Manchete dos Jornais neste sábado, 04 de junho de 2016
Postado por: Equipe Portal Cambé Em 4th junho 2016

Machado diz que Renan, Jucá e Sarney receberam R$ 70 mi
Em delação premiada, ex-presidente da Transpetro afirmou que só presidente do Senado levou R$ 30 milhões
O ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado afirmou à Operação Lava Jato ter arrecadado e pago mais de R$ 70 milhões desviados da Petrobrás aos senadores Renan Calheiros (PMDBAL), Romero Jucá (PMDB-RR) e José Sarney (PMDB-AP). As informações foram publicadas ontem no site do jornal O Globo e confirmadas pelo Estado. Renan, um dos responsáveis pela indicação de Machado para a Transpetro, recebeu R$ 30 milhões, segundo depoimento de Machado na delação premiada. Ele disse ainda que repassou cerca de R$ 20 milhões a Sarney e outros R$ 20 milhões a Jucá, que ficou uma semana como ministro do Planejamento do governo do presidente em exercício Michel Temer. A delação foi homologada no dia 24 de maio pelo ministro do STF Teori Zavascki e, com isso, pode ser utilizada para novas investigações. Os citados negam ter recebido dinheiro…
Tribunais refletem o preconceito com crimes de estupro
A razão da violência e da impunidade está no machismo das pessoas. A jurisprudência dos tribunais ajuda a revelar o cultivo de desconfiança. Para a caracterização da culpa do agressor, exige-se “inequívoca resistência”, não “simples gritos”…


O Globo

Manchete : Propina a Renan, Sarney e Jucá foi de R$ 70 milhões
Afirmação de Sérgio Machado está registrada em delação premiada
Ex-presidente da Transpetro disse à Lava-Jato ter dado R$ 30 milhões ao presidente do Senado em troca de sua manutenção no cargo; de acordo com ele, dinheiro desviado pagou campanhas e despesas pessoais
O ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado afirmou em delação premiada que pagou mais de R$ 70 milhões desviados da subsidiária da Petrobras ao presidente do Senado, Renan Calheiros, ao senador Romero Jucá e ao ex-presidente Sarney, todos do PMDB, informa JAILTON DE CARVALHO. Só a Renan foram destinados R$ 30 milhões, segundo o delator. A propina, em troca da manutenção do ex-aliado no cargo, teria sido usada para financiar campanhas e gastos pessoais. Machado, que se comprometeu a devolver R$ 100 milhões, disse que o esquema funcionou de 2003 ao ano passado. Renan negou ter recebido dinheiro e disse que não indicou Machado. Jucá nega a acusação, e Sarney não foi encontrado. (Pág. 3)

Ministro: centrão age por ‘safadeza’
O ministro da Transparência, Torquato Jardim, disse em entrevista a um jornal do Piauí, em maio, que o chamado Centrão, base atual do governo Temer, atua “em nome da corrupção e da safadeza”. (Pág. 7)

Secretária da Mulher pode cair
Suspeita de desvio de verba quando era deputada, a secretária da Mulher, Fátima Pelaes, pode perder o cargo. Temer disse que cabe à bancada feminina, que a indicou, decidir. (Pág. 8)

Odebrecht relatou gastos com Dilma
Em negociação de delação, executivos da empreiteira disseram ter pagado cabeleireiro; presidente nega
Executivos da Odebrecht afirmaram, na negociação de delação premiada, que pagaram “despesas de imagem” da presidente afastada, Dilma Rousseff, entre as quais o cachê do cabeleireiro Celso Kamura, conta GUILHERME AMADO. Como revelou O GLOBO, a informação também consta de emails trocados por investigados e apreendidos pela Lava-Jato. Os executivos da Odebrecht, que ainda vão prestar depoimentos formais, disseram que os valores para tais gastos foram repassados ao marqueteiro João Santana, preso juntamente com a mulher dele, Mônica Moura. Dilma reagiu dizendo que as informações são “descabidas”. Funcionários da Odebrecht relataram também propina para Anderson Dornelles, ex-assessor de Dilma. (Págs. 4 e 6)

Temer decide demitir chefe da AGU
O advogado-geral da União, Fábio Osório, deve ser mais um demitido pelo presidente interino, Michel Temer. Osório deu “carteirada” para usar jatinho da FAB e foi omisso no caso da troca de comando da EBC. (Pág. 3)

