Protesto adia terceirização

O governo Dilma vai tentar adiar a votação do projeto de terceirização da mão de obra. O motivo oficial é o desejo de negociar o texto com o relator. Mas o drama não é de conteúdo. É de oportunidade. O Planalto não pode desagradar a CUT, movimentos sociais e centrais sindicais. Ele precisa de apoio, quando a oposição convoca, via redes sociais, um novo protesto para este domingo…

Terceirização – Governo tenta mudar projeto

Preocupado com a arrecadação do FGTS, o governo quer alterar projeto sobre terceirização do trabalho que deve ir à votação na Câmara hoje…

————————————————————————————

O Globo

Manchete : Comperj dará prejuízo de R$ 45 bi à Petrobras

Rombo foi admitido pela estatal em documento apresentado ao TCU

Alvo da Lava-Jato, obra tem atraso; conta considera investimentos que não podem ser recuperados

Em documento apresentado ao Tribunal de Contas da União, a Petrobras estima que o Complexo Petroquímico do Rio (Comperj), em Itaboraí, deve provocar prejuízo de pelo menos R$ 44,8 bilhões, revela m PATRÍCIA CAGNI e EDUARDO BRESCIANI. Alvo da Operação Lava Jato, que aponta pagamento de propina, o Comperj sofre com atrasos. A obra da primeira refinaria está suspensa desde dezembro por falta de verba. Na conta das perdas entram investimentos que não podem ser recuperados. A estatal, porém, calcula que seria mais caro desistir do complexo: o rombo chegaria a R$ 53,1 bilhões. (Pág. 3)

Grupo do PT vai pedir que Vaccari seja afastado

A Mensagem ao Partido, segunda maior corrente do PT, pedirá nesta semana o afastamento do tesoureiro João Vaccari Neto, acusado nas investigações da Lava-Jato de receber propina. A legenda decidirá o futuro de Vaccari na semana que vem, depois de ele depor na CPI da Petrobras. (Pág. 4)

Dilma oferece articulação política para o PMDB

Atendendo o PMDB, Dilma mudará a articulação política e convidou o peemedebista Eliseu Padilha (hoje na Aviação Civil) para o lugar de Pepe Vargas (PT). (Pág. 6)

Zelotes deve contar com delação premiada

A Operação Zelotes, que investiga a venda de sentenças no conselho que julga multas da Receita, poderá ter a delação premiada do conselheiro Paulo Roberto Cortez, considerado peça-chave do esquema. À Polícia Federal, Cortez foi o primeiro investigado a manifestar o interesse em acordo para redução de pena, informam GABRIELA VALENTE e JAILTON DE CARVALHO. O conselheiro confirmou que o esquema de propinas envolvia ouso de laranjas e empresas de fachada. A PF chegou a pedir a prisão preventiva de Cortez, negada pelo juiz encarregado do caso. (Pág. 17)

MEC vai contribuir com ajuste, diz Janine

Em sua posse no Ministério da Educação, Renato Ja nine Ribeiro afirmou que a pasta contribuir á com o ajuste fiscal, mas sem afetar programas essenciais. Já a presidente Dilma disse que é preciso recuperar a Petrobras para elevar os investimentos em educação. Para especialistas, o governo precisa prever outras receitas. (Pág. 21)

Juiz do Porsche teria enganado BC

Segundo o Ministério Público, Flávio Roberto de Souza, ex-juiz do caso Eike, forjou documentos para enganar BC e Caixa e desviar dinheiro apreendido de traficante espanhol. (Pág. 20)

Terceirização – Governo tenta mudar projeto

Preocupado com a arrecadação do FGTS, o governo quer alterar projeto sobre terceirização do trabalho que deve ir à votação na Câmara hoje. (Pág. 19)

Concessões no Rio – Proposta para privatizar Arco

O governo do Rio vai propor à União a concessão à iniciativa privada do Arco Metropolitano e de mais duas rodovias, que poderão ter pedágio. (Pág. 8)

PMs podem ter ocultado provas no Alemão

A polícia ainda não localizou o cartucho do projétil ou a bala que matou o menino Eduardo de Jesus Ferreira, de 10 anos, no Complexo do Alemão, na quinta-feira passada. Testemunhas disseram, na Divisão de Homicídios, ter visto PMs recolhendo vestígios no chão logo depois do crime. Para policiais que trabalham na investigação do caso, a atitude pode configurar tentativa de ocultação de provas. O estado decidiu começar hoje a reocupação do Alemão com um “efetivo equivalente ao de uma UPP” com homens do Bope e do Choque. (Pág. 8)

