Greve nas universidades federais completa três meses sem data para acabar; Paralisação se aproxima da mais longa da história, de 112 dias em 2005… – Pedágios ficarão mais caros nas rodovias federais; O motivo é a exigência de realizar investimentos em 5 anos, mas melhorias virão mais rápido. .. –Nos trilhos: Renasce ideia de transporte ferroviário de passageiros; Governo e empresas admitem que investimento pode ajudar na realização do antigo sonho de viajar de trem pelo Brasil… –

O Globo

Manchete: A hora do mensalão/ O 1º voto – Relator pede condenação de Valério e João Paulo

Barbosa diz que esquema incluiu desvio de verba pública e licitação direcionada

Se condenado, o deputado petista, que é candidato a prefeito em Osasco (SP), poderá ser impedido de tomar posse. Organização da votação provocou novo embate entre revisor e relator; proposta de Barbosa saiu vitoriosa

No 11º dia do julgamento do mensalão, o relator, ministro Joaquim Barbosa, votou ontem pela condenação do ex-presidente da Câmara, deputado João Paulo Cunha (PT-SP), por corrupção passiva, peculato e lavagem de dinheiro. Votou também pela condenação de Marcos Valério, operador do mensalão, e de Cristiano Mello Paz e Ramon Hollerbach, sócios de Valério na agência SMP&B, por corrupção ativa e peculato. Mais uma vez o plenário foi palco do embate entre Barbosa e o revisor do caso, ministro Ricardo Lewandowski. Barbosa queria que a votação fosse por blocos, e Lewandowski, por réus. A proposta de Barbosa saiu vitoriosa. (Págs. 1, 3 a 6, Míriam Leitão e Merval Pereira)

Londres ameaça prender Assange

O Equador desafiou o Reino Unido e deu asilo a Julian Assange, deflagrando uma crise diplomática. Londres reagiu e disse que não haverá salvo-conduto, chegando a ameaçar prender o criador do WikiLeaks na embaixada. O Brasil está preocupado com tal possibilidade. (Págs. 1, 33 e 34)

Caos em estradas e aeroportos

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) determinou que policiais federais e rodoviários federais não podem fazer operação-padrão que implique abuso ou impeça a livre circulação de pessoas e mercadorias. Houve caos ontem no Aeroporto de Guarulhos. (Págs. 1 e 29)

Desde 2008, obras empacadas

As rodovias privatizadas em 2008 no governo Lula continuam sem avanço. Cinco de oito lotes não tiveram obras começadas. Na BR-101, projeto ainda está em estudo. Na Régis Bittencourt, só um trecho de seis quilômetros, dos 30km prometidos, foi entregue. (Págs. 1 e 25 a 28)

Abandono olímpico no Parque do Flamengo

A cidade é olímpica, e o descaso com o Parque do Flamengo, onde em 2016 haverá marcha atlética e ciclismo de estrada, também: quadras estão sem piso e há até consumo de crack. (Págs. 1 e 13)

Ciência: Seca – Conta a pagar

Gastos do Brasil com o clima saltaram de US$ 65 milhões para US$ 1,5 bilhão em seis anos. Cientistas dizem que investimento em infraestrutura evitaria sofrimento. (Págs. 1 e 36)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete: Relator vota pela condenação de João Paulo e Marcos ValérioPrimeiro a votar, Barbosa diz que há provas suficientes por corrupção e peculato

O ministro Joaquim Barbosa, relator da ação do mensalão no STF, votou ontem pela condenação dos primeiros réus do processo, o deputado João Paulo Cunha (PT), o empresário Marcos Valério Fernandes de Souza e seus sócios na agência SMP&B, Cristiano Paz e Ramon Hollerbach. O ministro afirmou que há provas suficientes para condenar João Paulo pelos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e peculato. Segundo Barbosa, os ilícitos estão relacionados a um contrato firmado em 2003 entre a Câmara e a agência de Marcos Valério. Na época, João Paulo era presidente da Câmara. Barbosa também votou pela condenação de Valério, Paz e Hollerbach por corrupção ativa e peculato. Como o relator fatiou seu voto, outros crimes não foram analisados. (Págs. 1 e Nacional A4)
Russomanno empata com Serra; Haddad sobe para 3º

