Cambé, Arapongas, Apucarana, Ibiporã, Rolândia, Londrina, Cornélio, jacarezinho, Santo Antônio da Platina e Ivaiporã tiveram instituições beneficiadas.

 OPASO ministro da Saúde, Alexandre Padilha, assinou na manhã desta quinta-feira (31) em Brasília, várias medidas para fortalecer a atuação das Santas Casas e hospitais filantrópicos. Entre elas a concessão de uma moratória de quinze anos para dívidas tributárias e previdenciárias; a criação de uma linha de financiamento para dívidas bancárias; e ainda um maior incentivo financeiro em procedimentos complexos. Entre os incentivos financeiros, o Paraná receberá R$ 103.378.357,50 via Ministério da Saúde.

 O vice-presidente da Câmara dos Deputados, André Vargas (PT-PR) destaca que o governo federal tem se engajado em uma luta a favor da saúde no Brasil. “São medidas que reestruturam os hospitais filantrópicos e Santas Casas, abrem um espaço de discussão madura em relação às dívidas tributárias; e agora o reforço do ministro em relação às dívidas bancárias, são avanços que estão acontecendo. Em Londrina nós estamos num esforço enorme para reestruturar todo serviço de saúde que foi desestruturado no último período”, comentou.

Programa de Reestruturação dos Hospitais Filantrópicos

Os hospitais filantrópicos e Santas Casas terão incentivos financeiros que em alguns casos dobrará o atual caixa. Os hospitais chamados “portas de entrada”, ou seja, de atendimento de urgência, receberão um aporte de investimentos no valor de R$ 3 milhões entre outros incentivos. É o caso da Santa Casa de Londrina, do Hospital Evangélico de Londrina e Hospital Universitário Regional do Norte do Paraná. O mesmo aporte será entregue ao Hospital da Providência de Apucarana; Hospital Regional João de Freitas, de Arapongas; Santa Casa de Cornélio Procópio e Santa Casa de Misericórdia de Jacarezinho.

 Os hospitais filantrópicos e Santas Casas de Caridade da região Norte do Paraná receberão incentivos financeiros do Governo Federal que atenderão num primeiro momento 97 municípios contemplando uma população de mais de 1,9 milhões de paranaenses.

 Confira na tabela abaixo os valores que poderão ser repassados aos hospitais do Paraná para os casos com enfermarias, UTIs adulto e UTIs pediátricas.

CIDADE HOSPITAL VALOR ENFERMARIAS VALOR UTIs ADULTO VALOR UTIs PEDIÁTRICA
Cambé Santa Casa de Cambé R$ 2.140.725,00 R$ 738.783,36  
Ibiporã Hospital Cristo Rei R$ 1.396.125,00    
Rolândia Hospital São Rafael R$ 1.551.250,00 R$ 738.783,36  
Londrina Hospital Doutor Eulalino Ignacio de Andrade R$ 651.525,00    
Londrina Santa Casa de Londrina R$ 3.412.750,00

+ R$ 656.625,00*

R$ 5.738.290,56 R$ 527.702,40
Londrina Hospital Evangélico de Londrina R$ 775.625,00 R$ 1.843.804,80 R$ 211.080,96
Londrina Hospital Universitário Regional do Norte do Paraná   R$ 4.527.728,64 R$ 422.161,92
Apucarana Hospital da Providência   R$ 3.788.945,28  
Arapongas Irmandade Santa Casa de Arapongas R$ 3.878.125,00 R$ 1.736.161,92  
Arapongas Hospital Regional João de Freitas R$ 11.913.600,00 R$ 13.311.976,32  
Cornélio Procópio Santa Casa de Cornélio Procópio R$ 620.500,00 R$ 844.323,84  
Jacarezinho Santa Casa Misericórdia   R$ 738.783,36  
Santo Antonio da Planaltina Hospital regional do Norte Pioneiro   R$ 2.628.000,00  
Ivaiporã Hospital e Maternidade Ivaiporã Ltda   R$ 527.702,40 R$ 105.540,48
Ivaiporã Hospital Bom Jesus     R$ 105.540,48

 ·         *Devido possuir leitos de cuidados prolongados.

 Ambulâncias

 O ministério também repassará verba para custeio anual para ambulâncias. Neste bloco de cidades contempladas da região Norte do estado entraram Londrina, Apucarana, Arapongas, Faxinal, Jandaia do Sul, Ivaiporã, Manoel Ribas, São João do Ivaí, Ibiporã, Bandeirantes, São Jerônimo da Serra, Andirá, Ribeirão do Pinhal, Uraí, Jacarezinho, Santo Antônio da Planaltina, Ibaiti, Wenceslau Braz, Cambará e Siqueira Campos.

 

DADOS MINISTÉRIO DA SAÚDE:

5.3 mil estabelecimentos filantrópicos

3 mil deles prestam serviço ao SUS

 

989 municípios contam apenas com hospitais filantrópicos em sua rede.

 

Dados de setembro / 2013 apontam que o setor filantrópico responde por

26% dos hospitais

37% dos leitos do SUS

41% das internações

 De acordo com o Presidente da Federação das Santas Casas de Misericórdia e Hospitais Filantrópicos do Paraná (Femipa), Luiz Soares Khoury, os valores darão um grande fôlego às Santas Casas. “São boas às notícias que esperamos ser operacionalizadas nos próximos meses”, opinou.

Para Khoury o ministério compreendeu que mesmo aqueles hospitais pequenos, com 50 leitos, tem uma importância fundamental na Saúde. “Até porque em muitos municípios eles são os únicos hospitais e também precisam de apoio governamental para se manter e continuar prestando assistência”.

[jwplayer mediaid=”33195″]

1 COMENTÁRIO

  1. A prefeitura de Cambé não está com nada em?
    Se não fosse o Governo Federal o que seria da pobre Cambé?
    Se tem uma coisa que a Prefeitura de Cambé sabe fazer bem feito é dar dinheiro pra APMI. Só que prestar contas eles não gostam não! Acho que a festa da APMI acabou. Fiquei sabendo que os vereadores não vão por pra votar o tal socorro da APMI.
    kkkkkkkkkkk
    É Juninho a mamata acabou!
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.