IBGE afirma que errou e muda dado sobre desigualdade

Um dia após a divulgação da Pnad, o IBGE, instituto oficial de estatística do país, reconheceu que a pesquisa continha vários erros. O índice de Gini, medida da desigualdade, passou de 0.496 em 2012 para 0,495 em 2013, o que indica estagnação. Antes, o índice divulgado para 2013 era 0,498…

Eleições 2014: Dilma diz que papel da imprensa não é investigar

Irritada por não ter conseguido acesso ao depoimento de Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras que delatou corrupção na estatal, a presidente Dilma disse que “não é possível” a imprensa ter informações e ela, não. Afirmou, ainda, que o papel da imprensa “não é investigar, e sim divulgar informações”, ignorando escândalos denunciados após investigação da mídia. A petista disse que pedirá ao STF acesso à delação do ex-diretor e reclamou que, como presidente, não pode tomar providências com base no “disse me disse”. O PSDB vai ao TSE contra Dilma por abuso de poder político porque ela usou os Correios, como denunciou a imprensa, para enviar 4,8 milhões de panfletos a eleitores de forma supostamente irregular…

O Globo

Manchete: Nunca antes: Erro em ‘numerinho’ obriga IBGE a corrigir toda a Pnad

Com mudança, desigualdade cai em vez de subir e ganho de renda é menor.

Instituto superestimou peso das estatísticas de sete estados. Problema foi identificado por Ipea e consultorias Instituição com 77 anos de história, o IBGE informou ontem que errou em sua principal pesquisa anual, a, Pnad, que fora divulgada na véspera com dados de mercado de trabalho, educação e acesso a bens. O instituto superestimou o peso das estatísticas de sete estados. Com a correção, a desigualdade no país agora registrou queda, em vez de alta. A elevação da renda foi de 3,8%, e não os 5,7% do dia anterior. O analfabetismo caiu menos. O diretor do IBGE responsável pela pesquisa, Roberto Olinto, disse que o problema foi “na hora de calcular o numerinho que compõe a amostra” A ministra do Planejamento, Miriam Belchior, afirmou que duas comissões vão apurar responsabilidades. (Págs. 1 e 33 a 36 e editorial “A desastrada revisão da Pnad 2013)

Eleições 2014: Dilma diz que papel da imprensa não é investigar

Irritada por não ter conseguido acesso ao depoimento de Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras que delatou corrupção na estatal, a presidente Dilma disse que “não é possível” a imprensa ter informações e ela, não. Afirmou, ainda, que o papel da imprensa “não é investigar, e sim divulgar informações”, ignorando escândalos denunciados após investigação da mídia. A petista disse que pedirá ao STF acesso à delação do ex-diretor e reclamou que, como presidente, não pode tomar providências com base no “disse me disse”. O PSDB vai ao TSE contra Dilma por abuso de poder político porque ela usou os Correios, como denunciou a imprensa, para enviar 4,8 milhões de panfletos a eleitores de forma supostamente irregular. (Págs. 1 e 3 e 4)

Pezão defende UPPs, mas admite abalo com caso Amarildo

Candidato à reeleição, o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) reconheceu ontem, em sabatina no GLOBO, que as UPPs sofreram um abalo, mas as defendeu: “Quantos Amarildos sumiam em todas essas comunidades e não ficávamos sabendo?” Ao comentar o aumento de prisões, disse que 80% são adolescentes e que “essa discussão tem que ser feita no Congresso” Ele afirmou ainda que não privatizará a Cedae, mas acenou com parcerias para concessão de serviços de esgoto. (Págs. 1 e 14 a 16)

Aécio promete fim do fator previdenciário, criado no governo FH

Pressionado por centrais sindicais que o apoiam, o candidato tucano, Aécio Neves, prometeu acabar “de forma responsável” com o fator previdenciário, mecanismo criado no governo FH para evitar aposentadorias precoces. (Págs. 1 e 7)

Onde eles não vão nem em eleição

Dilma, Marina e Aécio ainda não pisaram em cinco estados, entre eles Sergipe e Alagoas. (Págs. 1 e 6)