Governo restringe voos de Dilma
O governo Michel Temer decidiu restringir ao trecho Brasília-Porto Alegre-Brasília os deslocamentos de Dilma com aviões da FAB. Ela chamou a medida de escandalosa. (Pág. 6)

PF não acha provas contra Pedro Paulo
A PF pediu o arquivamento do inquérito sobre o deputado Pedro Paulo (PMDB), candidato a prefeito do Rio que foi acusado de agredir a ex-mulher. Para a PF, não há provas contra ele. (Pág. 17)

Planos de saúde vão subir 13,57%
Pelo 13º ano seguido, os planos de saúde terão reajuste acima da inflação. A ANS, que regula o setor, anunciou percentual de 13,57% em 2016. Em dois anos, a alta é de 29%. (Pág. 21)

Jovem de 16 anos sofreu dois estupros coletivos (Pág. 19)

Colunistas
MÍRIAM LEITÃO – Governo Temer ou acerta muito ou erra feio (Pág. 22)

MERVAL PEREIRA – Falta prudência ao governo do cauteloso Temer (Pág. 4)

ANCELMO GOIS – Impeachment já foi decidido por um voto (Pág. 19)

LUIZ ANTÔNIO NOVAES – Temer faz “governo de salvação” dos privilegiados (Pág. 2)

ZUENIR VENTURA – Brasil vira o país do futuro no condicional (Pág. 13)

GUILHERME FIUZA – Patrulha se cala com Maria Silvia no BNDES (Pág. 12)

ADRIANA CARRANCA – Corrupção mina o Estado e o distancia dos cidadãos (Pág. 26)


O Estado de S. Paulo

Manchete: Machado diz que Renan, Jucá e Sarney receberam R$ 70 mi
Em delação premiada, ex-presidente da Transpetro afirmou que só presidente do Senado levou R$ 30 milhões
O ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado afirmou à Operação Lava Jato ter arrecadado e pago mais de R$ 70 milhões desviados da Petrobrás aos senadores Renan Calheiros (PMDBAL), Romero Jucá (PMDB-RR) e José Sarney (PMDB-AP). As informações foram publicadas ontem no site do jornal O Globo e confirmadas pelo Estado. Renan, um dos responsáveis pela indicação de Machado para a Transpetro, recebeu R$ 30 milhões, segundo depoimento de Machado na delação premiada. Ele disse ainda que repassou cerca de R$ 20 milhões a Sarney e outros R$ 20 milhões a Jucá, que ficou uma semana como ministro do Planejamento do governo do presidente em exercício Michel Temer. A delação foi homologada no dia 24 de maio pelo ministro do STF Teori Zavascki e, com isso, pode ser utilizada para novas investigações. Os citados negam ter recebido dinheiro. (Política/Pág. A8)

Odebrecht cita campanha
Marcelo Odebrecht disse à Lava Jato que Edinho Silva, tesoureiro da campanha de Dilma Rousseff, cobrou R$ 12 milhões para serem repassados ao marqueteiro João Santana e ao PMDB, segundo a revista IstoÉ. (Pág. A8)

Ministro ligou Centrão a ‘corrupção’ e ‘safadeza’
O ministro da Transparência, Fiscalização e Controle, Torquato Jardim, disse no dia 18 em Teresina (PI) que os partidos são “balcão de negócios” e que o Centrão,formado por 225 deputados de 13 legendas, foi montado “em nome da corrupção e da safadeza”. O grupo dá sustentação a Michel Temer. Na ocasião, Jardim se mostrou cético com a possibilidade de a Lava Jato acabar com a corrupção. As declarações causaram forte reação na Câmara. (Política/Pág. A5)

Dilma agora só pode usar avião da FAB para ir ao RS
Com base em parecer da subchefia de assuntos jurídicos, a Casa Civil, comandada por Eliseu Padilha, determinou a suspensão do uso de aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB) por Dilma Rousseff. A presidente afastada só poderá solicitar avião para ir ao Rio Grande do Sul, onde reside. A justificativa é de que Dilma, por estar afastada, não tem compromissos oficiais. Dilma afirmou que a decisão é ilegítima e tem como objetivo proibir que ela viaje. “É um escândalo”, disse. (Política/Pág. A6)

PF prende ex-chefe de fiscalização da Receita (Economia/Pág. B15)

Reajuste de servidor afeta caixa de Estados (Economia/Pág. B7)