Pesquisa Ibope/Estado/TV Globo aponta José Serra (PSDB) e Celso Russomanno (PRB) empatados na liderança da corrida eleitoral paulistana com 26% das intenções de voto. Na simulação de segundo turno entre os dois, Russomanno ganharia de Serra por 42% a 35%. Fernando Haddad (PT) isolou-se em terceiro lugar. O petista foi de 6% para 9% das intenções de voto. Os três candidatos que estão empatados no quarto lugar são Soninha (PPS), Gabriel Chalita (PMDB) e Paulinho da Força (PDT), com 5% cada um. (Págs. 1 e Nacional A8)
Redução de IPI, juros mais baixos e crédito elevam vendas

As vendas no comércio varejista cresceram 1,5% em junho, maior alta desde janeiro (3,1%), após uma queda de o,8% do mês anterior, segundo o IBGE. A alta é atribuída à redução do IPI para automóveis e eletrodomésticos da linha branca. No ano, o faturamento do comércio subiu 9,1%. O avanço das vendas em junho também é atribuído à melhora no acesso ao crédito e à redução dos juros. (Págs. 1 e Economia B1)
Estados terão mais recursos

O governo autorizou 17 Estados a gastarem mais R$ 42,2 bilhões em obras de infraestrutura, saneamento, habitação e mobilidade urbana. São Paulo foi o mais beneficiado, com R$ 12 bilhões. (Págs. 1 e B4)
Equador dá asilo a Assange, mas Londres não libera saída

O Equador concedeu asilo político ao fundador do Wikileaks, Julian Assange, mas o governo britânico negou salvo-conduto e ele permanece preso na embaixada equatoriana em Londres. Assange é acusado de abuso sexual por duas integrantes do Wikileaks na Suécia. (Págs. 1 e Internacional A17)
Governo reserva R$ 14 bi para reajuste

O ministro Gilberto Carvalho disse que o governo trabalha com a cifra de R$ 14 bilhões para dar reajuste aos servidores em greve. Ontem, operação da PF atrasou voos em Guarulhos. (Págs. 1 e Nacional A12)
Fernando Gabeira

O Brasil depois do mensalão

A grande qualidade do julgamento, embora não se possa prever seu desfecho, é nos trazer alguma curiosidade sobre o futuro imediato. (Págs. 1 e Espaço Aberto, A2)
Notas & Informações

O Brasil pisoteado

A greve do funcionalismo é pesadelo de agressões à sociedade, facilitado pela fraqueza do governo. (Págs. 1 e A3)
————————————————————————————

Correio Braziliense

Manchete: Governo abre cofre em dia de caos aéreoDe novo, o pior sobrou para a população. Como anunciado na véspera, policiais federais em greve transformaram em inferno, ontem, a vida de passageiros nos principais aeroportos do país. Em Brasília, a fila, estimada em 500m de comprimento, deu a volta no saguão e foi parar fora do terminal de embarque. Até um ex-grevista de carteirinha, o governador Jaques Wagner, da Bahia, sentiu o abuso na pele e cobrou respeito. “O salário deles é pago por todos que estão aqui na fila”, reclamou. Na Esplanada, grevistas fizeram o enterro simbólico de Dilma. E o governo, em mais uma tentativa de pôr um fim ao movimento, apresentou nova proposta. Entre as categorias beneficiadas estão servidores civis do Executivo(com reajuste de 15,8%, divididos entre 2013 e 2015) e professores (com até 45%).

Fim do transtorno?

STJ proíbe operação padrão de policiais federais e rodoviários em aeroportos e estradas.

Problema de saúde

Greve pode provocar falta de produtos utilizados em exames e tratamento de sangue.