Ilimar Franco

Protesto adia terceirização

O governo Dilma vai tentar adiar a votação do projeto de terceirização da mão de obra. O motivo oficial é o desejo de negociar o texto com o relator. Mas o drama não é de conteúdo. É de oportunidade. O Planalto não pode desagradar a CUT, movimentos sociais e centrais sindicais. Ele precisa de apoio, quando a oposição convoca, via redes sociais, um novo protesto para este domingo. (Pág. 2)

Merval Pereira

A década esbanjada

A conta quem fez foi o economista Paulo Rabello de Castro, do Instituto Atlântico, coordenador do Movimento Brasil Eficiente: entre um crescimento modesto de 3% ao ano nesta década, que não atingiremos, e a média alcançável, deixaremos de crescer R$ 5 trilhões (o tamanho do PIB de 2014). (Pág. 4)

Míriam Leitão

Com olhos no futuro

Em uma época de tanta divisão, um ministro da Educação que assume com a torcida e a esperança do país já é muito. Que o ministro Renato Janine Ribeiro tenha chance de fazer um bom trabalho numa área que é fundamental para a economia, a política, as famílias e a realização das nossas ambições como país. É importante que ele olhe para erros e acertos das gestões do período democrático. (Pág. 18)

Editoriais

Ajuste via impostos confirma pior cenário

Estabelecida a necessidade imperiosa de se reequilibrar as contas públicas, o governo repete o velho erro de preferir arrecadar mais do que cortar gastos (Pág. 14)

Prioridade tem de ser reocupar o Alemão

Os ganhos das UPPs já são um patrimônio da sociedade. Não se podem perder os avanços. Por isso, deve-se voltar ao complexo de favelas e, depois, à Rocinha (Pág. 14)

————————————————————————————

Zero Hora

Manchete : Economia desaquecida leva empresas a demitir

Março pode ter fechado com alta no desemprego, o que não acontecia desde 2009 no mês. Segmentos automotivo e de telecomunicações estão entre os mais afetados. (Notícias | 8 e 9)

Padilha recusa convite de Dilma

Ministro disse que não deixará Secretaria da Aviação Civil para assumir Relações Institucionais (13 e 25)

Mosquitos na mira

Inseticida é usado contra o Aedes aegypti na Capital. Até o dia 28, RS tinha 128 ocorrências de dengue. (Sua Vida | 29)

O deputado desfez o time

Mário Jardel (PSD) demitiu assessores de gabinete e se afastou alegando depressão (Notícias | 10 e 12)

————————————————————————————

Brasil Econômico

Manchete : Bradesco diz que aumentar crédito agora é chocar ‘ovo da serpente’

O presidente do banco, Luiz Carlos Trabuco Cappi, disse que a sua instituição mantém a oferta de recursos, mas administra o ritmo de crescimento das linhas de financiamento. “O Brasil não está maduro hoje para uma alta exagerada do crédito”, disse ele. (Págs. 36 e 37)

Estímulo à economia por decreto

O governo publicou ontem decreto que estabelece novas regras para os Procedimentos de Manifestação de Interesse para ajudar o país a voltar a crescer. Para analistas, porém, o ano já está perdido para investimentos, devido à queda da confiança. (Pág. 6)

Eliseu Padilha para lugar de Pepe Vargas

Preocupada com a articulação política do governo no Congresso, a presidenta Dilma convidou o ministro da Aviação Civil para assumir as Relações Institucionais. O PMDB, que ganha mais uma pasta, reuniu-se ontem à noite para tratar do assunto.

Dólar em alta estimula indústria local

Na contramão do país, o setor acelerou a retirada de projetos da gaveta. Segundo o presidente da Abrinq, Synésio Batista da Costa, boa parte das 370 empresas fabricantes está investindo no aumento da capacidade de produção. (Pág. 16)

Dilma defende marco regulatório do pré-sal

Presidenta aproveitou cerimônia de posse do ministro da Educação para criticar as propostas de mudança na lei que garante à Petrobras exclusividade na operação. (Pág. 3)

Olhar do Planalto

José Negreiros

A BATALHA DA TERCEIRIZAÇÃO

A votação do projeto que regulamenta a terceirização deverá enfrentar uma votação tumultuada hoje, em Brasília. Sindicalistas de todo o país chegaram à capital para tentar impedir que ela aconteça, mas dificilmente conseguirão seu objetivo. (Pág. 2)

Relatório D.C.

