A Murta, uma planta muito comum nas ruas de Cambé émuito prejudicial às lavouras de cítricos do Município e também ao cultivo dessas plantas nos quintais das residências da cidade.

O problema é que a murta é hospedeira do inseto que transmite o amarelão, chamado de greening em inglês. O psilídeo se alimenta da seiva da murta, onde vive a bactéria que provoca a doença que traz sérios danos aos pomares de frutas cítricas que ganham espaços cada vez maiores entre os pequenos agricultores.

Em vários estados brasileiros, a exemplo do Paraná, há proibição do plantio da Murta. A Lei Estadual 15.953 de 2008, que determinou o fim da murta no Paraná, estabeleceu setembro de 2010 como prazo final para a erradicação.

Segundo os pesquisadores, a murta é uma ameaça à citricultura não apenas quando está plantada na zona rural. Mesmo as que estão na cidade oferecem riscos aos pomares. Esse inseto é pequeno. Os ventos podem levá-lo a longas distâncias.

Portanto, a erradicação dessas árvores deve ser assumida pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente em todo o Município. Para substituí-las a própria Secretária poderia oferecer outras espécies de plantas que são produzidas no Horto Florestal da Prefeitura.

3 COMENTÁRIOS

  1. Ganhei uma muda como lembrança de casamento. Gostaria de plantar.
    Pode me informar se tem risco plantar uma num vaso. Posso controlar o inseto?

    Grato

  2. fala-se tanto em meio ambiente e cuidados com o mesmo mas em Cambé pouco se faz pois até mesmo a erradicação da murta não acontece sendo que é lei estadual isso é um desrespeito com todo o meio ambiente e com a comunidade. secretario do meio ambiente Claudinei Gloor faça alguma coisa…..

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.