Mira no Judiciário

Sindicato faz apelo a servidores para tentar paralisar todas as atividades da Justiça. (Págs. 1 e 10 a 12)
Privatização: Pedágio chega às BRs até 2014

O pacote de concessões do governo às empresas prevê a cobrança de taxas nas estradas que ligam o DF ao resto do país. (Págs. 1,14, 23 e Visão do Correio, 16)
Reino Unido exige prisão de Assange

Equador desafia Grã-Bretanha, EUA e Suécia ao conceder asilo a hacker que revelou segredos de Estado de grandes potências. (Págs. 1 e 18)
Mensalão: relator pede condenação de petista

Rigoroso no julgamento, o ministro Joaquim Barbosa, do STF, defendeu que o deputado João Paulo Cunha (PT-SP) seja punido pelos crimes de corrupção passiva, peculato e lavagem de dinheiro. Ele também pediu a condenação de Marcos Valério. A decisão de Barbosa de começar o voto por Cunha provocou acalorada discussão no Supremo. (Págs. 1 e 2 a 4)
Fantasma

Mulher ganha R$ 8 mil da Câmara, mas trabalha para empresa aérea. (Págs. 1 e 5)
Ensino Médio

Mercadante anuncia como novidade reforma já em andamento. (Págs. 1 e 9)
Médicos apoiam proposta sobre eutanásia legal (Págs. 1 e 8)

————————————————————————————Valor Econômico

Manchete: Economia dá primeiros sinais de recuperaçãoTrês indicadores divulgados ontem deram os primeiros sinais de recuperação da atividade econômica, ainda que em ritmo moderado. As vendas do comércio varejista de junho cresceram 6,1% em relação a maio, feito o ajuste sazonal. Elas foram puxadas pelo salto de 16,4% das vendas de veículos e autopeças, um reflexo da redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para automóveis.

Já o saldo entre contratados e demitidos com carteira assinada em julho ficou em 142,5 mil, 1,4% acima de julho de 2011, depois de dois meses em que a geração de empregos tinha sido quase 45% inferior à do mesmo mês do ano passado. Até a combalida indústria de transformação mostrou resultado favorável. E o índice de confiança do empresariado industrial subiu 2,2% em agosto, para 54,5 pontos. (Págs. 1 e A3)
TCU suspende licitação de térmica no AM

O Tribunal de Contas da União (TCU) determinou a suspensão da concorrência da Amazonas Energia, subsidiária da Eletrobras, para a construção de uma termelétrica a gás natural em Manaus, com valor estimado de R$ 1,2 bilhão, por irregularidades nos procedimentos da licitação e na proposta da Andrade Gutierrez. A construtora foi a vencedora da disputa, depois que todas as outras concorrentes foram desclassificadas. A Andrade fez proposta de R$ 1,030 bilhão pela construção de uma usina de 570,40 MW. O valor é cerca de R$ 220 milhões superior à menor oferta, da Sumitomo Corporation, por uma usina de 352,80 MW. Segundo o TCU, a Amazonas Energia feriu o princípio da isonomia ao tratar de forma diferenciada a Andrade Gutierrez. A estatal pediu esclarecimentos à construtora, que então fez ajustes em seu projeto, aceitos pela comissão. O mesmo procedimento não foi adotado em relação aos demais concorrentes. (Págs. 1 e B1)
O quinteto de Dilma para a infraestrutura

A elaboração dos pacotes de concessões federais definiu um novo staff da confiança absoluta da presidente Dilma Rousseff, um quinteto de altos funcionários que ascendeu no cenário do poder em Brasília. Esse núcleo é ouvido para cada passo que Dilma toma na área que mais gosta: infraestrutura.

Bernardo Figueiredo, ex-chefe da Agência Nacional de Transportes Terrestres, foi o cérebro do pacote anunciado nesta semana. Quase todas as reuniões decisivas tiveram a participação do secretário do Tesouro, Arno Augustin, que hoje opina sobre assuntos tão diversos quanto a quarta geração de telefonia celular, o Código de Mineração e o novo marco regulatório dos portos. A ministra Gleisi Hoffmann fez a Casa Civil retomar plenamente a coordenação dos ministérios. O ministro dos Transportes, Paulo Passos, e o advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, ganharam ainda mais espaço com Dilma. (Págs. 1 e A14)
Investimento de R$ 3 bi no porto do Rio

Os governos federal, estadual e municipal lançam na segunda-feira o plano Porto do Rio Século XXI. A iniciativa contempla uma série de obras para melhorar os acessos rodoviário, ferroviário e aquaviário ao porto carioca, cujos principais terminais deverão passar por programas de expansão. O investimento total no projeto, previsto para os próximos cinco anos, é de aproximadamente R$ 3 bilhões, sendo R$ 1 bilhão em recursos públicos e R$ 2 bilhões do setor privado.

