Tecnologia já permite espionagem em massa de internet e celulares pelos governos – Receita vai simplificar PIS-Cofins – Governo de SP quer anular concessão de rodovia – Empresas adiam investimento e Brasil deve perder R$ 9 bi – Índios recebem mais terra, mas conflitos continuam – Indicadores da economia convergem para cenário do BC – Indenização estendida – Corrupção em Minas: Muito abuso e um rombo de R$ 105 milhões…

O Globo

Manchete: Governo quer multa máxima para Chevron

Punição de R$ 50 milhões, por vazamento, é considerada baixa

Após 14 dias de vazamento de petróleo no litoral do Rio, o Ministério do Meio Ambiente deve anunciar hoje que a americana Chevron receberá multa máxima, de R$ 50 milhões, por dano ambiental. O valor equivale a menos de 1% do investimento de US$ 5 bilhões da empresa no Brasil. A petroleira poderá receber mais duas multas: da Agência Nacional do Petróleo por negligência na segurança e outra do Ibama. A PF diz que a Chevron poderá ficar até cinco anos fora de licitações. Segundo a ANP, o vazamento continua na região. A companhia diz que é residual, e assume “total responsabilidade” pelo acidente. Na Câmara, a empresa poderá ser alvo de CPI. (Págs. 1 e 17)

Crise troca o governo da Espanha

O centro-direitista Partido Popular obtém maioria absoluta no Parlamento

A crise econômica e a insatisfação com o governo de sete anos do PSOE, de José Luis Rodriguez Zapatero, deram ontem ao centro-direitista Partido Popular (PP) maioria absoluta, no Parlamento da Espanha. Liderado por Mariano Rajoy, o PP conquistou 186 das 350 cadeiras, imprimindo uma derrota histórica aos socialistas, que obtiveram 111 e perderam em redutos tradicionais como Andaluzia e Catalunha. No discurso da vitória, Rajoy disse que seus maiores inimigos são “o desemprego, a dívida e o déficit”, que “não há milagre” contra a crise, mas prometeu trabalhar para que a voz da Espanha volte a ser ouvida em Bruxelas. (Págs. 1 e 23)

Foto-legenda: reviravoltas pelo mundo

Simpatizantes do PP comemoram as 186 cadeiras que passam a ter contra 111 do PSOE; no cartaz, “adeua” ao governo Zapatero

Foto-legenda

Manifestante joga gás contra a polícia durante violentos protestos no centro do Cairo. Os egípcios voltaram em massa às ruas contra o governo militar e foram recebidos com repressão em conflitos que põem em risco as eleições da semana que vem. (Págs. 1 e 24)

Centro-Oeste é a nova fronteira para o ouro

Metade das minas de ouro em atividade no país está no Centro-Oeste. Seus projetos podem elevar a produção do Brasil, de 62 toneladas, em 10%. Só em Mato Grosso e Goiás, uma empresa canadense extrairá sete toneladas por ano. (Págs. 1 e 20)

Preso custa mais ao país que aluno

Um aluno no ensino superior custa três vezes menos do que um detento em presídio federal. A diferença sobe a nove vezes nos estados. O contraste revela o baixo investimento na educação e a má gestão no sistema prisional. (Págs. 1 e 3)

Feira na Rocinha vai ter choque de ordem

A Subprefeitura da Zona Sul fará uma reunião esta semana com representantes dos mais de 150 barraqueiros que trabalham, aos domingos, na Rocinha. Sem licença formal, a feira abastece a comunidade. Ontem, reuniu uma multidão. (Págs. 1 e 10)

———————————————————————————–

O Estado de S. Paulo

Manchete: Espanha dá a maior vitória aos conservadores

Mariano Rajoy, do Partido Popular, assume com missão de implementar um programa de austeridade

