Manchete dos Jornais nesta segunda-feira, 12 de outubro de 2015
Postado por: Equipe Portal Cambé Em 12th outubro 2015

Governo dá como certo pedido de impeachment de Dilma
O governo dá como certa a abertura de processo de impeachment contra Dilma Rousseff na Câmara dos Deputados e montou uma equipe de advogados e juristas para defender a presidente. A estratégia do Planalto será recorrer ao STF assim que algum requerimento solicitando o afastamento for aceito pela Câmara…


O Globo

Manchete: Dilma já prepara defesa contra impeachment
Pressionado, Cunha diz que decide sobre processo amanhã
Parecer encomendado por advogado da campanha da presidente a juristas defende que rejeição de contas não implica crime de responsabilidade e que ela e o vice, Michel Temer, não podem ser cassados pelo TSE.
A presidente Dilma Rousseff deu início à sua estratégia de defesa contra um possível impeachment e já se articula nos campos jurídico e político. Na primeira esfera, o advogado da chapa Dilma-Temer, Flávio Caetano, encomendou aos juristas Celso Antonio Bandeira de Mello e Fabio Konder Comparato um parecer que contesta os argumentos para afastar a presidente, baseados na rejeição das contas do governo no TCU, e as ações que pedem no TSE a cassação da chapa. Ontem, Dilma voltou a se reunir com ministros para mobilizar a base do governo no Congresso.
Pressionado por novas denúncias, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), disse que decidirá amanhã se abre processo de impeachment contra ela. Pág. 3 e 4

Noblat
Procurador-geral da República está pronto para denunciar e pedir prisão preventiva de Eduardo Cunha. Pág. 2

Oposição quer Lulinha na CPI
Requerimento para convocar o filho de Lula, alvo de denúncia, deve ser analisado nesta semana
A oposição quer levar Fábio Luís Lula da Silva, o Lulinha, filho mais velho do ex-presidente Lula, ao Congresso Nacional para explicar a acusação de que teve despesas pessoais pagas pelo lobista Fernando Soares, o Fernando Baiano. Conforme revelou ontem o colunista Lauro Jardim, no GLOBO, o lobista afirmou em delação premiada ter feito pagamentos de R$ 2 milhões a Lulinha. Pág. 4

Levy se compromete a não repetir pedaladas
O ministra da Fazenda, Joaquim Levy, disse ontem que o governo modificou regulamentos e fez pagamentos para evitar a reedição das pedaladas fiscais. Ele afirmou, ainda, que desconhece uma nova ação do TCU e defendeu que a aprovação do Orçamento de 2016 é a prioridade do governo neste momento. Levy ressaltou a necessidade de evitar um novo rebaixamento da nota de crédito do país. Segundo ele, a perda do grau de investimento pela Standard & Poor’s teve “efeito devastador” para várias empresas. Págs. 3 e 17

Efeito pixuleco anima a indústria de infláveis Pág. 19

Governo do Rio quer mais R$ 2 bi
Em crise fiscal, estado prevê arrecadar R$ 2 bilhões a mais de royalties de petróleo e gás no próximo ano graças a mudança ainda em estudo na Agência Nacional do Petróleo. Pág. 15

Ancelmo Gois
CONSÓRCIO CCR DESISTE DAS BARCAS
Passados apenas três anos, de um contrato de 30, o consórcio CCR irá devolver ao governo do Rio a concessão das barcas que fazem o trajeto Rio-Niterói. E pode exigir indenização. Pá. 8


O Estado de S. Paulo

Manchete: Governo dá como certo pedido de impeachment de Dilma
O governo dá como certa a abertura de processo de impeachment contra Dilma Rousseff na Câmara dos Deputados e montou uma equipe de advogados e juristas para defender a presidente. A estratégia do Planalto será recorrer ao STF assim que algum requerimento solicitando o afastamento for aceito pela Câmara. Em reunião ontem com os ministros José Eduardo Cardozo (Justiça), Ricardo Berzoini (Secretaria de Governo), Aldo Rebelo (Defesa) e o assessor especial Giles Azevedo, no Palácio da Alvorada, Dilma foi informada de que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), acuado após a denúncia do MP da Suíça, deve dar andamento ao processo de impeachment. O advogado Flávio Caetano, coordenador jurídico da campanha de Dilma à reeleição, vai coordenar a defesa da presidente. O governo pretende se concentrar na questão do quórum para a abertura do processo pela Câmara, uma vez que a Constituição exige participação de dois terços dos parlamentares. Política pág. A4

Na Suíça, cem contas secretas
Investigadores ligados ao Ministério Público da Suíça afirmam haver mais de cem contas bancárias congeladas ligadas à Lava Jato, informa Jamil Chade. Pág. A4

Lobista diz ter pago cerca de R$ 2 milhões a Lulinha
O lobista Fernando Baiano, preso desde o ano passado no Paraná e acusado de ser um dos operadores do esquema de desvios de recursos da Petrobrás, afirmou ao Ministério Público Federal ter pago cerca de R$ 2 milhões a Fábio Luís Lula da Silva, filho do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva. Os repasses teriam sido feitos para bancar despesas pessoais de Lulinha, como o empresário é conhecido. O advogado de Lulinha disse que seu cliente “jamais recebeu qualquer valor do delator mencionado”. Política pág. A5

Mudanças de olho na USP
Ao aceitar Enem para 13,5% das vagas, USP leva candidatos a alterar estudos e rever notas de corte. Metrópole Pág. A13

