Manchete dos Jornais nesta sexta-feira, 29 de abril de 2016
Postado por: Equipe Portal Cambé Em 29th abril 2016

Henrique Meirelles, Romero Jucá e Moreira Franco completam núcleo duro
O vice Michel Temer deve fazer de José Serra (PSDB-SP) um interlocutor com o empresariado e alojá-lo num Ministério das Relações Exteriores fortalecido pelo comando do comércio exterior. Serra integrará um núcleo duro da economia, do qual também deverão fazer parte Henrique Meirelles, na Fazenda, Romero Jucá, no Planejamento, e Moreira Franco, numa supersecretaria ligada à Presidência que coordenará concessões, Parcerias Público- Privadas (PPP) e privatizações. A missão do quarteto é reerguer a economia. Serra terá de fortalecer as exportações, por meio de acordos com os principais mercados do mundo – a avaliação é de que o PT errou ao priorizar países emergentes. Já Moreira Franco, que não terá status de ministro, deve trazer ao Brasil recursos que estão circulando no mundo em busca de negócios. Na próxima semana, Temer pretende formalizar o convite para Meirelles na Fazenda. Ele escolherá o presidente do Banco Central. Já Jucá (PMDB-RR) ficará num Planejamento fortalecido pelo comando do BNDES. Caberá a ele aprovar medidas duras de ajuste nas contas…


O Globo

Manchete : Temer convida Serra para Itamaraty e rejeita reeleição
Acordo para atrair apoio do PSDB inclui ficar fora da disputa de 2018
Depois de ser cotado para os ministérios da Saúde e da Educação no caso de o vice Michel Temer assumir o governo se o Senado aprovar o impeachment da presidente Dilma, o senador José Serra (PSDB) foi convidado para o Itamaraty, segundo Jorge Bastos Moreno. Para atrair apoios, especialmente do PSDB, Temer descartou disputar a reeleição em 2018. O Prêmio Nobel de 1980, Adolfo Pérez Esquivel, apoiado por petistas, falou em golpe no Senado e provocou protestos da oposição. (País)

Teori diz que STF tem de decidir se Cunha pode substituir Temer
A possibilidade de o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, continuar na linha sucessória da Presidência da República, mesmo sendo réu na Lava-Jato, precisa ser analisada pelo plenário do Supremo Tribunal Federal, defendeu ontem o ministro Teori Zavascki. Relator do pedido de afastamento de Cunha do cargo, Teori fez coro ao também ministro Gilmar Mendes, que alertara para o fato de a Constituição proibir réus de ocuparem a cadeira do Palácio do Planalto. Cunha já responde a três inquéritos na Lava-Jato e é réu em um deles no STF. (Pág. 3)

Reprovação e punição no Detran
Funcionário do Detran que reprovou uma filha de Eduardo Cunha num exame de direção, em 2008, foi perseguido, acusado de extorsão pelo deputado e punido com suspensão de 30 dias, informa Chico Otavio . (Pág, 3)

Pimentel repete Dilma
Assim como a presidente Dilma tentou nomear o ex-presidente Lula como ministro para livrá-lo do juiz Sérgio Moro, o governador de Minas, Fernando Pimentel, transformou a mulher, investigada como ele pela PF, secretária de Trabalho do estado. (País)

Uma bolsa de US$ 33 mil – No TCU, em meio à crise
O Tribunal de Contas da União pagou US$ 33 mil ao ministro Bruno Dantas por temporada de 2 meses de estudo em Nova York, revela Evandro Éboli (País)


O Estado de S. Paulo

Manchete : Temer define quarteto para economia com Serra no Itamaraty
Henrique Meirelles, Romero Jucá e Moreira Franco completam núcleo duro
O vice Michel Temer deve fazer de José Serra (PSDB-SP) um interlocutor com o empresariado e alojá-lo num Ministério das Relações Exteriores fortalecido pelo comando do comércio exterior. Serra integrará um núcleo duro da economia, do qual também deverão fazer parte Henrique Meirelles, na Fazenda, Romero Jucá, no Planejamento, e Moreira Franco, numa supersecretaria ligada à Presidência que coordenará concessões, Parcerias Público- Privadas (PPP) e privatizações. A missão do quarteto é reerguer a economia. Serra terá de fortalecer as exportações, por meio de acordos com os principais mercados do mundo – a avaliação é de que o PT errou ao priorizar países emergentes. Já Moreira Franco, que não terá status de ministro, deve trazer ao Brasil recursos que estão circulando no mundo em busca de negócios. Na próxima semana, Temer pretende formalizar o convite para Meirelles na Fazenda. Ele escolherá o presidente do Banco Central. Já Jucá (PMDB-RR) ficará num Planejamento fortalecido pelo comando do BNDES. Caberá a ele aprovar medidas duras de ajuste nas contas. (Política A4)

Vice diz que não será candidato
Michel Temer afirmou que, caso assuma a Presidência, não será candidato em 2018 e se posicionará pelo fim da reeleição. Ainda prometeu não mexer no Bolsa Família nem interferir na Lava Jato. (Pág. A6)

Alvo do impeachment é a ‘ditadura da propina’, diz Reale
Os professores Miguel Reale Jr. e Janaina Paschoal reiteraram no Senado que a presidente Dilma Rousseff cometeu crime de responsabilidade e fizeram acusações além da denúncia aprovada na Câmara. Para Reale, o processo é contra “ditadura da propina”. Governistas reclamaram do tom “político” das falas e acusaram Janaina de fugir do tema. Ela gastou pelo menos 10 de seus 30 minutos para refutar acusações de que teria relações com PSDB e PMDB. (Pág. A7)

