O que é Acne?
Acne é uma condição da pele que ocorre quando os folículos pilosos (regiões em que nascem os pelos) da pele ficam obstruídos por sebo e células mortas, sendo colonizados por bactérias que geram inflamação. Acne mais comumente aparece no rosto, pescoço, peito, costas e ombros.
Qual a diferença entre acne e espinhas?
De acordo com a dermatologista Emily Alvernaz, as espinhas são uma das manifestações da acne, que leva a formação de lesões de diversos tipos, como espinhas e pústulas. “Então toda espinha pode ser considerada acne, mas nem toda acne é espinha, já que os cravos também podem ser incluídos na categoria”, explica a especialista.

Cuidados
O que fazer se eu tenho acne?
Se você tem acne, e não só espinhas, é muito importante seguir os tratamentos indicados por seu dermatologista (veja todos eles no tópico tratamentos, mais abaixo). No entanto, alguns cuidados no dia a dia pode ajudar nesse tratamento:

Lave a pele suavemente e sem exagero
Evite tocar sua pele
Faça a barba com cuidado
Evite ficar no sol
Lave o cabelo regularmente.

Se você tem mais espinhas do que a acne em si, então a melhora da sua pele pode ser ainda maior com alguns cuidados em casa, como:

Não esprema as espinhas: isso só aumenta a contaminação da pele e pode causar mais cravos e espinhas, já que ao espremer nem todo o líquido dentro dela sai, uma parte se espalha por dentro da pele e acaba contaminando mais folículos
Tome o banho logo após os exercícios: o suor colabora para a proliferação das bactérias. O ideal é usar sabonetes adequados para peles oleosas e acneicas
Evite usar produtos oleosos no rosto: hidratantes e protetores solares oleosos só pioram o acúmulo de sebo
Cuidado com o que você come: alimentos com alto índice glicêmico podem piorar a oleosidade da pele.

Causas
Por que a acne aparece?
Existem diferentes tipos de acne. A acne mais comum é o tipo que se desenvolve durante a adolescência. A puberdade faz com que os níveis hormonais fiquem elevados, especialmente a testosterona. Esses hormônios estimulam as glândulas da pele, que começam a produzir mais óleo (sebo).

As crianças e os adultos mais velhos também podem ter acne. Superprodução de sebo na pele e concentração de células mortas nos folículos pilosos da pele estão entre as causas de acne. Esses fatores resultam em obstrução, com acúmulo de bactérias e inflamação.

Os folículos pilosos estão ligados a glândulas sebáceas, que secretam uma substância oleosa, conhecida como sebo, para lubrificar o seu cabelo e pele. Quando o corpo produz uma quantidade excessiva de sebo e células mortas da pele, os dois podem se acumular nos folículos pilosos, criando um ambiente onde as bactérias podem prosperar.

Esse cenário pode fazer com que o folículo se torne inchado e inflamado, acumulando pus, formando a espinha. Também pode acontecer de o folículo se abrir e escurecer, gerando um cravo, ou comedão.

O que o lugar da acne fala sobre sua saúde?
A região em que a espinha aparece pode dar boas pistas sobre suas causas. Veja abaixo:

Espinhas no queixo, mandíbula e pescoço: a especialista conta que esses locais são associados a distúrbios hormonais nas mulheres, como a síndrome do ovário policístico. No entanto, também podem aparecer em determinadas fases do ciclo menstrual, uma vez que ocorre a alteração hormonal comum do ciclo. Em pessoas do sexo masculino podem indicar desequilíbrios no hormônio testosterona
Espinhas nas bochechas: “Acne que acomete apenas as bochechas normalmente é de origem cosmética, em que os resíduos de maquiagem ou dos pincéis acumulam nos poros, obstruindo-os”, afirma Emily Alvernaz
Espinhas na testa: De acordo com a dermatologista, as acnes na testa normalmente são reflexo da oleosidade dos cabelos que entram em contato com a pele, transmitindo a secreção sebácea
Espinhas nas costas: As espinhas nas costas acontecem normalmente em pessoas que têm um grau de oleosidade maior, principalmente no sexo masculino. Mesmo assim, pode aparecer em ambos os sexos quando há alteração da produção do sebo. “A principal causa é o uso de hormônios androgênicos, como uso de esteroides anabolizantes ou anticoncepcionais com baixas dosagens de estrogênios”, explica a especialista. Além disso, o uso de condicionador pode aumentar as espinhas nas costas, pois seus componentes também podem obstruir os folículos pilosos
Espinhas nos braços: Segundo a dermatologista Luciana de Abreu, as espinhas nos braços podem estar relacionadas a acne ocupacional causada pela exposição aos hidrocarbonetos clorados, aos derivados do alcatrão e a óleos de corte. Além disso, a especialista Emily afirma que portadores de doença celíaca ou intolerantes ao glúten também podem apresentar lesões semelhantes à acne nos braços
Espinhas no busto: Nas mulheres é conhecida como acne da mulher adulta. A especialista Luciana informa que as espinhas nesse local podem piorar no período pré-menstrual e tem relação com alterações hormonais
Espinhas no bumbum: De acordo com o dermatologista Eduardo Drummond, as espinhas no bumbum podem estar relacionadas ao uso de anabolizantes. Além disso, alguns hábitos alimentares podem estar fazendo mal para a saúde do corpo.
Mitos da acne
Ao contrário do que algumas pessoas pensam, esses fatores têm pouco efeito sobre a acne:

Saiba mais:
Alimentos gordurosos e chocolate têm pouco ou nenhum efeito sobre o desenvolvimento ou curso da acne
Acne não é causada pela sujeira. Na verdade, esfregar a pele com muita força ou a limpeza com sabonetes abrasivos e produtos químicos irrita a pele e pode piorar a acne. Fazer uma simples limpeza da pele para remover o excesso de óleo e células mortas é tudo o que é necessário.
Fatores de risco
Alterações hormonais no corpo podem provocar ou agravar a acne. Tais alterações são comuns:

Em adolescentes
Dois a sete dias antes do período menstrual
Em mulheres grávidas
Em pessoas que usam certos medicamentos, incluindo aqueles que contêm corticoides, andrógenos ou lítio.
A acne pode ser irritada ou agravada por:

Estresse
Tocar muito no rosto
Suor excessivo
Deixar o cabelo em contato com a pele, o que pode deixar a pele mais oleosa
Trabalhando com óleos e produtos químicos regularmente
Atletas ou fisiculturistas que tomam esteroides anabolizantes também estão em risco de agravar ou desenvolver acne.
Fatores que podem piorar acne
Hormônios: Os andrógenos são hormônios que aumentam em meninos e meninas durante a puberdade, fazendo as glândulas sebáceas ampliarem e produzirem mais sebo. Alterações hormonais relacionadas com a gravidez e o uso de contraceptivos orais também pode afetar a produção de sebo
Certos medicamentos: como os corticoides, andrógenos ou a base de lítio são conhecidos por causar acne
Fatores dietéticos: incluindo ingestão excessiva de produtos lácteos e alimentos ricos em carboidratos – como pães, biscoitos e batatas fritas – pode desencadear acne.
Tipos
Os diferentes tipos de acne incluem:

Acne do recém-nascido
Cerca de 20% dos recém-nascidos desenvolvem acne leve. Isso pode acontecer porque certos hormônios são passados para eles através da placenta por suas mães pouco antes do nascimento. Outra causa de acne em bebês é o estresse do parto, que pode fazer o corpo do bebê liberar hormônios. Recém-nascidos com acne geralmente tem lesões que desaparecem espontaneamente.

Acne infantil
Bebês entre três e 16 meses de idade podem desenvolver acne infantil. Eles podem ter cravos e espinhas. Acne infantil geralmente desaparece quando a criança chega aos dois anos de idade. As espinhas raramente deixam cicatrizes. Acne infantil pode ser causada, em parte, pelos níveis hormonais mais elevados do que o normal.

Acne vulgar
O tipo mais comum de acne é acne vulgar. Ela aparece com mais frequência em adolescentes e adultos jovens.

Acne cística
Acne conglobata é uma forma rara, mais grave, de acne. Ela ocorre principalmente em homens jovens. Na acne conglobata, espinhas grandes se desenvolvem no rosto, peito, costas, braços e coxas. Este tipo de acne pode ser difícil de tratar e muitas vezes deixa cicatrizes.