Um dos principais projetos é a construção da “Avenida Portuária”, um viaduto em pista dupla que fará a conexão entre a ponte Rio-Niterói e a Linha Vermelha, uma das principais vias de acesso ao Rio, o que permitirá desafogar o trânsito na região do porto. Em uma segunda fase, será feita a ligação entre o porto e a avenida Brasil. No total, o viaduto terá cerca de três quilômetros e está orçado em R$ 344,6 milhões. (Págs. 1 e B11)
O descanso da guerreira Maria

Aos 82 anos, a economista Maria da Conceição de Almeida Tavares aproveita a aposentadoria como professora emérita de duas universidades (UFRJ e Unicamp) para ler um livro por dia e acompanhar na TV o campeonato brasileiro de futebol. “Sou Vasco e não me conformo com a cobertura que a imprensa dá ao Flamengo”, disse “À Mesa com o Valor”. Minutos depois, era a Maria de sempre: culpou a “agiotagem globalizada” pela crise na Europa, disse estar satisfeita com a situação do Brasil, lembrou passagens da resistência intelectual à ditadura e se referiu com carinho a dois economistas de quem divergiu: Octávio de Bulhões e Mário Henrique Simonsen. O primeiro lhe deu aulas de moeda, o segundo a tirou da prisão.

Pesquisas indicam que na década de 2050 a população mundial não crescerá mais, as famílias serão menores e as cidades, mais concentradas.

Wanderley Guilherme dos Santos escreve sobre a Ação Penal 470.

Modelo de financiamento de filmes nos EUA muda com a crise. (Págs. 1 e Eu & Fim de Semana)
Desavença no mensalão acirra ânimo entre ministros do STF

O impasse no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a votação do mensalão deve afetar diretamente a condução do caso e o resultado final do julgamento. Enquanto o relator, ministro Joaquim Barbosa, quer votar a denúncia por itens, o revisor, Ricardo Lewandowski, entende que a decisão deve ser tomada a partir da leitura integral dos votos de cada um. O embate já elevou o tom na Corte. Lewandowski acusou Barbosa de adotar o ponto de vista do Ministério Público. “Isso é uma ofensa”, respondeu Barbosa. O presidente do STF, Carlos Ayres Britto, não conseguiu chegar a uma solução.

José Carlos Dias resumiu aos ministros o embaraço dos criminalistas que acompanham o julgamento: “Queria manifestar a perplexidade de todos nós, advogados, ao ver ser rompido o caráter unitário do julgamento”. (Págs. 1, A6 e A9)
Moinhos agora disputam o trigo nacional

Depois de muito desdenhar o trigo brasileiro pelas suas características “pouco adequadas” à fabricação de pão, a indústria nacional agora disputa o cereal. Com os preços internacionais em disparada, os moinhos olham para o cereal brasileiro como boa alternativa de negócio. O trigo argentino chega a São Paulo por R$ 790 a tonelada, preço 20% mais alto que o do nacional (R$ 650). Moinhos estrangeiros também querem o trigo brasileiro. No Rio Grande do Sul, 800 mil toneladas da safra a ser colhida em outubro já foram compradas. (Págs. 1 e B16)
Marcas japonesas cometeram erros graves no mercado de celulares (Págs. 1 e B12)

Walmart reduz planos de crescimento no Brasil, diz Charles Holley (Págs. 1 e B4)
Latam reúne operações de carga

A Latam, união entre a chilena LAN e a TAM, deve anunciar hoje a criação de uma unidade de transporte de cargas no Brasil, com a integração da Absa, filial da LAN Cargo, e da TAM Cargo. (Págs. 1 e B6)
Anglo reativa mina de níquel em GO

A Anglo American vai reabrir sua mina de níquel em Niquelândia (GO). A produção começa em 2013 e será destinada à unidade industrial Codemin, na mesma cidade, que estava sendo abastecida pela mina de Barro Alto, também em Goiás. (Págs. 1 e B11)
Combate à Corrupção