Mulher de Pimentel ganha foro especial
Investigada em um caso de corrupção, a primeira-dama de Minas Gerais, Carolina Oliveira Pimentel, foi nomeada secretária estadual do Trabalho e do Desenvolvimento Social pelo marido, Fernando Pimentel, e passa a ter foro especial. (Pág. 11)

STF avalia Cunha na linha sucessória
O ministro Teori Zavascki, do STF, incluirá na discussão sobre o pedido de afastamento do presidente da Câmara, Eduardo Cunha, o fato de ele ser réu na Lava Jato e poder ser o primeiro na linha sucessória caso Dilma seja afastada. (Pág. A9)

Foto-legenda : Protestos pelo País
Manifestantes bloqueiam Radial Leste, em um dos protestos promovidos por frente contra o impeachment em oito Estados e no Distrito Federal. (Pág. A8)

Setor elétrico pode ter rombo de R$ 6 bi (Economia B1)

Dengue já é epidêmica em 12 Estados e no DF (Metrópole A20)

Alunos protestam por merenda
Estudantes de Escolas Técnicas do Estado (Etecs) ocuparam prédio administrativo do Centro Paula Souza. Eles protestam contra cortes na merenda. (Metrópole A19)

Celso Ming
A importância do rumo – O que poderá consolidar a percepção de previsibilidade é a adoção de uma política macroeconômica consistente e direção firme. (Economia B2)

Notas&Informações
Um tropeço do Supremo – STF tomou decisão indefensável ao suspender julgamento sobre juros pagos pelos Estados (A3)

Prevalece o bom senso – O PSDB parece ter compreendido qual é seu papel nesta dramática quadra da história do País (A3)


Folha de S. Paulo

Manchete : Em aceno ao PSDB, Temer nega candidatura em 2018
Vice estuda, caso assuma Presidência, oferecer Itamaraty ao tucano José Serra
Em aceno ao PSDB, o vice-presidente, Michel Temer (PMDB), afirmou em entrevista que não será candidato à sucessão presidencial em 2018, caso substitua Dilma Rousseff (PT) no cargo. Ele também disse ao “SBT Brasil” que apoiará eventual proposta de fim da reeleição. Segundo o peemedebista, a mudança facilitaria uma ação governamental para aprovar reformas como a previdenciária e a trabalhista. O vice tenta atrair o apoio das diferentes alas do PSDB. O grupo do governador Geraldo Alckmin hesita em aceitar tucanos em cargos. Temer estuda oferecer o Ministério de Relações Exteriores para o senador José Serra (SP) e a Secretaria de Direitos Humanos para a deputada Mara Gabrilli (SP). O grupo do vice estima que contará, nos primeiros 60 dias, com o apoio de 400 deputados e 56 senadores. Alvo de críticas de aliados da presidente Dilma, o peemedebista tem negado que irá reduzir programas sociais, entre eles o Bolsa Família. Ainda durante a entrevista, ele disse não se impressionar com protestos de grupos ligados ao governo contra sua eventual gestão (Poder A4)

Cunha recebeu R$ 52 milhões em propina, diz ex-vice da Caixa
Em negociação para delação premiada, o ex-vice-presidente da Caixa Fábio Cleto afirmou que Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que o indicou para o cargo, cobrou R$ 52 milhões de empreiteira pela liberação de verbas do FGTS. Cunha, que já negou ter recebido propina, não quis comentar. O ministro Teori Zavascki disse que o STF discutirá se o presidente da Câmara deve ser afastado por ser réu na Lava Jato. (Poder a5)

Mídia estrangeira não vê ‘golpe’, mas critica impeachment
Levantamento da Folha mostra que veículos relevantes da mídia estrangeira, como “Le Monde” e “Financial Times”, não consideram golpe o impeachment da presidente Dilma Rousseff ao tratar do assunto em editoriais. A maioria das publicações analisadas, contudo, faz críticas ao processo. (Poder a9)

Dilma estende Mais Médicos sem exigir diploma revalidado
O governo Dilma Rousseff editará medida provisória para prorrogar contratos de estrangeiros do Mais Médicos por três anos sem exigir revalidação do diploma para renová-los. O texto atende a pedidos de prefeitos e ONGs, mas desagrada a associações médicas do país. (Cotidiano b3)

Apuração indica corrupção e mau uso de verbas na gestão Anastasia (Poder A7)

Investigada pela PF, mulher de Pimentel assume secretaria de MG (Poder A10)

Reinaldo Azevedo
Os petistas não reconhecem o Estado de Direito
O PT merece ser banido da política não só em razão dos crimes, mas da determinação de não reconhecer a ordem que o instituiu. Os petistas não aceitam mesmo é a democracia e o Estado de Direito, que, por sua vez, continuarão a abrigar o PT porque é de sua natureza —até o limite, claro!, em que o partido não busque solapá-los. (Poder a10)

Editoriais
Leia “Nuvens no STJ”, a respeito de relações de parentesco na corte, e “Críticas nada científicas”, sobre declarações de Alckmin com relação à Fapesp. (Opinião A2)


Edição: Equipe Fenatracoop, Sexta-Feira, 29 de Abril de 2016

Compartilhe nossa Matéria