Acne fulminante
Acne fulminante é uma forma grave de acne conglobata, que ocorre mais em meninos adolescentes. Na acne fulminante, um grande número de espinhas se desenvolve muito rapidamente nas costas e no peito. Essas espinhas muitas vezes deixam cicatrizes graves. Pacientes com acne fulminante muitas vezes sofrem com febre e dor muscular e óssea.

Graus da acne
A acne também pode ser classificada pelo seu grau de manifestação. De acordo com as dermatologistas Emily Alvernaz e Bhertha Tamura, ela pode ser separada em 5 estágios:

Grau 1: é uma fase formada apenas por cravos abertos (com o pontinho preto aparente) ou fechados
Grau 2: além das lesões (feridas, no caso os comedões) descritas no grau 1, há presença de pápulas (feridas pequenas) inflamadas, avermelhadas, algumas com a presença de pus
Grau 3: apresenta lesões nodulares e císticas, que são aquelas lesões maiores, bem endurecidas , além das papulas, pústulas e cravos
Grau 4: é um quadro chamado de acne conglobata em que as lesões do tipo nodulares e císticas se confluem formando abcessos e fístulas que levam a formação de cicatrizes
Grau 5: chamado de acne fulminante, é um quadro bem raro em que as lesões de acne evoluem para úlceras e sintomas sistêmicos.
Sintomas de Acne
Acne se desenvolve mais frequentemente na face, pescoço, peito, ombros, ou costas e pode variar de leve a grave. Pode durar alguns meses, muitos anos, ou ir e vir durante toda a vida.

Geralmente, a acne provoca apenas espinhas e cravos. Às vezes, pode evoluir para cistos e nódulos. As lesões císticas são espinhas que são grandes e profundas, muitas vezes dolorosas e que podem deixar cicatrizes na pele.

Cravo: pequenas lesões abertas (com o pontinho preto para fora) ou fechadas
Espinhas: as conhecidas lesões com a ponta amarelada ou branca
Pápulas: pequenos inchaços avermelhados
Pústulas: pequenas “bolhinhas” com pus que podem aparecer na pele
Nódulos: crescimentos anormais na pele ou qualquer tecido do corpo, formando elevações
Cistos: espécie de bolsa de tecido, que pode ser cheia de ar, líquido, pus ou outro fluido.
A acne pode levar à baixa autoestima e, por vezes, à depressão. Essas condições necessitam de tratamento, juntamente com o da acne em si.
Buscando ajuda médica
A acne geralmente não é uma condição médica séria. Mas você pode querer procurar um dermatologista para tratar espinhas persistentes ou cistos inflamados, a fim de evitar cicatrizes ou outros danos à pele.

Se a acne e as cicatrizes estão afetando seus relacionamentos sociais ou autoestima, você também pode querer perguntar a um dermatologista sobre o tratamento das cicatrizes existentes.

Marque uma consulta médica se:

Você está preocupado com acne do seu filho ou sua
A acne piorar ou não melhorar depois de três meses com o tratamento em casa
Ocorrerem cicatrizes ou marcas depois de curar a acne
As espinhas se tornam grandes e duras ou preenchidas com fluido
Você começa a ter outros sintomas físicos, tais como o crescimento de pelos faciais em mulheres
A acne começou após o uso de um novo medicamento
Houve exposição a produtos químicos, óleos ou outras substâncias que causam irritação na pele.
Você pode querer procurar ajuda médica mais cedo se houver um forte histórico familiar de acne, está emocionalmente afetado pela acne ou desenvolveu acne em uma idade precoce.

Na consulta médica
Especialista que pode diagnosticar e tratar acne é:

Dermatologista
Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

Anote informações médicas tais como outras condições com as quais você foi diagnosticado e qualquer medicação que você está tomando, incluindo vitaminas e suplementos
Anote as informações pessoais importantes, incluindo quaisquer tensões principais ou mudanças de vida recentes.
O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