Saia-justa com aliança incômoda

No berço do PT, assessores de Marina exigiram a retirada de placa de um candidato a deputado com fotos da candidata e do tucano Geraldo Alckmin. Marina repetiu que é “a verdadeira mudança”. (Págs. 1 e 10)

Datafolha confirma que ataques a Marina surtiram efeito

Pesquisa Datafolha divulgada ontem indica que distância entre Dilma e Marina no 1º turno aumentou de 3 para 7 pontos em favor da petista. Para analistas, ataques à ex-senadora surtiram efeito. (Págs. 1 e 8 e Merval Pereira)

————————————————————————————

Zero Hora

IBGE errou e diz que desigualdade recuou

Falha alterou dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio em Estados como o RS. Instituto nega pressão política.

Rosane de Oliveira: Dados errados e explicações confusas. (Págs. 1 e Sua Vida 140)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Militares dizem não ter como negar violações na ditadura

As três Forças Armadas admitiu, pela primeira vez, que não têm como negar a ocorrência de graves violações aos direitos humanos em instalações militares durante a ditadura (1964-85), relata Eliane Cantanhêde.

A Comissão da Verdade recebeu do ministro da Defesa ofícios nesse sentido e deve requerer algo mais afirmativo, como admissão de torturas e mortes. (Págs. 1 e Poder A15)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete: Delator liga 2 ex-diretores a corrupção na Petrobras

Esquema atuou nas áreas de Serviços e Internacional, diz Costa; acusados negam.

O esquema de desvios na Petrobras não era exclusivo do área de Abastecimento, do ex-diretor Paulo Roberto Costa. Segundo depoimentos dele PF e ao Ministério Público Federal, houve irregularidades nas diretorias de Serviços e Internacional.

Indicado pelo PT. Renato Duque chefiou o setor de Serviços c Engenharia de 2004 a 2012, período em que Costa integrou a cúpula da petroleira. A área internacional era comandada por Nestor Cerveró, apoiado também por peemedebistas.

Duque é conhecido pela proximidade com o tesoureiro do PT, João Vaccori Neto. A menção a nomes próximos do partido deixou o governo em alerta gerou tensão no comitê de Dilma, informam Andréia Sadi. Natuza Nery e Valdo Cruz.

Via interlocutores. Duque negou ligação com negócios de Costa. Advogado de Cerveró também negou as acusações. A Petrobras não se manifestou.

Sobre o caso. Dilma disse que “não é função da imprensa Fazer investigação”; só divulgar informações. (Págs. 1 e A10)

IBGE afirma que errou e muda dado sobre desigualdade

Um dia após a divulgação da Pnad, o IBGE, instituto oficial de estatística do país, reconheceu que a pesquisa continha vários erros. O índice de Gini, medida da desigualdade, passou de 0.496 em 2012 para 0,495 em 2013, o que indica estagnação. Antes, o índice divulgado para 2013 era 0,498. (Págs. 1 e Mercado l Bl)

Haddad quer baixar IPTU para empresa que tiver bicicletário

O prefeito Fernando Haddad (PT) quer reduzir o IPTU de empresas que incentivarem funcionários a usar bicicletas. Terão direito a desconto companhias que oferecerem vestiário e bicicletário aos empregados. Não há definição sobre o bônus. Projeto de vereadora do PT prevê 10%. (Págs. 1 e Cotidiano 2 pág. 1)

Agência federal abandona grupo de crise do Cantareira

A Agência Nacional de Águas anunciou que não vai mais participar do comitê sobre a crise do sistema Cantareira. Segunda a ANA, a Secretaria de Recursos Hídricos descumpriu acordo para retirar menos água do sistema. O governo paulista não comentou. (Págs. 1 e Cotidiano 1 C1)

Editoriais: Leia “logo indefinido” a respeito do resultado de pesquisa Datafolha para a Presidência, e “Homicídio policial”, acerca de morte de camelô em São Paulo. (Págs. 1 e Opinião A2)

André Singer: Onda Marina reflui devagar, e quadro do 1º turno se firma (Págs. 1 e Opinião A2)

EBC

Edição: Equipe Fenatracoop

Responda

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.