A crise econômica garantiu ontem ao conservador Partido Popular a maior vitória de uma legenda partidária na história das eleições da Espanha pós-franquista e o maior poder institucional desde o estabelecimento da democracia. Foi a pior derrota dos socialistas, com menos votos do que o total de abstenções, informa o enviado especial Jamil Chade. Com carta branca, Mariano Rajoy assume o cargo de primeiro-ministro e vai implementar um duro programa de austeridade – alívio para a União Europeia e mercados. O PP terá 186 cadeiras entre as 350 do Parlamento e conquistou pelo menos 11 das 17 comunidades autonômicas. (Págs. 1 e Internacional A11 e Al2)

Mariano Rajoy

“Tempos difíceis virão pela frente. Queremos deixar de ser um problema para ser uma solução na Europa” (Pág. 1)

Foto-legenda: Egito em fúria

Polícia reprime manifestantes no Cairo; eles exigem que a junta militar diga quando deixam o poder. (Págs. 1 e Internacional Al3)

Empresas adiam investimento e Brasil deve perder R$ 9 bi

A crise mundial e a valorização do dólar no terceiro trimestre levaram empresas a rever investimentos no Brasil. Estudo do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV) indica que o País deve perder cerca de R$ 9 bilhões em 2011. O Indicador Mensal de Investimento também apontou recuo de 0,9% em setembro. Para o Ministério da Fazenda, a taxa de investimento deverá ficar entre 19,5% e 21% do PIB. (Págs. 1 e Economia B1, B3 e B4)

Chevron pode ter de pagar R$ 100 milhões

Entre multas e reparação ambiental, a americana Chevron poderá ter de pagar R$ 100 milhões pelo vazamento de milhares de litros de petróleo na Bacia de Campos. (Págs. 1 e Vida A11)

Índios recebem mais terra, mas conflitos continuam (Págs. 1 e Nacional A4)

Governo de SP quer anular concessão de rodovia (Págs. 1 e Cidades C3)

Fiocruz vai dobrar a fabricação de vacinas (Págs. 1 e Vida A11)

William Pesek

A China e a eleição nos EUA

Se Barack Obama não agir com firmeza, poderá ser lembrado pelos eleitores como o presidente que perdeu os empregos para Pequim. (Págs. 1 e Visão Global Al4)

Notas & Informações

A avaliação do ensino superior

Dados mostram que as universidades com pior desempenho cobram mensalidades baratas. (Págs. 1 e A3)

————————————————————————————

Correio Braziliense

Manchete: O Natal refinado da classe C

Motor da economia brasileira, o consumidor emergente já não quer apenas uma tevê maior ou um celular mais caro. A nova classe média sofistica o gosto e vai às compras neste fim de ano em busca de tecnologia de última geração, como declara dona de casa Maria do Carmo: “Não compro qualquer coisa”. (Págs. 1, 7 e 8)

Espanha entrega o poder para a direita

Depois de oito anos de domínio socialista, e afogado em grave crise econômica, o país elege o conservador Mariano Rajoy e impõe folgada maioria no Partido Popular no parlamento. (Págs. 1 e 12)

Protestos no Egito deixam nove mortos (Págs. 1 e 13)

O ‘mea-culpa’ da Chevron

O presidente da petroleira norte-americana, George Buck, assume

“total responsabilidade” da empresa pelo vazamento de óleo no litoral fluminense. (Págs. 1 e 6)

Grito virtual

Redes sociais são o melhor caminho para assegurar direitos do consumidor. (Págs. 1 e 14)

————————————————————————————

Valor Econômico

Manchete: Receita vai simplificar PIS-Cofins

A Receita Federal estuda a simplificação de dois dos principais tributos brasileiros: a Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) e a Contribuição para o Programa de Integração Social (PIS). Os estudos, em fase preliminar, ainda serão apresentados ao ministro da Fazenda, Guido Mantega, para, em seguida, serem submetidos à presidente Dilma Rousseff.