Quando a acne começou?
Alguma coisa em particular parecem desencadear um surto acne, como estresse ou ciclo menstrual?
Quais os medicamentos você ou seu filho toma, bem como vitaminas e suplementos?
Você usa contraceptivos orais?
Você tem períodos menstruais regulares?
Você está grávida, ou planeja engravidar em breve?
Que tipos de sabonetes, loções, produtos de cabelo ou cosméticos você usa?
Você tem história familiar de acne?
Que tratamentos você já tentou até agora? Algum tem sido eficaz?
Também é importante levar suas dúvidas para a consulta por escrito, começando pela mais importante. Isso garante que você conseguirá respostas para todas as perguntas relevantes antes da consulta acabar. Para acne, algumas perguntas básicas incluem:

Que tipo de tratamento você recomenda para mim?
Se o primeiro tratamento não funcionar, o que você vai recomendar a seguir?
Quais são os possíveis efeitos colaterais dos medicamentos que você prescreveu?
Quanto tempo eu posso usar com segurança os medicamentos?
Quanto tempo depois do início do tratamento os sintomas começam a melhorar?
Em quando você vai me ver novamente para avaliar se o tratamento está funcionando?
Existem medidas de autocuidado para melhorar os sintomas?
Você recomenda qualquer alteração minha dieta?Você recomenda quaisquer alterações nos produtos que estou usando, como xampus e cremes hidratantes?
Diagnóstico de Acne
O médico fará um exame físico e irá perguntar sobre seu histórico médico. Na maioria das vezes, não serão feitos testes especiais para acne. Pode ser que o médico peça outros exames, se suspeitar que a acne é um sintoma de outro problema médico.

Tratamento de Acne
O tratamento da acne foca em reduzir a produção de óleo na pele, acelerar a renovação celular, combater à infecção bacteriana e reduzir a inflamação. Em alguns casos, a pele pode piorar antes de ficar melhor.

É importante o tratar a acne não apenas por razões estética, mas também para preservar a saúde da pele. Também é importante dizer que o tratamento ajuda a prevenir o aparecimento de cicatrizes de acne.

Existem diferentes tipos de tratamento para a acne, variando entre terapia local, medicação oral, ou combinação das duas. Na hora de decidir o tipo de tratamento é levado em consideração a gravidade, localização e o tipo de metabolismo do indivíduo. Além disso, o dermatologista também precisa verificar outros aspectos, como se há cravos, espinhas, nódulos e cicatrizes na pele.

A dermatologista Bhertha Tamura separa os tratamentos para cada grau de acne:

Saiba mais:
Tratamento para acne grau 1
Nessa fase, o dermatologista poderá optar por sabonetes, esfoliantes específicos e se a quantidade dos cravos for muito grande, cremes que em geral são compostos por ácidos leves a moderadamente fortes.

Os componentes dos sabonetes e esfoliantes podem ser o ácido salicílico, enxofre, peróxido de benzoíla outros. E os cremes prescritos nessa fase podem ser constituídos por ácido salicílico, peróxido de benzoíla, ácido apelativo, glicólico ou derivados dos retinaldeídos.

Muitas vezes podem ser indicados também:

Limpeza de pele
Peeling (sessões de aplicação de ácido mais forte pelo dermatologista)
Abrasão suave da pele com aparelhos simples, que limpam os comedões ou as próprias espinhas inflamadas.
Tratamento para acne grau 2
Os sabonetes e esfoliantes ainda fazem parte do tratamento, mas os cremes já precisam ser mais fortes, algumas vezes compostos por antibióticos. Nessa fase, se o médico considerar importante, poderá ser prescrito medicamento consumido por boca. Esses medicamentos podem ser antibióticos específicos ou pode-se considerar a prescrição de isotretinoína, especialmente nos casos em que há formação de pequenas cicatrizes que são difíceis de serem tratados no futuro.

Os cremes agora possuem um percentual de ativos maior que o prescrito para acne 1 e as substâncias ativas, como os retinóides, já são indicados e podem ser associados à antibióticos, mais frequentemente aqueles a base de eritromicina ou a clindomicina. Os antibióticos via oral podem ser a tetraciclina e seus derivados e a azitromicina em diferentes esquemas de tratamento.