Caem de seis para um portos que vão a leilão
Dos seis portos do Pará que iriam a leilão sexta-feira, apenas um será oferecido à iniciativa privada. Também estão sob risco licitações de 4 rodovias e da Ferrovia Norte-Sul. (Economia/Pág. B1)

Policiais matam duas pessoas por dia
PMs mataram 187 pessoas em ações de combate ao crime no primeiro trimestre no Estado de SP, o equivalente a duas mortes por dia. Para especialistas, dados indicam força letal excessiva. (Pág. A17)

Modesto Carvalhosa
Acordo de leniência e corrupção
Se houver a anistia ampla e geral das empreiteiras corruptas, os efeitos atuais e futuros da nossa exemplar Operação Lava Jato serão nulos. (Espaço Aberto/Pág. A2)

Celso Ming
Agricultura mais arejada
Uma das surpresas da economia nas últimas semanas foi a alta dos preços das commodities agrícolas. Isso pode ajudar a alavancar a economia do País. (Economia/Pág. B2)

Notas & Informações
As pedaladas de 2015 e o TCU
Dilma Rousseff nega irregularidades, mas técnicos do TCU pedem rejeição do balanço de 2015. (Pág. A3)

Sintomas de desespero
Revelações começam a derrubar imagem de figura moralmente imaculada de Dilma Rousseff. (Pág. A3)


Folha de S. Paulo

Manchete : Novos cargos não afetarão as contas, diz governo
Postos extintos compensam 14 mil criados e não elevam despesa, afirma Planejamento
O governo do presidente interino Michel Temer afirmou que a criação de cerca de 14 mil cargos na administração federal não vai gerar aumento de despesas, porque ela compensa a extinção de outros cargos. Os novos postos foram autorizados no pacote de reajustes salariais para o funcionalismo, que ainda precisará passar pela aprovação do Senado. Em nota, o Planejamento diz que não houve “criação de novos cargos na administração federal que gerasse aumento de despesas”. De acordo com o ministério, todos os cargos remanejados serão mantidos vagos, já que a lei orçamentária proíbe a realização de concursos neste ano e essa medida deve ser mantida até 2017. No entanto, os cargos extintos estão vagos, são em grande parte de carreiras antigas e já não representam despesas para o governo. Na prática, a eliminação de postos desocupados pode não compensar os novos, porque não havia objetivo de preenchê-los. A criação também deve ampliar pressão por concursos. (Mercado a17)

Temer restringe a utilização de aviões da FAB por Dilma
O governo Temer (PMDB) emitiu um parecer que restringe as viagens da presidente afastada, Dilma Rousseff (PT), com as aeronaves da Força Aérea Brasileira. O texto só permite o deslocamento entre Brasília e Porto Alegre, onde moram parentes dela. Dilma considerou “grave” a restrição. (Poder a5)

Para novo ministro, partidos são ‘um balcão de negócios’
O novo ministro da Transparência, Torquato Jardim, afirmou que os partidos no país são “balcão de negócios”. Segundo ele, formou-se “um novo centrão no Congresso” para pressionar o governo a distribuir cargos. Sobre a Lava Jato, disse não crer que mudará a cultura de corrupção no país. (Poder a4)

Ministério Público vê indícios de abuso de poder econômico de Doria em prévias (Poder a10)

Em relatório, Macri faz diagnóstico de situação deixada por ex-presidente (Mundo a12)

PM mata menino de dez anos em ação contra furto
Um menino de dez anos foi morto na noite de quinta (2) por policiais militares na zona sul de São Paulo. Segundo a Secretaria da Segurança Pública do Estado, ele foi baleado em uma troca de tiros com policiais após ter furtado um carro com um colega de 11 anos. A criança confirma a versão. (Cotidiano b1)

Luís F. Carvalho Filho
Tribunais refletem o preconceito com crimes de estupro
A razão da violência e da impunidade está no machismo das pessoas. A jurisprudência dos tribunais ajuda a revelar o cultivo de desconfiança. Para a caracterização da culpa do agressor, exige-se “inequívoca resistência”, não “simples gritos”. (Cotidiano b2)

Editoriais
Leia “Estado de dívida”, sobre negociação de débitos com a União, e “Superbactérias”, a respeito de microrganismos resistentes a antibióticos. (Opinião a2)


Edição: Equipe Fenatracoop, Sábado, 04 de Junho de 2016

Compartilhe nossa Matéria