Segundo adiantou ao Valor o secretário da Receita, Carlos Alberto Barreto, um novo desenho do PIS e da Cofins está na agenda do órgão, que espera reduzir as disputas judiciais envolvendo a complexa legislação dos dois tributos, cujo recolhimento pode gerar crédito tributário. “Nosso regulamento da Cofins é o mais volumoso de todos, e o sistema gera uma série de distorções. Entender o funcionamento da Cofins é algo muito complexo”, afirmou Barreto. (Págs. 1 e A14)

Empresas de ônibus tentam mudar leilão

As empresas de ônibus entraram em conflito aberto com a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e pediram revisão geral do novo modelo para licitação de 1.967 linhas interestaduais de passageiros. Com base em estudo da Fundação Getulio Vargas, elas advertem para o risco de “desestruturação ampla do sistema” e estimam a perda de 10 mil empregos com a licitação. A associação do setor entrou com representação no Tribunal de Contas da União pedindo correções urgentes no plano de outorgas da agência. O modelo da ANTT prevê a redistribuição das 2.412 linhas existentes, que foram divididas em 18 grupos e 60 lotes, reunindo ligações de alta e de baixa demanda. (Págs. 1 e A4)

Foto-legenda: Gestão de voos domésticos

Maria Claudia Amaro e seu irmão Mauricio Amaro, controladores da TAM, dizem que a companhia aérea reforçará a gestão para o mercado doméstico, que está adiada a decisão sobre compra de 31% da Trip e que não esperam rejeição dos minoritários para a criação da Latam. (Págs. 1 e B5)

Direct Edge terá bolsa no Brasil

Um novo concorrente estrangeiro vai entrar no mercado brasileiro de negociação de ações, hoje dominado pela BM&FBovespa. Após a Bats Global Markets anunciar no início do ano a intenção de atuar no país, a Direct Edge, responsável por 10% do volume de ações negociado no mercado americano, oficializa os planos de criar uma bolsa alternativa no Brasil.

O objetivo da companhia é iniciar as operações no quarto trimestre de 2012, após obter as aprovações dos órgãos reguladores. O presidente da Direct Edge, William O’Brien, disse ao Valor que a nova bolsa terá sede no Rio de Janeiro e deve ser a primeira da empresa fora dos Estados Unidos. (Págs. 1, C1 e C3)

Pós-pagos agora puxam venda de teles

O aumento da renda dos brasileiros, a demanda por internet móvel e ofertas mais atraentes deram fôlego novo aos telefones móveis pós-pagos. O número desses aparelhos cresceu 16,43% nos nove primeiros meses do ano e atingiu 41,7 milhões de linhas no fim de setembro. Enquanto isso, as linhas pré-pagas, usadas pela maioria dos brasileiros, aumentaram 11,08%, segundo dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

A quantidade de pós-pagos ainda é modesta diante dos 227 milhões de celulares existentes no Brasil e nem de longe significam alteração profunda no perfil do mercado. Mas indicam um crescimento quase inédito que despontou em 2010 e ganhou força neste ano. (Págs. 1 e B3)

Korin prepara investida com orgânicos

A Korin Agropecuária quer expandir suas operações com base em alimentos naturais e orgânicos. Por meio de franquias, pretende passar de duas para cem lojas até 2016. Quinze serão abertas em 2012.

Em suas lojas venderá produtos de marca própria – são cerca de 80 itens, que vão de frango a café e água – e de seus 36 parceiros, pequenos e médios produtores. A Korin está em 1,4 mil pontos de venda espalhados por 23 Estados. Em 2011, a previsão é faturar R$ 50 milhões, 22% mais que em 2011. (Págs. 1 e B4)

Foto-legenda: Alta produtividade

Vladimir Walk, gerente-geral da CRV para a América do Sul, ao lado do touro Backup, campeão em produtividade: 40 mil doses de sêmen vendidas por ano a R$ 40 cada. (Págs. 1 e B15)

Rajoy vence na Espanha e promete reformas

Vencedor da eleição geral de ontem na Espanha, o Partido Popular de Mariano Rajoy promete reformas radicais e austeridade para superar a crise econômica. O sentimento nos mercados é de que o país dificilmente conseguirá sair da asfixia financeira atual sem ajuda externa.

