. Segundo dados da PM fluminense obtidos pela Folha, a corporação tem cerca de 46 mil homens e mulheres na ativa. Desse total, praticamente um terço (15.070) é composto por sargentos —que, pela hierarquia militar, fiscalizam e orientam os subordinados e dão padrão às atividades desenvolvidas. Já os soldados eram só 14.872 até meados do ano passado e os cabos, 7.319. O contingente em São Paulo é de 84.652 policiais militares, que incluem os bombeiros. Há 10.604 sargentos, 31.555 soldados e 35.836 cabos. (Cotidiano Bl e B2)

Inquérito sobre ex-diretor da Dersa ligado ao PSDB tem falhas
Investigação sobre contas na Suíça atribuídas a Paulo de Souza, diretor da Dersa na gestão José Serra em SP e apontado como operador do PSDB, é marcada por lacunas e atos não rotineiros. Mesmo com inquérito sob seu controle, a procuradora – geral, Raquel Dodge, passou o caso à Procuradoria em SP, e a PF não foi avisada das contas. Souza quer a anulação da investigação. Serra não se pronunciou. (Poder A4)

Mônica Bergamo
Meirelles sonda Duda Mendonça para campanha (Ilustrada C2)

Segmento de gás e eletricidade atrai aportes externos
Em meio à perda de espaço do investimento em infraestrutura na economia nos últimos anos, o setor de eletricidade e gás se destaca ao atrair dinheiro estrangeiro. Segundo o Banco Central, os aportes externos quadruplicaram em 2017, e o ritmo deve se manter. (Mercado pág. 1)

Concentração e juro alto favorecem lucros dos maiores bancos (Mercado pág. 12)

Colunistas
REINALDO AZEVEDO Medo dos adversários é que ação revele bom governo que faz Temer (Poder A6)

VLADIMIR SAFATLE
Imagem de mão forte contra o crime cai do céu para esta gestão (Ilustrada C8)

FERNANDA TORRES
Segurança tomou o lugar do futebol na vida dos brasileiros (Ilustrada C5)

RENATO TERRA
Intervenção midiática obrigará soldado a usar o celular na horizontal (Ilustrada C6)

Editorial
Leia “Sem juízo”, sobre pressões de magistrados para manter o auxílio-moradia. (Opinião A2)

————————————————————————————

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.