A Podologia Cambé esta instalada no Centro Comercial Canadá Localizado na Rua Holanda, 263 esquina com a Av Canada, Sala 311 no centro de Cambé, telefone: (43) 3254-7433 e WhatsApp: (43) 9.9918-7889
A Podologia Cambé esta instalada no Centro Comercial Canadá Localizado na Rua Holanda, 263 esquina com a Av Canada, Sala 311 no centro de Cambé, telefone: (43) 3254-7433 e WhatsApp: (43) 9.9918-7889

Elio Gaspari – Celulares, Privadas e ‘Universos Paralelos’ – Chávez tenta recuperar apoio em sua base eleitoral – 75% chances de EUA mergulharem em nova recessão – Metalúrgicos do ABC ameaçam uma greve geral – Falta regulação para os planos de saúde – Ex-prefeito e mais 35 denunciados no Mato Grosso – Quatro anos depois, aloprados continuam no PT – Site ajuda eleitor a escolher seu deputado …

Folha de S. Paulo

Contra parecer, Anac beneficiou empresa

A presidente da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), Solange Vieira, contrariou decisão da diretoria da agência e beneficiou a empresa MTA, apontada como contratante dos serviços de consultoria do filho da ministra-chefe da Casa Civil, Erenice Guerra. A renovação da concessão saiu em quatro dias, mesmo com parecer contrário da diretoria da agência.

Em 15 de dezembro, a Anac havia negado a renovação em razão da “ausência da comprovação de regularidade previdenciária”. Porém, no dia 18, a presidente da Anac concedeu a renovação estendendo o prazo de três para dez anos.

O ato da presidente da Anac foi referendado pela diretoria duas semanas depois. Segundo a assessoria da Anac, Solange concedeu a renovação porque a MTA apresentou a papelada exigida pela burocracia do órgão. A renovação por dez anos foi uma mudança de entendimento da diretoria que se estendeu para todas as demais empresas do ramo.

Após conseguir a liberação, a MTA fechou neste ano um contrato com os Correios de R$ 19,6 milhões, sem licitação e com privilégios: permite que a companhia aérea leve cargas de terceiros além do material dos Correios nas viagens, tornando mais lucrativo o negócio.

Filho de sucessora de Dilma teria feito lobby

O diretor de Operações dos Correios, Artur Rodrigues da Silva, e o consultor Fabio Baracat apontaram ontem à Folha o filho da ministra-chefe da Casa Civil, Erenice Guerra, como intermediador de negociações e contratos entre uma empresa privada e o governo federal. Erenice sucedeu a candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, de quem era o braço direito na pasta.

Reportagem da revista “Veja” desta semana mostra que Israel Guerra e a empresa Capital Assessoria e Consultoria Empresarial, à qual é ligado, fizeram lobby para ajudar a MTA Linhas Aéreas a obter a renovação de uma concessão da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) que permitiu, mais tarde, um contrato em condições privilegiadas com os Correios.

Diretor de estatal diz que contrato foi emergencial

Diretor de Operação dos Correios, Eduardo Artur Rodrigues Silva, disse que a Capital Consultoria e Assessoria foi contratada pela MTA (Master Top Linhas Aéreas) para “agilizar” a renovação da concessão da empresa na Anac. Na época, ele era gerente da Martel Assessoria e Consultoria Aeronáutica, que entre seus clientes tem a MTA. (AM)

Folha – Que tipo de serviço a Capital fez para a MTA? Eduardo Artur Rodrigues Silva – Em dezembro do ano passado a Anac suspendeu os voos da empresa porque uma certidão [que comprova pagamento de imposto] estava vencida. Eles [MTA] nos informaram então que contrataram uma assessoria em Brasília para agilizar o procedimento na Anac.

Ministra diz que teve “honra pessoal” atacada

A ministra Erenice Guerra (Casa Civil) se pronunciou ontem por meio de nota oficial em que afirma que abre mão de seus sigilos fiscal, bancário e telefônico, e de todos os seus familiares. A ministra afirmou ainda que vai processar a revista por “danos morais” e pedir “direito de resposta”.

Acusou a revista “Veja” de atacar sua “honra pessoal” por conta do “processo eleitoral” em que, segundo ela, a “revista está envolvida da forma mais virulenta e menos ética possível”. Na nota, a ministra não esclarece nenhum dos pontos relatados na reportagem.