A expectativa é de que o governo conservador de Rajoy fará um ajuste adicional entre € 18 e 30 bilhões. Os analistas aguardam liberalização do rígido mercado de trabalho, reestruturação de bancos e controle de gastos das regiões. (Págs. 1 e A11)

Tecnologia já permite espionagem em massa de internet e celulares pelos governos (Págs. 1 e B13)

Indicadores da economia convergem para cenário do BC (Págs. 1 e A3)

Rigor versus impunidade

Juristas acreditam que a rigidez excessiva do projeto de lei que estabelece punições a empresas culpadas de corrupção contra a administração pública pode ter efeito inverso e levar à ineficácia da lei. (Págs. 1 e A8)

Negócios na África

Mesmo com toda a sorte de problemas e convivendo entre a riqueza e a pobreza extremas, a África tornou-se um “bloco econômico” ainda não dominado. “É a última fronteira com potencial de aumentar significativamente a exploração de matérias-primas”, diz Luiz Carlos Mendonça de Barros. (Pág. 1)

Avenida paulistana

A rede de vestuário mato-grossense Avenida negocia espaços em dois shoppings para sua chegada à capital paulista. Presente em 11 Estados, a empresa já tem uma unidade-piloto em Barretos (SP). (Págs. 1 e B6)

Insumos ferroviários

A MVC, de São José dos Pinhais (PR), empresa do grupo gaúcho Artecola, e a BFG, do Bahrein, formaram uma joint venture para produzir componentes plásticos para os trens que serão fabricados pela Bombardier em Hortolândia (SP). (Págs. 1 e B12)

Itamarati pode ser negociada

A Usinas Itamarati, de Ana Cláudia Moraes – filha de Olacyr de Moraes -, procura uma solução para seu grande endividamento, estimado em R$ 1,5 bilhão. A venda do negócio é uma das possibilidades. (Págs. 1 e B15)

Britânicos reduzem o interbancário

Os quatro maiores bancos britânicos reduziram sua exposição de crédito a bancos dos países periféricos da zona do euro em 25% em apenas três meses, para 10,5 bilhões de libras, reflexo do nervosismo em relação aos bancos de todo o sul da Europa. (Págs. 1 e C3)

Ticket no frete

O recém-criado mercado de cartões pré-pagos para pagamento de frete rodoviário ganha um concorrente de peso. A Ticket, líder no segmento de refeição-convênio, acaba de receber a homologação da ANIT para atuar no segmento. (Págs. 1 e C5)

Aperitivo para o risco

A indefinição que tomou conta dos mercados deu força aos fundos de capital protegido. Só neste ano foram lançados 30 fundos nessa categoria, cujo patrimônio líquido soma mais de R$ 5,6 bilhões. (Págs. 1 e D3)

Indenização estendida

Ganha força nos tribunais do país entendimento de que acordos firmados com cônjuges e filhos de trabalhadores mortos em acidentes de trabalho não impedem novas indenizações demandadas por outros parentes próximos da vítima. (Págs. 1 e E1)

‘Drawback suspensão’

Embora ainda decisão de primeira instancia, uma fabricante de autopeças paulista obteve na Justiça a liberação do pagamento de ICMS na importação de insumos, isso porque sua produção é destinada a veículos exportados por uma montadora. (Págs. 1 e E1)

Ideias

Sergio Leo

Financiamento aos negócios estão no topo da lista de desafios para a política de ocupação do mercado africano. (Págs. 1 e A2)

Ideias

Luiz Roberto Curi

A lei brasileira de patentes, que desde o início é inadequada aos interesses produtivos do país, já deveria ter sido revista. (Págs. 1 e A12)