Ação da PM deixa 3 mortos em Pedrinhas
Metrópole Pág. A12

Oposição tenta conter avanço kirchnerista
INTERNACIONAL. PÁG. A7

Chega ao país o Uber das viagens
Uma empresa francesa quer iniciar este ano o serviço de carona paga entre cidades brasileiras. Com mais de 20 milhões de usuários em 19 países, a Blablacar usa um aplicativo para criar uma comunidade de motoristas e viajantes. O diretor da empresa para a América Latina, Julien Lafouge, não teme reação parecida com a dos taxistas contra o Uber. “Não oferecemos um serviço, apenas conectamos pessoas.” Pág. B8

José Roberto de Toledo
Além de personagens repetidos, a dinâmica que leva ao impeachment ou à permanência do presidente da vez acelera de modo parecido. Política pág. A6

Brasil virou mau exemplo
FMI elogiou a política econômica do Paraguai e apontou Brasil e Argentina como problemas. Pág. A3

O duro ajuste da Petrobrás
Corte de investimentos mostra que a empresa está mais vulnerável às oscilações do câmbio e do petróleo. Pág. A3


Gazeta do Povo

Manchete: Demora no atendimento faz usuário de planos ir à Justiça e recorrer ao SUS
Qualidade e lentidão das consultas particulares lideram reclamações. 20% dos clientes tiveram de recorrer ao serviço público.
As próprias reclamações que chegam à Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) apontam como está a situação das operadoras no país: 63% das queixas correspondem a temas relacionados à consulta médica. São dificuldades para obter autorização para consultas e exames, demora de atendimento, procedimentos médicos e críticas à própria rede de atendimento.
Perda de tempo
A coordenadora do Procon-PR, Claudia Silvano, orienta que todo usuário que enfrentar dificuldades de atendimento ou de cunho financeiro deve procurar os órgãos de defesa do consumidor para ter seus direitos assegurados. “O consumidor paga caro pelo plano de saúde e tem o direito de ser atendido. A pessoa tem o direito a uma prótese, por exemplo, e as operadoras ficam discutindo qual tipo de prótese. Isso é perda de tempo para o paciente”, afirma. Segundo o IBGE, 28% das pessoas no país tem plano de saúde


Zero Hora

Manchete: No limite
Guaíba chega ao nível mais alto em 48 anos, e água pode invadir a região central de Porto Alegre. Comportas foram fechadas e sistema de proteção a inundações foi ativado.

Os bloqueios nas rodovias
Noticias 6 a 8


Folha de S. Paulo

Manchete: Orçamento com deficit se torna opção de Estados
Rombos de MG e RS, somados, chegam a quase metade dos R$ 30,5 bi que faltam ao Orçamento da União
Diante da crise econômica e da queda na arrecadação, governadores seguiram o exemplo da presidente Dilma Rousseff e encaminharam seus Orçamentos para 2016 com deficit.
Sem poder evitar aumentos já acertados com o funcionalismo e com poucas alternativas para gerar receita, Minas e Rio Grande do Sul, dois dos Estados mais ricos do Brasil, vão começar o ano “negativados”.
Somados, os rombos destas duas administrações apenas chegam a quase metade dos R$ 30,5 bi que faltam ao Orçamento do governo federal para 2016.
Outros Estados, como Sergipe e Rio, contam com verbas de empréstimos, que não sabem se serão aprovados, para

fechar as contas.
Governos estaduais afirmam que não havia como projetar receitas e despesas em volumes proporcionais.
Um dos argumentos é o de que foi melhor fazer uma projeção realista a anunciar um equilíbrio impossível.
Mesmo enfrentando um cenário de queda na arrecadação, a maioria dos Estados manteve a austeridade só no discurso. Entre janeiro e agosto deste ano, 15 Estados, além do Distrito Federal, ampliaram as despesas correntes na comparação com o mesmo período do ano passado. Poder A4

Delator diz que pagou despesas de filho de Lula
O operador do PMDB Fernando Soares, o Fernando Baiano, disse em seu acordo de delação premiada, homologada na sexta (9) pelo ministro Teori Zavascki, que um dos filhos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi beneficiado por pagamentos do esquema de corrupção investigado pela Operação Lava Jato. O ex-presidente não comentou a acusação. Poder A8

Oposição tenta repetir tática usada contra Cunha
Líderes da oposição querem forçar o procurador-geral da República a dar informações sobre petistas investigados na Lava Jato. Para os deputados, Rodrigo Janot abriu precedente ao responder ao PSOL sobre contas de Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

O presidente da Câmara decide nesta terça (13) se aceita pedido de impeachment contra Dilma. Poder A6

Até o final do ano que vem, teremos nos recuperado
O empresário Israel Klabin, 89, conselheiro de uma das principais produtoras de papel do país, a Klabin, critica a visão “centralizadora” da presidente Dilma, mas aposta na rápida recuperação econômica do país.
A condição para isso, afirma ele,éo retorno da CPMF. “O verdadeiro problema está nas mãos do Congresso, que olha para interesses corporativos.” Pág.A12

Vinícius Mota
Dilma ainda tem de melhorar para acabar como Sarney. Opinião A2

Editoriais
Leia “Em território negativo”, sobre projeções do FMI para a economia brasileira, e “Meia-entrada incerta”, acerca de novas regras do benefício. Opinião A2


Edição: Equipe Fenatracoop, 12 de outubro de 2015, ás 08:30

 

Compartilhe nossa Matéria