Rogerio Studart

AS DÚVIDAS SOBRE A RECUPERAÇÃO AMERICANA

Até semana passada o mercado dava como dada a recuperação da economia americana. Na sexta-feira, saem os dados sobre o mercado de trabalho, que decepcionam muito com uma criação de novos postos inferior à metade do que esperavam os analistas. Voltam a pairar as dúvidas. (Pág. 7)

O mercado como ele é…

Luiz Sérgio Guimarães

DÓLAR CAI 3,65% EM CINCO DIAS

O mercado americano de títulos do Tesouro não desiste do seu otimismo apesar de se acumularem provas de que a economia dos EUA perde viço de forma assustadora. Na sexta-feira, com a maior parte dos mercados emergentes em recesso por causa do feriado, o relatório oficial do mercado de trabalho de março derrubou os juros dos papéis. (Pág. 38)

Ponto Final

Octávio Costa

ARMADILHAS DA REFORMA POLÍTICA

É grande a pressão para que o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, pronuncie seu voto sobre a ação da Ordem dos Advogados do Brasil que pede o fim do financiamento de pessoas jurídicas para campanhas eleitorais. (Pág. 48)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete : Dilma oferece articulação política para peemedebista

Convite a Eliseu Padilha visa pôr fim à guerra do partido com o governo

Em momento de crise com a base aliada e com queda de popularidade, a presidente Dilma (PT) convidou o ministro da Aviação Civil, Eliseu Padilha (PMDB), para assumir a Secretaria de Relações Institucionais. O objetivo da petista é reorganizar a sua articulação política, pondo um fim à guerra do PMDB com o governo e garantindo a aprovação das medidas do ajuste fiscal, consideradas essenciais. O cargo hoje é ocupado por Pepe Vargas (PT). Dilma enfrenta dificuldades no Congresso, principalmente nas relações com os peemedebistas Renan Calheiros e Eduardo Cunha, que têm imposto derrotas ao governo. O convite divide o partido. A inclusão do PMDB na “cozinha” do Planalto é uma sugestão de Lula. O governo lançará uma campanha para explicar o pacote fiscal à população e reunirá líderes governistas para discutir as medidas e acertar estratégia para aprová-las no Congresso. (Poder a4)

Central sindical quer reunir 10 mil em protesto em SP

A CUT espera reunir cerca de 10 mil pessoas na manifestação marcada para esta terça (7), em São Paulo. A concentração começa às 10h na frente do Hospital das Clínicas. Previsto em ao menos outras 11 capitais, o ato é contra projeto de lei que regula a terceirização em contratos de trabalho, e a favor da democracia e da reforma política. (Poder a7)

Dólar recua para R$ 3,09 com dados menos favoráveis da economia dos EUA (Mercado B4)

Processo de paz no Alemão deve durar mais de 15 anos, diz Pezão

O governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, afirmou que a pacificação no Complexo do Alemão deve durar mais de 15 anos. Para ele, a ação ajuda a contornar problemas no local durante o período. O corpo de Eduardo de Jesus Ferreira, 10, morto em ação policial no Alemão, foi enterrado ontem (6), em Corrente (PI). Cerca de 500 pessoas foram ao velório. A família dele disse que voltará para o Piauí. (Cotidiano C1)

Incêndio limita caminhões no porto de Santos

O gabinete de crise criado em razão de um incêndio em Santos, iniciado na quinta (2), limitou a entrada de caminhões no porto, uma das principais vias de escoamento da produção do país. A medida, que pode valer até sexta, gerou trânsito no acesso ao litoral de SP. (Cotidiano C4)

Editoriais

Leia “CNJ pelo avesso”, acerca de tentativa de enfraquecer o órgão de controle, e “Pedagogia e demagogia”, sobre aumento de gastos na educação. (Opinião A2)

————————————————————————————

EBC

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.