————————————————————————————

Estado de Minas

Manchete: Uma dívida de 7,5 mil árvores com BH

Plantio de mudas equivale a 65% do total de espécimes derrubados

Desde o início do ano passado, mais de 22 mil árvores foram ao chão na capital mineira. No mesmo período, a cidade recebeu 14,5 mil mudas, o que gera um déficit na área verde. Isso considerando apenas os cortes em locais públicos, como na Rua Santa Rita Durão, e ainda sem contar a baixa da vegetação nos parques Municipal e das Mangabeiras. Somente em duas obras para a Copa do Mundo, Belo Horizonte perdeu 1.149 espécimes – 650 no Estádio Mineirão e 499 na Avenida Cristiano Machado, que receberá o BRT (transporte rápido por ônibus, na sigla em inglês). Como um tipo de compensação, a prefeitura promete plantar 54 mil mudas na cidade a partir da próxima semana até 2014. (Págs. 1, 17 e 19)

Corrupção em Minas: Muito abuso e um rombo de R$ 105 milhões

De compras ou contratações sem licitação a pagamentos com valores acima do permitido, irregularidades cometidas por ex-prefeitos e ex-secretários nos municípios mineiros custam caro aos cofres públicos. (Págs. 1 e 3)

Efeito crise: Espanha muda governo para salvar economia

O conservador Partido Popular (PP) obteve vitória arrasadora nas eleições espanholas. Com 99,95% da apuração, Mariano Rajoy venceu com 44,62% dos votos e 186 deputados. Seus apoiadores levantaram bandeiras de adeus ao atual primeiro-ministro, o socialista José Luis Zapatero, com um provocativo “Z”em alusão a ele. (Págs. 1 e 14)

————————————————————————————

Jornal do Commercio

Manchete: Álcool, direção e mais uma morte

Ciclistas foram atropelados em acostamento da BR-232 e um não resistiu. O motorista admitiu que bebeu seis doses de uísque, mas foi autuado apenas por homicídio culposo. (Págs. 1 e 6)

Estaleiro recebe encomenda de oito navios (Págs. 1 e Economia 2)

967 alunos não fazem prova do seriado da UPE (Págs. 1 e 7)

PDT terá reunião para discutir a situação de Lupi (Págs. 1 e 6)

————————————————————————————

Zero Hora

Manchete: Pais e líderes estudantis se insurgem contra greve

Além de enfrentar a oposição do governo do Estado, o sindicato dos professores terá de medir forças contra associação de pais e mestres e estudantes do Ensino Médio vinculados à Uges. (Págs. 1, 30 e 31)

Brechas: Lei Seca leva poucos para a prisão

Ao checar o resultado das detenções no último feriadão, ZH constata que cadeia é para uma minoria. (Págs. 1, 4 e 5)

Efeito crise: Direita confirma na Espanha

O conservador Partido Popular vence com tranquilidade os socialistas. (Págs. 1 e 24)

Eficiência: Os desafios do RS para atrair investimentos

ZH enumera os polos onde o Estado tem vantagens e desvantagens para competir. (Págs. 1 e 14)

————————————————————————————

Brasil Econômico

Manchete: Crise leva direita ao poder na Espanha depois de 7 anos

Líder do Partido Popular vence com absoluta maioria no parlamento e com o desafio de recuperar a economia do país. (Págs. 1 e 4)

Brasil disputa a Ásia com os chineses

Para se blindar da crise internacional, Brasil pretende intensificar negócios com países asiáticos e, para isso, está disposto a brigar por mercado com a China. (Págs. 1 e 6)

Governo já conta com mais dinheiro

Planalto aposta na aprovação pela Câmara dos Deputados do projeto que lhe permite usar como quiser 20% das receitas do Orçamento até 2015. (Págs. 1 e 8)

BM&F Bovespa vira item de exportação

Angola adota modelo de negócios da bolsa brasileira. Outros países devem seguir o mesmo caminho. (Págs. 1 e 28)

Le Postiche abre a bolsa

Rede varejista de bolsas, controlada por Alessandra Restaino, abrirá 50 lojas em 2012. Nordeste é o grande alvo. (Págs. 1 e 16)

Clipping Radiobrás

Edição: Equipe Fenatracoop

Portal Cambé, site de informações e serviços de Cambé – PR.

Responda

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.