Ministra se envolveu em escândalos

Sombra de Dilma Rousseff (PT) desde o início do governo Lula, a ministra Erenice Guerra (Casa Civil), 51, teve o nome envolvido em escândalos e polêmicas durante a passagem da ex-chefe pelo Planalto.

Em 2008, ela foi acusada de montar um dossiê com gastos sigilosos do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. O material serviu para constranger a oposição na CPI dos Cartões Corporativos.

No ano passado, foi citada em denúncia de favorecimento à família do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). Segundo Lina Vieira, ex-secretária da Receita Federal, Erenice marcou reunião em que Dilma tentaria interferir em investigação sobre negócios do clã.

Líder do governo fala em “acusações baratas’; PSDB pede apuração

O líder do governo na Câmara, Candido Vaccarezza (PT-SP), afirmou que a reportagem da revista “Veja” é “ridícula”, baseia-se “em acusações baratas” e aparenta ser bancada por pessoas com interesses contrariados.

“Fala-se em um suposto lobby que não tem foco, não tem ganhador, não tem propina”, disse. Ele defendeu a possibilidade de filhos de ministros terem empresas, desde que não haja favorecimento -não fez ressalva ao fato de os contratos envolverem dinheiro público.

Sobre a afirmação do candidato tucano José Serra de que a Casa Civil é um centro de “maracutaias”, Vaccarezza disse que “quem usar isso eleitoralmente vai cavar a própria cova”: “Serra é uma pessoa miúda, nas propostas e na atuação política”.

Minas tem empate técnico para o governo

O governador Antonio Anastasia (PSDB) e o ex-ministro Hélio Costa (PMDB) aparecem pela primeira vez em empate técnico na disputa pelo governo de Minas Gerais, aponta o Datafolha.

Costa tem agora 39% das intenções de voto, contra 36% de Anastasia, candidato apoiado pelo ex-governador Aécio Neves (PSDB).
Em relação à rodada anterior, feita nos dias 31 de agosto e 1º de setembro, o tucano oscilou um ponto percentual positivamente, e o peemedebista desceu um. A margem de erro é dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Netinho cresce e divide com Marta liderança ao Senado

O cantor Netinho de Paula (PC do B) mantém tendência de crescimento e pela primeira vez assume a liderança na disputa por duas vagas de senador por São Paulo, mostra o instituto Datafolha.

Segundo pesquisa realizada nos dias 8 e 9, Netinho chegou a 36% de intenção de voto. No levantamento da semana passada, ele aparecia em segundo lugar, com 28%.

Fogaça escala ex-ministro como reforço de campanha após crescimento de Tarso

O risco de Tarso Genro (PT) conquistar o governo gaúcho já no 1º turno alçou o deputado Eliseu Padilha (PMDB) à coordenação da campanha do peemedebista José Fogaça.

O deputado Mendes Ribeiro Filho continua no posto de coordenador-geral, mas a ascendência de Padilha sobre a máquina partidária fez com que ele passasse a responder pela articulação no interior.

Picciani recorre a arquivo de 2002 para conseguir depoimento de Lula a seu favor

O candidato ao Senado do Rio Jorge Picciani (PMDB) teve de recorrer a imagens de arquivo de 2002 para conseguir um depoimento do presidente Lula em seu favor.

Em seu programa de TV na sexta-feira, o deputado estadual mostrou vídeo em que o petista agradece o apoio de líderes do PMDB do Rio à sua primeira candidatura vitoriosa à Presidência e cita, de passagem, o nome de Picciani.

Disputa pela segunda vaga ao Senado causa atrito na aliança de PT e PMDB

A criação de dois movimentos, a Onda Vermelha, pelo PT, e a Onda Verde, pelo PMDB, ilustram a disputa entre dois aliados pela segunda vaga ao Senado no Ceará. Tanto o candidato Eunício de Oliveira (PMDB) quanto José Pimentel (PT) integram a chapa de Cid Gomes (PSB) à reeleição como governador.

Os movimentos apareceram há duas semanas, após os dois candidatos serem apresentados como tecnicamente empatados em segundo lugar nas pesquisas. Tasso Jereissati (PSDB) é o líder.

Voto “Dilmasia” chega a 46% em Minas

Em três Estados considerados fundamentais pelo PSDB -São Paulo, Minas Gerais e Paraná- o voto no presidenciável José Serra fica aquém da performance obtida pelos candidatos a governador.

