Manchete nos Jornais para esta Quarta-Feira 01 de Setembro de 2010

0

Educador critica propostas dos candidatos para o setor – Ex-jogadores do Corinthians testam popularidade em eleição – Candidata não descarta o retorno da CPMF – Receita diz a Lula que advogado deu propina a servidora…

Folha de S. Paulo

Filha de Serra teve dados fiscais acessados na Receita

A filha do candidato a presidente José Serra (PSDB), a empresária Verônica, teve seus dados fiscais acessados na Receita da região do ABC paulista onde outras quatro pessoas ligadas ao tucano tiveram seus sigilos violados.

A informação foi confirmada à Folha pela própria servidora que realizou o acesso, a analista tributária Lúcia de Fátima Milan. Lúcia disse que acessou a declaração de renda a pedido da própria Verônica e que registrou a solicitação em cartório.

Procurada, Verônica disse que não vai se manifestar. A assessoria do PSDB informou, porém, que não houve autorização para o acesso.
Lúcia foi incluída na segunda-feira como a mais nova investigada pela corregedoria do fisco por supostamente participar de um esquema ilegal de quebra de dados fiscais na agência do órgão em Mauá (SP).

Receita diz a Lula que advogado deu propina a servidora

A Corregedoria da Receita Federal em São Paulo identificou que servidoras do órgão em Mauá investigadas sob a acusação de participar de um esquema de violação de dados fiscais de pessoas ligadas ao PSDB tinham como intermediário um grupo formado por um despachante, um contador e um advogado.

Parte dessa investigação foi relatada ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A Folha apurou que a Receita informou a Lula que um advogado ofereceu propina a uma servidora da agência de Mauá para quebra de sigilo.

A corregedoria já teria até os valores envolvidos, em torno de algumas centenas de reais por documento impresso. Ao todo, a comissão de inquérito encarregada do caso listou 320 acessos a dados feitos a partir dos computadores das quatro servidoras investigadas.

Serra diz que acesso a dados de sua filha é “ato criminoso”

O candidato do PSDB à Presidência, José Serra, classificou de “ato criminoso” o acesso aos dados fiscais da sua filha, Verônica.
Em entrevista ao “Jornal da Globo”, ele responsabilizou a campanha do PT pela quebra de sigilo.

Serra comparou o episódio ao caso Lurian, filha de Luiz Inácio Lula da Silva fora do casamento apresentada em 1989 por Fernando Collor em seu programa de TV -os dois disputavam o segundo turno das eleições presidenciais.

Campanha precisa ser espontânea, afirma FHC

Fernando Henrique Cardoso critica a comunicação da campanha do correligionário José Serra por apresentá-lo como um “candidato de continuidade” do governo Lula. Diz ainda que falta “espontaneidade” aos programas de televisão do tucano.

Na opinião do ex-presidente da República, a eventual eleição de Dilma Rousseff (PT) representa risco não à economia, mas à “vida institucional” do país. De acordo com FHC, o PT “não pratica gestos tresloucados, mas desvirtua as instituições por dentro”.

Dilma usa tática do “pega ladrão”, afirma Serra

O candidato do PSDB à Presidência, José Serra, acusou ontem a campanha da adversária Dilma Rousseff (PT) de usar a estratégia do “pega ladrão” para se esquivar de responsabilidade sobre o vazamento de sigilos fiscais e a montagem de um dossiê contra tucanos.

“É jogo sujo de campanha, a estratégia do “pega ladrão”. O sujeito bate a carteira de alguém, enfia no bolso e sai gritando: “pega ladrão!'”, disse ontem o tucano, durante corpo a corpo em Cidade Tiradentes, reduto petista na zona leste de São Paulo.

Além de repetir a artilharia contra o que chamou de “dossiê sujo” elaborado nos bastidores da campanha de Dilma, Serra apontou para o mineiro Fernando Pimentel (PT), coordenador da campanha da candidata petista.

TSE nega recurso e barra candidatura de Roriz por “ficha suja”

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) confirmou ontem, por 6 a 1, que o candidato ao governo do Distrito Federal Joaquim Roriz (PSC) é “ficha suja” e não pode concorrer nas eleições deste ano.

Os ministros entenderam que a Lei da Ficha Limpa vale para quem já renunciou, inclusive para alguém, como Roriz, que o fez antes da promulgação da legislação.