Tratamento para acne grau 3
Além das opções terapêuticas descritas no grau 2, os antibióticos são prescritos com maior frequência, considerando também a possibilidade do uso de anticoncepcional específico para as meninas, se o quadro estiver também relacionado com o ciclo menstrual (distúrbios hormonais).
Esse já é um estágio em que se considera muitas vezes a isotretinoína como uma das primeiras indicações. Esse medicamento possui alguns efeitos colaterais, sendo o mais grave o efeito teratogênico, ou seja, causar deformidades muito sérias no feto, como por exemplo, ausência ou alterações nos membros entre outros. Portanto, quando prescrito para meninas, deve-se ter certeza de que ela estará utilizando pelo menos dois métodos anticoncepcionais durante o tratamento, com o envolvimento diário dos pais.

Tratamento para acne grau 4
Esse estágio responde mal a maioria dos tratamentos e a isotretinoína se torna o medicamento de eleição, salvo contraindicações específicas que serão detectados pelo dermatologista. Esse é um quadro mais grave que pode cursar com dor e até mesmo febre. Em alguns momentos há necessidade de intervenção cirúrgica para o esvaziamento das secreções.

Tratamento com isotretíona
A dermatologista Emily Alvernaz explica que a isotrentinoina oral (conhecida pelo nome comercial de Roacutan) atua na inibição da produção de sebo pelas glândulas sebáceas, provocando um ressecamento dessas glândulas no corpo todo, de forma não seletiva, daí o ressecamento da pele e mucosas, como boca, olhos e nariz, conhecidos efeitos colaterais.

Existem algumas contraindicações ao uso da isotrentinoina oral, pois como ela é metabolizada no fígado quem apresenta doenças hepáticas como cirroses, hepatites ou alterações nas enzimas de função hepáticas ou nos níveis de colesterol e triglicerídeos não podem fazer uso da medicação. Além disso é uma substância teratogenica e por isso contraindicada em gestantes e durante a amamentação

“Não se deve utilizar a isotretinoína com outros medicamentos, especialmente a tetraciclina e seus derivados”, ressalta a dermatologista Bhertha Tamura.

Tratamento da cicatriz da acne
É possível usar certos procedimentos para diminuir as cicatrizes deixadas pela acne. Veja:

Preenchimento facial com ácido hialurônico
Peelings químicos
Dermoabrasão
Microdermoabrasão
Laser e tratamentos de radiofrequência
Microcirurgias para retirar as cicatrizes de acne
Tratamento para as manchas da acne
Os tratamentos para as manchas da acne podem incluir:

Peeling
Cremes com ácidos
Laser
Microagulhamento
Radiofrequência
Subcisão.
Veja como esses tratamentos funcionam aqui.

Tratamento natural para a acne
Existem alguns alimentos que podem contribuir para o tratamento da acne de forma natural. No entanto, é importante conversar com o seu médico e seguir as orientações do dermatologista:

Óleo de peixe: Esse tipo de gordura combate o envelhecimento e melhora a circulação do organismo. Ao melhorar a circulação, o ômega 3 faz com que nutrientes e oxigênio cheguem mais rápido à pele por meio do sangue. além disso, ele também participa do processo de renovação celular, mantendo a pele sempre nova e limpa;

Vitaminas C e E: Os antioxidantes dessas vitaminas têm um efeito calmante sobre a pele. de forma que a vitamina C fortalece a imunidade do corpo e protege a pele das radiações solares. Ela também tem um efeito anti-inflamatório, que ajuda a cicatrização e prevenção da acne;

Zinco oral: Por conta de seu poder anti-inflamatório e antioxidante, esse nutriente atua na pele criando um ambiente inóspito para o crescimento das bactérias causadoras das espinhas, além de ajudar a acalmar uma pele irritada. Porém, essa ação é incerta, mais pesquisas são necessárias para comprovar a eficácia do zinco no controle da acne. O zinco é encontrado em ostras, castanha do Pará e gérmen de trigo;

Tratamentos caseiros: O ideal é realizar acompanhamento médico para tratar a acne. No entanto, existem alguns tratamentos caseiros para acne que podem ajudar a controlar a ação da condição de saúde. Veja quais em 8 tratamentos caseiros para acabar com as espinhas e suas manchas. No entanto, antes de realizá-los, vale conversar com seu dermatologista;

Lavar a região afetada com um sabonete suave: Você pode higienizar o local afetado com água morna e sabonete neutro duas vezes por dia. Além disso, é importante evitar certos produtos como adstringentes e máscaras faciais, pois eles podem irritar a pele. Lavar muitas vezes a região afetada também pode piorar o quadro;