Minas é o melhor exemplo. Enquanto Antonio Anastasia (PSDB) tem 36% das intenções de voto para governador e divide a liderança com Hélio Costa (39%), Serra tem menos da metade dos votos de Dilma Rousseff (PT) no Estado: 51% para a petista, 24% para o tucano.

Situação de Maia e Maciel assusta o DEM

A nova rodada de pesquisas do Datafolha publicada ontem e hoje traz duas notícias preocupantes para o DEM. O ex-prefeito do Rio Cesar Maia, que foi ultrapassado por Lindberg Farias (PT) e corre o risco de não se eleger, é um dos principais líderes nacionais da sigla e pai do atual presidente da sigla, o deputado Rodrigo Maia.
Em Pernambuco, caso Armando Monteiro (PTB) continue crescendo, o partido pode perder Marco Maciel (DEM), que foi por oito anos vice-presidente no governo FHC.

Estabilidade em pesquisa é comemorada

O quadro de estabilidade na eleição presidencial apresentado pela pesquisa Datafolha dos dias 8 e 9 foi comemorado internamente, por razões diferentes, por petistas, tucanos e verdes.

A pesquisa aponta que Dilma Rousseff (PT) permaneceu com 50% das intenções de voto. José Serra (PSDB) oscilou negativamente um ponto, passando de 28% para 27%. Marina Silva (PV) oscilou positivamente de 10% para 11%.

Servidora viu dados de 248 filiados a siglas

Investigada sob suspeita de quebra do sigilo fiscal de pessoas ligadas ao PSDB, a servidora Adeildda Ferreira dos Santos acessou, de agosto a dezembro de 2009, dados de 248 pessoas que aparecem na relação oficial do Tribunal Superior Eleitoral como filiadas a partidos.

Entre os que tiveram os dados acessados por ela está o ex-senador Fernando Bezerra (RN), que foi ministro da Integração de Fernando Henrique Cardoso e líder do governo Lula no Congresso.

SP boicota vitrines federais na saúde

O governo de São Paulo ignora o Samu (ambulâncias de resgate) e as UPAs (prontos-socorros 24 horas), as principais “vitrines” do governo Lula na saúde.

Ao contrário do que ocorre na maior parte do país, as cidades paulistas não recebem dinheiro estadual para colocar e manter os dois programas em funcionamento. São financiados só com verbas federais e municipais.

Kassab pode migrar do DEM para o PMDB

Em flerte com o PMDB, o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), espera o resultado das eleições para definir seu destino político.
Dependendo da bancada de aliados eleitos em outubro, poderá se filiar ao PMDB para tentar assumir o comando do partido no Estado. Kassab tem defendido a fusão de seu partido com o PSDB. Mas não descarta sair do DEM.

Onda pró-Dilma no Senado ganha força

A mais recente rodada de pesquisas Datafolha em sete Estados e no Distrito Federal reforçou a onda de políticos favoritos ao Senado alinhados à candidatura presidencial de Dilma Rousseff (PT).

Nos últimos 15 dias, mais três dilmistas declarados passaram a ter chances claras de vitória nas disputas por vagas ao Senado em São Paulo, Rio de Janeiro e Distrito Federal. Em Pernambuco há sinais de mais um possível nome governista na bancada de senadores a favor de um eventual governo Dilma.

Neste ano, serão renovadas 54 das 81 cadeiras do Senado. Há 27 senadores que têm mandato até 2015. Quando se consideram os favoritos em todos os 26 Estados e no Distrito Federal, contam-se cerca de 40 candidatos favoritos alinhados a Dilma e apenas 20 a favor do presidenciável José Serra (PSDB).

Site ajuda eleitor a escolher seu deputado

O eleitor que ainda não decidiu em quem votar para deputado federal agora tem ajuda on-line para escolher um candidato. O site Extrato Parlamentar (www.extratoparlamentar.com.br) oferece uma ferramenta que calcula a afinidade entre o internauta e os deputados.
Ou seja, o eleitor poderá saber, pelo menos entre os candidatos à reeleição, quais pensam de forma mais parecida com ele. Não do ponto de vista abstrato da ideologia, mas da atuação concreta nas votações parlamentares.

Conflito agrário emperra agropecuária de Dantas

Pensada há cinco anos para ser a maior criadora de bois do mundo, a Agropecuária Santa Bárbara, empresa ligada ao grupo Opportunity, do banqueiro Daniel Dantas, atolou nos violentos conflitos agrários do Pará.
Resultado de um investimento estimado em R$ 1,5 bilhão, a empresa comprou áreas totais equivalentes a mais de três cidades de São Paulo e quase meio milhão de cabeças de gado. Sua promessa era modernizar uma das regiões de pecuária mais promissora e ao mesmo tempo arcaica do país, recordista em desmate, trabalho escravo, grilagem de terras e mortes no campo.