“Já vem de longe a preocupação de que a renúncia pudesse ser utilizada para escapar da cassação”, disse o relator, Arnaldo Versiani.

Dilma arrecada R$ 50 mi, e Serra, R$ 29 mi

A pouco mais de um mês para o primeiro turno da eleição, a campanha de Dilma Rousseff (PT) arrecadou cerca de 70% a mais que a de seu principal adversário, José Serra (PSDB).

A equipe da petista afirmou ter recebido nos dois primeiros meses de campanha cerca de R$ 50 milhões, de 180 empresas, valor que representa um crescimento de 330% em relação ao que disse ter obtido até o início de agosto -na primeira parcial, a arrecadação declarada havia sido de R$ 11,6 milhões.

De acordo com o tesoureiro da campanha, José de Filippi Jr., a expectativa é chegar a R$ 110 milhões até o final do primeiro turno, R$ 47 milhões a menos do que o PT estipulou como previsão de gasto para toda a campanha.

Candidata não descarta o retorno da CPMF

Questionada sobre a recriação da CPMF, a candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, não quis falar sobre o tributo, mas não descartou a sua volta ao afirmar que a saúde é “subfinanciada” e que, caso eleita, “mobilizará” a população para discutir e solucionar o problema.

“Tem subfinanciamento na nossa saúde, sim. Ao tirarem a CPMF de nós, nós perdemos R$ 40 bilhões. (…) Tenho compromisso com essa questão. Se eu for eleita eu vou, de todas as formas, deixar claríssimo qual é o problema da saúde”, disse.

Ex-jogadores do Corinthians testam popularidade em eleição

Ex-jogadores do Corinthians engrossam a lista de candidatos improváveis nas eleições deste ano.

Marcelinho Carioca (PSB-SP), Vampeta (PTB-SP) e Dinei (PDT-SP), ídolos do Corinthians na conquista do Mundial de Clubes da Fifa em 2000, testam a popularidade e apostam nos fiéis torcedores para serem eleitos.

Educador critica propostas dos candidatos para o setor

Falta clareza nas propostas para a educação dos candidatos à Presidência, afirma Mozart Neves Ramos, presidente do Movimento Todos pela Educação. A organização está à frente do lançamento de uma carta de compromissos para o setor feita por 27 entidades e dirigida aos candidatos eleitos. Professor da Universidade Federal de Pernambuco, Ramos diz que é preciso criar mecanismos para punir gestores que não cumpram seus deveres com a educação.

Após 119 anos, circula última edição do “JB”

Circulou ontem a última edição impressa do “Jornal do Brasil”, que a partir de hoje passa a ter apenas uma versão digital.

A data foi marcada por um protesto do Sindicato dos Jornalistas do Rio de Janeiro, que teme novas demissões e o não pagamento de dívidas trabalhistas da empresa.

A presidente do sindicato, Suzana Blass, diz que a entidade estuda uma maneira de bloquear a marca “JB”, principal ativo do jornal atualmente, para que seja leiloada, com o dinheiro da venda revertido para o pagamento das dívidas.

De acordo com um ex-funcionário graduado da casa, as dívidas trabalhistas somam cerca de R$ 30 milhões.

Juiz nega recurso de Alencar sobre paternidade

Ao negar dois recursos na ação de investigação de paternidade contra José Alencar, o juiz José Antônio de Oliveira Cordeiro, da comarca de Caratinga (MG), acusa o vice-presidente de litigância de má-fé.
Na decisão, de 27 de agosto, o juiz qualifica de “protelatórias” e “desrespeitosas para com a Justiça” as sucessivas apelações da defesa em um processo que se arrasta desde 2001.

“Não se pode conceber que uma ação de paternidade demore mais de 10 anos, só porque o réu “coincidentemente” é pessoa pública notória”, critica o juiz na decisão, que será publicada hoje. A defesa de Alencar terá 15 dias para entrar com recurso no Tribunal de Justiça de Minas. “Essa decisão me parece mais um absurdo”, diz o advogado José Diogo Bastos. Ele só vai se manifestar oficialmente após a publicação. Congresso em Foco

Equipe Fenatracoop

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Eu Aceito a Política de Privacidade

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.