Foto: Divulgação

O Sindicato dos Trabalhadores em Cooperativas de Palotina e Região – Sintrascoopa, com o apoio da Federação Nacional dos Trabalhadores Celetistas nas Cooperativas no Brasil – Fenatracoop, inicio na manhã de hoje (23/5), uma grande mobilização junto aos trabalhadores em cooperativas da região do Médio Oeste do estado do Paraná.


Os trabalhos foram iniciados pelas cooperativas da cidade de Marechal Cândido Rondon. Os dirigentes sindicais chegaram por volta das 4:30 da manhã para conversar e entregar aos trabalhadores um informativo divulgando o andamento das negociações da campanha salarial de 2019. O presidente da Fenatracoop e do Sintrascoopa, Mauri Viana Pereira fez questão de acompanhar de perto todo o trabalho feito junto aos trabalhadores. “Foram anos de muita luta e suor para conquistar os direitos dos trabalhadores em cooperativas, garantias alcançadas a passos curtos, porém, estão querendo retirar esses direitos a passos largos e isso o sindicato não vai permitir. Vamos lutar e não colocaremos em risco todas as nossas conquistas sociais e trabalhistas dos últimos anos”, afirma Mauri Viana.
O sindicato Sintrascoopa, está desde o dia 29 de março de 2019, data que foi realizado assembleia para deliberação e aprovação do Rol de Reivindicação, tentando negociar com as cooperativas, mas até o momento, os representantes das cooperativas não sentaram com os representantes dos trabalhadores, demonstrando uma falta de respeito e uma atitude anti-sindical. O Rol de Reivindicação que foi protocolado no sindicato patronal e nas cooperativas, conta com 80 itens entre econômicos e sociais.

10 PRINCIPAIS PEDIDOS DOS TRABALHADORES
*Reajuste salarial de 16,50%
*Auxilio refeição de R$ 990,00 por mês
*Piso Salarial de R$ 1.400,00
*Reajuste de 15% no Vale Alimentação
*Garantia do Programa de Participação nos Resultados – PPR
*Adicional por tempo de serviço
*Assistência Médica
*Rescisão contratual feita no sindicato
*Horas extras de 75% e 150%
*Insalubridade e Periculosidade

PROPOSTA PATRONAL
Apesar de todo o trabalho realizado pelos representantes dos trabalhadores, chegou ao conhecimento da direção do sindicado que as cooperativas não estão dispostas a valorizar os salários dos seus trabalhadores.

PROPOSTA DAS COOPERATIVAS
*0% de reajuste salarial
*Salário mínimo com piso da categoria
*Diminuir 50% dos direitos dos trabalhadores

GREVE
Para o líder sindical Mauri Viana, os representantes das cooperativas estão brincando com coisa séria. “Essa é a contra proposta das cooperativas que chegou ao nosso conhecimento. Não podemos aceitar essas condições, vamos à luta”, afirma Mauri Viana ao mencionar que o pedido dos trabalhadores é de 16,5% de reajuste sem greve, se for preciso da paralisação, o pedido será de 30% de reajuste. Segundo Mauri, no dia 16 de junho será realizada uma assembleia com os trabalhadores e os dirigentes sindicais vão orientar para que os trabalhadores votem na greve.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.