Mas, desde que foi apontada pela Polícia Federal, em 2008, como possível lavanderia de dinheiro do grupo Opportunity -o que ela nega-, a Santa Bárbara teve suas principais fazendas invadidas e passou a travar uma guerra particular e cotidiana com os sem-terra.

Para MST, eleições podem definir conflito

Para a CPT (Comissão Pastoral da Terra), defensora jurídica do MST, o futuro das negociações sobre as invasões nas fazendas da Santa Bárbara tem estreita relação com o resultado das eleições estaduais no Pará.
Se o ex-governador Simão Jatene (PSDB) se eleger, a força dos movimentos sociais agrários diminui e a situação tende a se radicalizar, disse José Batista, da CPT em Marabá (PA). Para ele, a vitória da governadora Ana Júlia Carepa (PT) manteria o diálogo, mesmo que mínimo, do governo com os sem-terra.

Delações ajudaram PF durante investigação no Amapá

A Operação Mãos Limpas, que anteontem levou para a prisão o governador e um ex-governador do Amapá, só foi possível depois que integrantes dos supostos esquemas de corrupção colaboraram com as investigações.

As informações foram passadas por empresários que não receberam sua parte dos possíveis desvios de recursos, por meio de licitações fraudadas, e pessoas que disseram não terem recebido a propina prometida.

O Globo

Oposição cobra explicações Dilma e Lula

A empresa Capital Assessoria e Consultoria, que pertence – ou pertenceu até recentemente – a Israel Guerra, filho da ministra da Casa Civil, Erenice Guerra, ajudou a companhia de carga Master Top Airlines (MTA) a renovar sua concessão junto à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

O contrato venceu em meados de dezembro passado, mas como a MTA tinha pendências com a Receita Federal, chegou a ser suspenso. A assessoria de Israel Guerra conseguiu reverter a situação da empresa aérea em menos de uma semana. A ação pode constituir tráfico de influência. Erenice sucedeu a candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, no ministério.

Dilma defende sucessora

A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, defendeu nesta sábado, em São Paulo, a ministra da Casa Civil, Erenice Guerra, das acusações de tráfico de influência e direcionamento de licitações divulgadas pela revista ‘Veja’ .

A presidenciável reafirmou a confiança que tem em Erenice e acusou José Serra de ter perdido as “estribeiras” e ter se tornado um “caluniador”. Em São Paulo, o líder o PT na Câmara, Cândido Vaccarezza, disse que a denúncia é vazia e quem usá-la eleitoralmente vai cavar a própria cova.

Quatro anos depois, aloprados continuam no PT

Quatro anos depois do escândalo dos “aloprados”, três personagens envolvidos na compra de um falso dossiê contra tucanos continuam abrigados no PT. O caso ainda está sendo investigado pelo Ministério Público Federal, e nenhum dos acusados foi denunciado.

Ameaçado de expulsão em 2007, Osvaldo Bargas, ex-secretário do Ministério do Trabalho, jamais deixou o PT, ao qual é filiado desde 1981. Sindicalista do ABC paulista, Bargas perdeu o cargo após a confirmação de que negociara e intermediara uma entrevista de denúncia contra José Serra (PSDB), por suposto envolvimento com a máfia dos sanguessugas.

7º Batalhão da PM é o que mais encobre assassinatos

O 7º Batalhão da Polícia Militar (São Gonçalo) é o quartel com mais policiais denunciados por encobrirem assassinatos em autos de resistência – ocorrência onde o policial é autorizado a usar a força para conter o suspeito.

Após analisar 168 autos, feitos a partir de 1998, a 2ª Promotoria de Investigação Penal (PIP) e a Promotoria do Júri em São Gonçalo encontraram falhas em 32 deles e denunciaram, nos últimos dois anos, 70 policiais – quase 18% do efetivo do batalhão. Ignorando diretrizes dos Direitos Humanos, os policiais executaram 35 pessoas.

Ex-prefeito e mais 35 denunciados no Mato Grosso

O Ministério Público Federal de Mato Grosso (MPF) ofereceu denúncia contra 36 pessoas por crime contra o meio ambiente, formação de quadrilha, fraude contra o sistema financeiro e falsidade ideológica.