Transformar o atual ciclo de crescimento em benefício de toda a população depende também de reduzir a corrupção no país. “A diferença entre viver uma maldição e uma bênção está essencialmente ligada à governança e à redução da corrupção”, diz Otaviano Canuto, vice-presidente do Bird. (Págs. 1 e Especial)
Diplomata pede “concordata”

Com dívidas de R$ 500 milhões, o frigorífico avícola Diplomata, do Paraná, pediu recuperação judicial no início do mês. A empresa enfrentava problemas há pelo menos três anos, agravados com a alta das rações. (Págs. 1 e B14)
China “emperra” nova soja no Brasil

Os produtores de soja apelaram ao governo para que ajude a Monsanto a aprovar sua nova geração de transgênicos na China, último obstáculo para que a multinacional americana comece a vender as sementes no Brasil. (Págs. 1 e B16)
Royalties sobre a biodiversidade

Estudo do Instituto de Estudos do Comércio e Negociações Internacionais (Icone) mostra que a adesão ao Protocolo de Nagoya, sobre pagamento de royalties pelo uso da biodiversidade de outros países, pode custar bilhões ao Brasil. (Págs. 1 e B16)
“Private equity” puxa o freio

Fundos de “private equity” com foco em investimentos no Brasil desaceleraram o ritmo de captações. No primeiro semestre, foram só US$ 675 milhões destinados a aquisições no país, comparados aos US$ 3 bilhões levantados em igual período de 2011. (Págs. 1 e C3)
Gigante chinês estreia no Brasil

Após um ano e quatro meses de espera, o Industrial and Commercial Bank of China, maior instituição financeira do país asiático, recebeu autorização presidencial para iniciar operações no Brasil. O foco serão clientes corporativos chineses. (Págs. 1 e C7)
Ideias

Claudia Safatle

Ao contrário do que definiu para rodovias e ferrovias, nos aeroportos o Estado pretende se associar, mas manter-se majoritário. (Págs. 1 e A2)

Monica Baumgarten de Bolle

O pragmatismo da presidente Dilma Rousseff impõe limites a seus impulsos intervencionistas. (Págs. 1 e A10)
————————————————————————————

Estado de Minas

Manchete: A batalha dos saláriosLevantamento aponta profissões que tiveram aumento acima da inflação

Pesquisa obtida com exclusividade pelo Estado de Minas mostra que 40 funções tiveram reajuste médio de 20,43% entre 2010 e 2012, na Grande BH, praticamente o dobro da inflação do período. O Ministério do Trabalho informou que em julho o Brasil criou 142.496 empregos com carteira assinada, 0,37% a mais que no mês anterior. Minas foi o segundo estado a abrir mais vagas: 19.216. (Págs. 1 e 14)
Operação-padrão da PF gera transtornos em Confins e outros aeroportos

No nono dia de manifestações dos policiais federais por reajustes, passageiros sofreram com filas de até 40 minutos para embarques no aeroporto internacional da Grande BH. Os agentes prometem manter as operações pelo menos até segunda-feira. Entre hoje e domingo, as ações mais rigorosas de fiscalização estarão concentradas no setor de desembarque internacional. (Págs. 1 e 9)
Greve nas universidades federais completa três meses sem data para acabar

Paralisação se aproxima da mais longa da história, de 112 dias em 2005. Na UFMG, a maior do estado, o movimento começou depois, mas já chega há dois meses. As instituições garantem que seus processos seletivos estão mantidos nas datas estipuladas. O drama maior é o de quem está prestes a se formar e depende do diploma para estágios, empregos ou pós-graduações no exterior. (Págs. 1 e 19)
Mensalão: Relator pede condenação de acusados

Primeiro a votar no julgamento, o ministro Joaquim Barbosa classificou como corrupção passiva, peculato e lavagem de dinheiro os atos praticados pelo ex-presidente da Câmara dos Deputados João Paulo Cunha (PT) e como crime de corrupção ativa e peculato as ações do empresário Marcos Valério e seus sócios. (Págs. 1, 3 e 4)
A disciplina de estar entre os melhores

Primeira escola pública de Minas e a sétima do país na educação fundamental (da 5ª à 9ª série), o Colégio Militar de BH investe em qualificação e no rigor inspirado nas Forças Armadas para ter resultados. (Págs. 1 e 20)
————————————————————————————