Proteger-se do sol: Em alguns casos o sol pode piorar a acne. Da mesma forma alguns medicamentos também podem tornar o paciente suscetível ao sol. Portanto, verifique com seu médico se sua medicação causa esse tipo de efeito. Se isso acontecer, procure se proteger contra os raios solares e use um protetor solar que não seja oleoso;

Evitar fricção ou pressão sobre a pele: Quem tem propensão a acne, deve proteger a pele do contato com itens como telefones, capacetes, correntes apertadas ou mochilas, pois estes itens podem irritar a pele ou colocá-la em contato com microorganismos;

Evitar cutucar a área afetada: isso pode desencadear mais acnes ou causar cicatrizes na pele.

Medicamentos para Acne
Os medicamentos mais usados para o tratamento de acne são:

Adacne
Adapaleno
Azelan
Azitromicina
Clindamicina
Clindoxyl
Clocef
Clordox
Diane 35
Diclin
Differin
Doxiciclina
Drospirenona + Etinilestradiol
Gracial
Hipoderme
Hipoderme Ômega 45g
Hipoderme Ômega 90g
Isotretinoina
Nebacetin
Roacutan.
Somente um médico pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique. Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula.

Acne tem cura?
A acne hoje é um problema tratável e até mesmo suas cicatrizes e manchas podem ser amenizadas, por mais profundas que sejam.

“Acne tem controle, e quanto mais precoce o tratamento é iniciado, menos chances de desenvolver sequelas”, ressalta a dermatologista Emily Alvernaz. Mas o quem apresenta pele oleosa com tendência acneica sempre terá que tratar a pele para prevenir o aparecimento de novas lesões.

Portanto, podemos sim dizer que é um problema com chances de cura.

Complicações possíveis
A acne não tratada pode causar feridas na pele, que se contaminadas acarretam em infecções. Em alguns casos, a acne pode causar cicatrizes na pele.

Acne e depressão
Como a acne é uma doença que atinge a pele, ela pode sim afetar a autoestima e inclusive levar à quadros de depressão. “Isso se agrava com o fato de acne muitas vezes começar na adolescência e seu curso crônico afeta a autoestima do adolescente que é muito sensível ao bullyng e exclusão por parte dos colegas”, considera Emily Alvernaz.

Convivendo/ Prognóstico
Cuidados em casa ajudam a tratar a acne:

Lave seu rosto e outras áreas afetadas uma ou duas vezes por dia
Não cutuque ou esprema as espinhas, pois isso pode causar infecções e inflamações
Evite tocar a pele com as mãos sujas ou objetos pouco higienizados
Mantenha seu cabelo limpo e longe do rosto, para evitar oleosidade
Use cremes, sabonetes, loções e géis para tratar a acne. Sempre leia atentamente a bula para garantir que você está usando o produto corretamente
Proteja sua pele dos raios solares, uma vez que alguns tratamentos podem reagir quando em contato com o sol.
Prevenção
Você pode adotar alguns hábitos para prevenir a acne ou evitar que ela fique pior:

Lave gentilmente a pele todos os dias. Evitar esfregar com muita força ou lavar excessivamente
Evite suar muito se você acha que isso tornará a sua acne pior. Caso não seja evitável, higienize o rosto após a atividade
Lave seus cabelos com frequência e evite que eles fiquem muito oleosos
Evite produtos para cabelo (como gel, mousse, leave-in e pomada) que sejam muito oleosos
Evite tocar o rosto com frequência ou encostá-lo em objetos
Vista roupas leves e evite tecidos sintéticos
Evite a exposição da pele a óleos e outros produtos químicos.

Natalia Cymrot, dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia (CRM 84332/SP)

Sociedade Brasileira de Dermatologia – instituição que atua na promoção de ensino e pesquisa nas áreas de dermatologia clínica, cirúrgica, oncológica, cosmiátrica e hansenologia.

Emily Alvernaz Figueiredo, dermatologista da Clínica Goa (RJ)

Murilo Drummond, dermatologista

Luciana de Abreu, dermatologista da clínica Dr. André Braz, especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.