De acordo com a denúncia a quadrilha era chefiada pelo ex-prefeito do município de Vila Rica (1.276 quilômetros de Cuiabá) Leonídio Benedito das Chagas, que grilava terras e explorava de forma ilegal madeira da Fazenda Califórnia, além de usufruir de recursos do Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES), por meio de documentos falsos.

Falta regulação para os planos de saúde

Especialistas acreditam que o mercado de saúde suplementar do Brasil precisa ser repensado, já que é um dos menos regulados do país. Apenas os planos de saúde individuais e familiares, que representam 20% do total, seguem as regras na Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Problemas com reajustes, negativa de cobertura e descredenciamento são as questões mais reclamadas, mostra a quarta matéria da série sobre os 20 anos do Código de Defesa do Consumidor (CDC), publicada neste domingo pelo jornal O GLOBO.

Para o diretor do Departamento Nacional de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC), do Ministério da Justiça, Ricardo Morishita, o principal ponto a ser pensado é que a saúde suplementar não é suplementar. Ele afirma que o fortalecimento da saúde pública é a única forma de melhorar a qualidade e a concorrência da saúde privada.

Metalúrgicos do ABC ameaçam uma greve geral

Os metalúrgicos do ABC rejeitaram neste sábado, em assembleia na porta do sindicato, em São Bernardo do Campo, proposta das montadoras de aumento salarial de 7% e ameaçam uma greve geral a partir da semana que vem.

O aviso de paralisação será entregue na próxima segunda-feira às empresas, que terão 48 horas para se manifestar. A categoria tem data-base em 1º de setembro.

– As montadoras estão batendo recorde de produção este ano e a greve geral é um caminho legítimo se não houver uma nova proposta dos patrões – afirmou Sérgio Nobre, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC.

75% chances de EUA mergulharem em nova recessão

Passados dois anos do auge da crise econômica mundial – marcado pelo colapso do banco Lehman Brothers – o mundo vive o temor de uma nova recessão. A probabilidade de um segundo mergulho (double dip) ou de uma recessão em “W” cresce dia a dia.

Os indicadores mais recentes de Estados Unidos, Europa e Japão mostram desaceleração no ritmo de recuperação das economias e fortalecem a perspectiva de que o mundo ainda vai enfrentar muitos anos de crescimento econômico medíocre.

No ano passado, a economia global entrou em recessão, puxada por uma queda de 2,4% do Produto Interno Bruto (PIB) americano, após o mundo crescer acima de 5% durante dois anos seguidos. E agora, no segundo aniversário do fatídico 15 de setembro – quando o quarto maior banco de investimento dos EUA quebrou e mergulhou o planeta na maior crise desde os anos 30 -, o clima é de incertezas.

Chávez tenta recuperar apoio em sua base eleitoral

Junto com os militares, os pobres são o sustento do governo bolivariano de Hugo Chávez. Mas faltando apenas duas semanas para a realização das eleições legislativas – segundo o presidente “cruciais para o sucesso do socialismo do século XXI” – a popularidade dos correligionários do líder venezuelano anda em baixa.

Na tentativa de reverter a queda – atualmente a aprovação do governo está em 35% – a Assembleia Nacional, onde a grande maioria é chavista, está anunciando projetos de lei para atacar a violência, diminuir a alta da inflação e dar crédito aos menos favorecidos. Não por acaso, áreas em que a população mostra mais apreensão.

Elio Gaspari – Celulares, Privadas e ‘Universos Paralelos’

Em abril passado os mastigadores de números da ONU surpreenderam o mundo ao mostrar que na Índia (1,1 bilhão de habitantes) só 31% da população tinha acesso ao saneamento básico, enquanto 45% dos indianos tinham celulares. Privada x celular seria um indicador daquilo que o colunista americano Roger Cohen chamou de “universos paralelos”.

A Pnad de 2009 mostrou uma situação parecida em Pindorama. Dos 190 milhões de brasileiros, 78 milhões não têm acesso ao saneamento, enquanto há no país 162 milhões de celulares. (Como há pessoas que têm mais de um aparelho, esse número não pode ser diretamente associado à população.)

É possível que essa comparação seja um fútil exercício estatístico, mas a ideia dos “universos paralelos” é estimulante. O cidadão mora em Itaboraí (RJ), não tem latrina, mas fala com a avó em Tauá, no interior cearense. Congresso em Foco

Equipe Fenatracoop

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.