Jornal do Commercio

Manchete: União tenta estancar conflitos na refinariaOutra vez, acordo com sindicato foi ignorado pelos operários e hoje haverá reunião de emergência de representantes das empresas com o governo federal para encontrar uma saída. (Págs. 1, Economia 2 – JC Negócios e 6)
Atraso

Com a operação-padrão da PF, decretada ilegal ontem, movimento continuou lento no aeroporto. Passaporte agora, só para tratamento médico. Greve na Receita e Anvisa pode afetar saúde pública. (Págs. 1, 7 e Cidades, 6)
Voto pela condenação de quatro no mensalão

Ministro Joaquim Barbosa incrimina o deputado João Paulo Cunha e os publicitários Marcos Valério, Cristiano Paz e Ramom Hollerbach. Após o voto do relator, sobre 37 acusados, os outros 10 ministros do STF terão de se manifestar. (Págs. 1 e 3)
Procon vai fiscalizar postos de combustível

ANP treinará os fiscais do órgão, que passarão a coletar gasolina e verificar a qualidade do produto. (Págs. 1 e Economia 3)
Governo espera queda de 30% no preço do frete

Avaliação se baseia no projeto de expansão de 10 mil quilômetros da malha ferroviária com a participação da iniciativa provada. (Págs. 1 e Economia 8)
Tornozeleira não consegue segurar presos (Págs. 1 e Cidades 1)

Jaboatão e Ipojuca atingem metas do MEC (Págs. 1 e Cidades 2)
————————————————————————————

Zero Hora

Manchete: A hora da decisão – Relator pede condenação de Valério e deputadoEm sessão tensa, Joaquim Barbosa foi o responsável pelos primeiros pedidos de punição para empresário mineiro, João Paulo Cunha e outros dois réus. (Págs. 1, 8 e Rosane de Oliveira, 10)
Nos trilhos: Renasce ideia de transporte ferroviário de passageiros

Governo e empresas admitem que investimento pode ajudar na realização do antigo sonho de viajar de trem pelo Brasil. (Págs. 1 e 18)
Dilma x Sindicatos

Embate entre o governo federal e as centrais sindicais estaria por trás
das paralisações, que já envolveriam 350 mil servidores em todo o país.STJ considera protestos ilegais.

Greve ameaça elevar preços de produtos importados.

Como driblar os transtornos. (Págs. 1 e 4 a 6)

————————————————————————————

Brasil Econômico

Manchete: Estados têm mais R$ 42 bilhões para investir em infraestruturaO ministro da Fazenda, Guido Mantega, autoriza o aumento no endividamento de 17 estados, sendo R$ 11 bilhões para São Paulo. Mas governadores aproveitam reunião para reclamar da burocracia e da lentidão do BNDES na liberação dos recursos. (Págs. 1 e 6)
Pedágios ficarão mais caros nas rodovias federais

O motivo é a exigência de realizar investimentos em 5 anos, mas melhorias virão mais rápido. (Págs. 1 e 7)
Vendas no varejo crescem 6,1% graças aos carros

Surpresos, economistas atribuem resultado de junho aos efeitos dos estímulos do governo. (Págs. 1 e 8)
Conveniência de postos se sofistica e muda comércio

Ofertas nos estabelecimentos vão de combustível pré-pago a marca própria de alimentos. (Págs. 1 e 14)
Embraer entrega primeiro avião feito em parceria com a Índia

Como avião EMB 145 entregue para a Força Aérea indiana, Embraer dá mais um passo para se consolidar como um grande fornecedor de tecnologias de defesa e segurança. Existem só 10 aviões desse tipo em operação. (Págs. 1 e 15)
Vale prevê aumento no preço do ferro

Estoques caem na China e devem pressionar o valor do minério no mercado global a partir de setembro ou outubro, diz Murilo Ferreira, CEO da companhia. (Págs. 1 e 20)
“Aqui é diferente”

Candidato à reeleição em Porto Alegre, José Fortunati minimiza peso de Lula na eleição local. (Págs. 1 e 4)
————————————————————————————

Clipping Radiobrás

Edição: Equipe Fenatracoop

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.